Pela primeira vez, Bahia será sede do próximo campeonato de HPE 25 Brasileiro

Divididas em duas etapas, as disputas de vela acontecerão em dois locais da Baía de Todos-os-Santos

21/10/2022
Foto: Competição de HPE25/ Reprodução: Aratu Iate Clube

No próximo mês de novembro, acontecerá na Bahia pela primeira vez o campeonato brasileiro de HPE 25, uma das classes de veleiros que mais cresce no país.

 

Mais de 30 embarcações são esperadas no evento, com velejadores de diversos estados competindo entre si nas águas nordestinas.

O Campeonato Brasileiro da Classe HPE será dividido em duas etapas. A primeira delas acontece entre os dias 1 e 3 de novembro, no Porto Salvador Marina, onde acontecerão as primeiras regatas e o show de abertura.

Já nos dias 4 e 5 serão realizadas as finais das regatas, a premiação e o show de encerramento. O Aratu Iate Clube, em Simões Filho, vai abrigar essa segunda etapa.

 

Este já é o 17° evento desta classe, porém é o primeiro realizado no Nordeste do país.

 

O Aratu Iate Clube, que promove a iniciativa, conta que está investindo cada vez mais no desenvolvimento da vela baiana, assim como em competições náuticas, que englobam desde as atividades propostas pela Escola de Vela, voltada para crianças e jovens, até grandes eventos, como a tradicional regata de Aratu-Maragojipe.

Segundo o gerente do Aratu Iate Clube, André Costa, esta classe é uma das que mais se consolida no Brasil.  “Hoje temos uma das maiores flotilhas do Brasil, com mais de dez barcos. Estes barcos são exatamente iguais, por isso os tripulantes têm suas técnicas, que muitas vezes são determinantes na hora da vitória”, afirmou.

Durante as competições, haverá participações de campeões mundiais e velejadores olímpicos. É o caso dos baianos Juliana Duque e Rafael Martins, medalhistas do Pan-americano de 2019, em Lima. Eles serão tripulantes no barco paulista Mussulo, de José Guilherme Pereira Caldas.

 

O experiente Maurício Santa Cruz, tetracampeão mundial da modalidade J24, irá participar junto com Alberto Guarischi na tripulação do Three Musketeers, do Rio de Janeiro.

Já representando a cidade turística de Ilhabela, o barco Crazy Phoenix, do velejador Mario Lindenhayn, contará com a ajuda de Eduardo “Dudu” Melchert, que levou prata nos jogos pan-americanos de Havana, em 1991, e competiu também nas Olímpiadas de Barcelona, em 1992 — ambas pela classe 470.

 

Jorginho Zarif, multicampeão mundial da classe Finn e competidor das Olímpiadas de Londres, em 2012, e do Rio de Janeiro, em 2016, estará auxiliando o veleiro paulista Saci, de Fabio Cotrim.

 

O presidente nacional da classe de HPE 25, Cassio Ashauer, afirma que confirmar a Bahia como sede local do evento é um sonho antigo de sua equipe.

 

A Bahia tem algumas características importantes nessa conquista em sediar esta competição, além de quebrar a hegemonia de apenas Rio de Janeiro e São Paulo serem sempre a base. Fazer tudo isso na Baía de Todos-os-Santos é um sonho antigo nosso – Cassio Ashauer.

 

Cassio pontua que a flotilha está com uma expectativa alta para a programação agitada das disputas.

 

*Por Felipe Yamauchi, sob supervisão da jornalista Denise de Almeida

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Submarino da Marinha dos EUA utilizado na 2ª Guerra Mundial é encontrado no mar da China

    Embarcação perdida em combate há quase 80 anos estava a 900 metros de profundidade em posição vertical

    Primeira turma de mulheres na Marinha lança livro com vivências e bastidores

    Obra dividida em quatro capítulos relembra o pioneirismo das 307 jovens que se tornaram as primeiras praças na força armada

    Bilionário planeja visita ao Titanic e chama submarino que implodiu de "engenhoca"

    Larry Connor está construindo um submersível capaz de alcançar 3,7 mil metros de profundidade

    Novo aquário da China promete animais marinhos em ambiente de sonho

    Espaço de 140 mil m² prevê receber 3,5 milhões de pessoas por ano a partir de 2027, quando inaugurar

    Teste Solara 380 Bowrider: lancha encanta com amplos espaços e boa navegabilidade

    Muito agradável para uso externo, a nova embarcação tem aberturas laterais na popa, solário triplo e cockpit espaçoso