Navio movido pela força dos ventos faz sua primeira viagem pelo mundo

Por: Redação -
13/03/2020

Imagine um navio que, além dos cavalos do motor, também seja impulsionado pela força dos ventos. Convidativo, não? Esse navio existe. Construído na Holanda, o cargueiro MV Ankie fez sua primeira viagem movido por um sistema de energia eólica chamado Ventifoil.

Desenvolvido pela empresa eConowind, esse sistema consiste de uma estrutura em forma de asa com abertura e ventiladores internos. Ao sugar o ar, seus ventiladores criam uma força propulsora, permitindo à embarcação reduzir a potência do motor e, assim, economizar energia. Nesse navio, foram instaladas duas torres de 10 metros de altura cada.

O MV Ankie partiu da cidade holandesa de Delfzijl rumo a Hamburgo, na Alemanha, e de lá para a Noruega, de onde retorna para Roterdã. Em uma segunda etapa, suas torres de energia eólica serão estendidas por mais seis metros. O objetivo é a reduzir cada vez mais a emissão de gases de efeito estufa e, com o aperfeiçoamento da tecnologia, até zerar a emissão de monóxido de carbono, um dos responsáveis pelo aquecimento global.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Público do Rio Boat Show 2024 tem desconto exclusivo em hotel oficial

    Bem localizado, Novotel Leme oferece condições especiais para visitantes do salão náutico mais charmoso da América Latina

    Visita de mergulhador a restos de baleia vence concurso de fotos subaquáticas do mundo; veja imagens

    Competição de fotos de dentro do mar acontece anualmente e conta com diversas categorias

    Filmagem de primeiras ondas de tsunami na Tailândia viraliza 20 anos após desastre

    De férias no local, homem filmou, sem saber, o início do fenômeno de 2004; assista ao vídeo

    Memória Náutica: relembre como foi o Rio Boat Show do ano 2000

    Terceira edição do evento teve de lancha sendo construída ao vivo a tanque de mergulho de 5 m de profundidade

    Com propulsão eólica, Airbus terá frotas marítimas contra emissões de dióxido de carbono

    Gigante da indústria aeroespacial terá velas rotativas e motores biocombustíveis; entenda