Caiçaras na vela

Por: Redação -
29/06/2015

É sempre ponto positivo em competição a vela, correr em barco veloz ou contar com tripulação experiente. No caso das disputas de oceano em Ilhabela, os velejadores locais têm feito a diferença. Exímios conhecedores da raia e dos regimes de vento da região, os caiçaras da família Jesus, especificamente, costumam tripular os barcos líderes das principais regatas da Capital Nacional da Vela. Não por coincidência, mas pelos seus talentos.

Na 42ª Ilhabela Sailing Week, o Yacht Club de Ilhabela (YCI) receberá novamente os integrantes da família criada com vocação para o mar, que aos poucos foram se especializando na arte de velejar. “Sempre fui do mar e nem poderia ser diferente. Sou filho de pescador. Comecei a velejar em 1973 no Grêmio de Vela Ilhabela (GVI) com meu professor de educação física (Antônio Cornélio, atual secretário municipal de Esportes). A maioria dos alunos preferia correr, lutar box, jogar bola, mas eu continuei na vela”, relembra Mário Sérgio de Jesus, o mais velho de sete irmãos, sendo seis homens.

De aluno aplicado, alguns anos depois Mário Sérgio tornou-se professor do GVI e da primeira escolinha de vela de Ilhabela, criada por uma parceria entre o YCI e a Prefeitura, em 1997. Mário é secretário do Loyal CA Technologies, campeão da classe C30 na Copa Suzuki, o Circuito Ilhabela de vela oceânica, em 2014, mas, quando o barco não está na raia, costuma tripular o Asbar Total Balance, campeão da RGS B na Ilhabela Sailing Week de 2014 e atual líder da Copa Swift Sport, junto com o irmão Paulo Henrique de Jesus, o Tinah.

“Comecei a trabalhar como marinheiro em manutenção de barcos em 1985, quando trouxe o Mário Sérgio, nosso grande incentivador, para a vela de oceano”, recorda Tinah. “Antes, na década de 70, lembro-me que a mãe do Carlos Biekarck, o Pink, doou 15 Optimist para o GVI. Os mastros originais eram de madeira e não aguentavam a pressão do vento da ilha. Adaptamos mastros de bambu e não houve mais tantas quebras. Cheguei a ganhar uma regata de OP do Robert Scheidt aqui na ilha com mastro de bambu”, enaltece o velejador.

O caiçara Tinah velejou por dez anos no Hirondelle, um dos mais tradicionais barcos do YCI. No início da década de 1980, velejava de Hobie Cat com Marcelo Massa, atual comandante do Loyal, que e o motivou a ingressar na vela de oceano. “Disputei nove mundiais de Hobie Cat 16, sete com o Marcelo e outros dois com o Mário”, orgulha-se Tinah, com humildade. “Após o Warm Up na Copa Swift Sport, no fim de maio, nosso foco foi dirigido para a Ilhabela Sailing Week. Mantivemos a equipe desde o ano passado. Somos sete tripulantes e esse fator pesa. Estamos muito bem treinados e otimistas em relação ao bicampeonato”, assegura o tático e trimmer (regulador de velas) do Asbar, comandado por Sérgio Keplacz.

Além de Tinah (Asbar) e Mário Sérgio (Loyal), a Família Jesus estará espalhada pelas raias da principal competição de oceano da América Latina em outras embarcações. Os irmãos Beto e Cesinha tripulam o HPE 25 Fit to Fly, vice-campeão brasileiro da classe, assim como Nícolas, filho de Cesinha, enquanto Marcelinho, filho da única mulher entre os sete irmãos, correu o Warm Up na Copa Swift Sport no C30 Caballo Loco e agora deverá embarcar no Loyal. Juninho de Jesus levou o Magoo a conquistar o Brasileiro de HPE há um mês, também em Ilhabela. “Foi o Juninho que regulou o barco. Os ajustes e o conhecimento que ele tem da raia fizeram a diferença”, elogia Augusto Falletti, comandante do campeão Magoo.

Outros importantes velejadores locais reforçarão o talento caiçara na Ilhabela Sailing Week. O consagrado timoneiro Vicente tentará conduzir o HPE Ginga ao bicampeonato. O barco de Ilhabela ainda conta com Ronion Silva, campeão brasileiro de Optimist. Edmar Alves é figura assídua e indispensável entre os tripulantes do Orson, campeão sul-americano da classe ORC, enquanto o emblemático Gereba, com vários mundiais de Hobie Cat no currículo, estará a bordo do Inaê Transbrasa.

Inscrições abertas – As inscrições seguem até 1º de julho e devem ser feitas pelo site: www.ilhabelasw.com.br. A abertura do evento será em 3 de julho, simultânea à Semana de Monotipos, e as regatas de oceano serão disputadas entre os dias 4 e 11, com sede no YCI. Estão convidadas as classes: ORC, IRC, BRA-RGS, RGS Cruiser, S40, Star, HPE 25, C30, Mini e Clássicos, além do retorno da Bico de Proa e da estreia da HPE 30.

A 42ª Ilhabela Sailing Week tem organização do Yacht Club de Ilhabela e patrocínio de Mitsubishi Motors. Os apoios são de Prefeitura Municipal de Ilhabela, Brancante Seguros, Hotel Real Villa Bela, Med Salva, North Sails, Transbrasa, CBVela, Marinha do Brasil, Yacht Club Argentino e Full Time.

Foto Edu Grigaitis / Balaio

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Casal troca apartamento para viver em veleiro com seis gatos

    Embora a rotina de manutenção do catamarã seja dura e exigente, Aline e José garante que vale a pena

    Novo submarino Tonelero será lançado ao mar no fim de março, no Rio de Janeiro

    Gigante equipamento militar equivale o peso de 234 carros populares e tem 71,6 metros de comprimento

    Carga bilionária: Colômbia vai extrair tesouros do "Santo Graal dos Naufrágios"

    Embarcação espanhola que naufragou em 1708 levou US$ 20 bilhões para o fundo do mar

    Recém-lançado, Neuboat Dock Raymarine é novidade da Marine Express

    Semelhante a uma câmera de ré, o Neuboat Dock é capaz de mapear o ambiente e trazer imagens 360º ao piloto

    Venda de ingressos para o Rio Boat Show 2024 é aberta; garanta o seu

    Evento conhecido por reunir o melhor do lifestyle náutico acontece de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória