Marca do grupo italiano Azimut aumenta investimentos em iates de baixa emissão de carbonos

Por: Redação -
09/03/2021
Estaleiro Livorno de Benetti

Na corrida pela produção de veículos cada vez mais “limpos”, ou seja, que não emitam monóxido de carbono, chegou a vez da indústria náutica fazer a sua parte. Na Itália, até a Benetti Yachts decidiu entrar nessa corrente. Depois dos impactos da pandemia, uma das prioridades desse tradicional estaleiro tem sido a adoção de medidas sustentáveis.

“Entregamos nossa paixão duradoura pelo mar e pela vela, combinando o artesanato italiano e a inovação em cada embarcação que projetamos e construímos”, diz Peter Mahony, gerente geral da Benetti Yachts Asia. “É tempo, dinheiro e recursos que achamos que valem a pena”.

Na verdade, os primeiros esforços de sustentabilidade da Banetti se iniciaram em 2002, com a introdução do primeiro sistema de propulsão híbrido diesel-elétrico no megaiate Ambrosia, de 65 metros. Desde então, o estaleiro tem enfatizado a utilização de recursos na busca da preservação ambiental.

Ambrosia 65

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

“Felizmente, a missão da Benetti é apoiada por uma tendência crescente em toda a Ásia por opções inovadoras e com visão de futuro. Com uma embarcação Benetti, temos um ponto ideal, no qual a tecnologia de consciência verde encontra a máxima qualidade e conforto, o que é possível através da inovação e pesquisa constantes”, explica Mahony.

Leia também

» Teste Azimut 27 Metri: um dos maiores e mais modernos iates feitos no Brasil

» Megaiate Boss une luxo e design esportivo em 262 pés. Confira

» Estaleiro holandês lança primeiro modelo de 2021: um superiate de 200 pés. Conheça

A maior aposta do estaleiro é na instalação de motores híbridos, visando um consumo menor de combustíveis prejudiciais ao ecossistema. Para isso, foram utilizados materiais e componentes escolhidos a dedo pelos projetistas. Dois exemplos claros desse investimento são o Luminosity (maior híbrido do mundo), de 107 metros, e o Benetti B.Yond, de 37 metros, que representa a primeira investida da Benetti em iates adequados para cruzeiros de longo alcance

Luminosity 107

É claro que as soluções não poderiam se restringir aos produtos finais: a empresa também implementou recursos ​​nas instalações de Livorno e Viareggio para aumentar a eficiência energética e reduzir a poluição e o desperdício. Entre as novidades estão as novas estações de alta potência para gigayachts, de mais de 100 metros, para reduzir o consumo de combustível, além da substituição de lâmpadas incandescentes por lâmpadas LED; a instalação de usina fotovoltaica e sistema solar térmico para redução dos gases de efeito estufa; e o isolamento dos galpões do estaleiro Livorno com revestimento para aumentar a eficiência energética nos níveis térmico e acústico.

Copa do Milênio da Nova Zelândia

Fora de suas instalações, na mesma pegada ambiental, a Benetti Yachts continua a atuar como patrocinador ouro da regata 2021 da Copa do Milênio da Nova Zelândia: uma regata limpa, certificada, que capacita os velejadores com dicas e recursos para implementar iniciativas de sustentabilidade.

Gostou desse artigo? Clique aqui para receber o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e leia mais conteúdos.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Adegas rifam vinho de R$ 5 mil, envelhecido no fundo do mar, para ajudar RS

    Empresas já arrecadaram mais de R$ 100 mil com bilhetes vendidos a R$ 10 cada

    Temporada de baleias: confira regras e onde avistar o animal no Brasil

    De junho a novembro, cetáceos saem da Antártica em busca das águas brasileiras para se reproduzirem

    Cidade perdida no meio do Pacífico tem localização remota e mistério sobre sua construção

    Localizada sobre um recife de corais, a cidade perdida de Nan Madol tem fama de "amaldiçoada" e intriga cientistas

    Registro raro: lula de mar profundo ataca câmera com tentáculos “acesos”; assista

    Filmagem mostra animal sendo atraído por isca presa a uma câmera a mais de mil metros de profundidade no Pacífico Sul

    Ex-dono da lancha de JK largou tudo para resgatar de jet mais de 150 animais no RS

    Gerard Souza contou à NÁUTICA sobre os onze dias de voluntariado intenso nas regiões afetadas pelas enchentes