Teste Victory 300 Ride: lancha tem casco pescador e conforto de barco de passeio

Com 30 pés e console central, modelo é embarcação na medida para quem gosta de navegar bem nos dois mundos

Por: Redação -
12/04/2023

Seja você um pescador nato ou um fã de lanchas de passeio, a Victory 300 Ride (denominação para linha de passeio da marca) mostra que barcos de pesca e de passeio podem fazer parte do mesmo programa.

 

Isso porque essa 30 pés de console central é uma legítima pesqueira, com casco cortador de ondas próprio para navegar em águas azuis, longe da costa, mas também tem acomodações, espaço e uma série de itens de conforto para cruzeiros em família.

Comandado por um time de feras tanto na construção de barcos como em navegação, o estaleiro tem como característica a polivalência — importante nos casos em que nem todos os passageiros estão interessados em pescarias. Dessa forma, a Victory Yachts busca pesquisar e entender as expectativas dos potenciais compradores, ficando aberta a sugestões para melhorar e aprimorar os seus modelos.

 

Além disso, também se baseia, é claro, na experiência de seus diretores, projetistas e gerentes comerciais — todos capitães de oceano, que, juntos, somam mais de 200 mil milhas náuticas navegadas.

Das instalações da empresa, em Santa Terezinha do Itaipu, no Paraná, saem oito modelos de lanchas, abertas ou cabinadas. Todas elas são laminadas quase que 100% por infusão a vácuo, com a injeção de espuma de Divinycell, inclusive abaixo da linha d’água. Todo esse processo resulta em cascos mais fortes, leves e resistentes.

 

Apenas as caixas de peixes e de gelo, sem função estrutural, não estão inseridas nessa técnica.

 

 

Outro detalhe importante: segundo o estaleiro, todos os barcos da Victory Yachts são construídos em protótipos em escala real. Posteriormente, são testados exaustivamente antes de ir para a linha de produção, com o projeto podendo ser abortado antes de passar para próxima fase.

 

Caso seja detectado algum problema, os técnicos avaliam a possibilidade de aprimoramento do projeto, fazem as modificações necessárias e voltam a testá-lo, até a aprovação final. Graças a isso, a marca construiu uma reputação de confiabilidade.

A faixa de tamanho da Victory 300 Ride — que tem 9,15 metros de comprimento e 2,96 m de boca máxima — é uma dos mais procuradas do mercado, por oferecer certos recursos e possibilidades de conforto não encontrados em lanchas de médio porte. É um patamar acima, um crescimento na escala náutica, um rito de passagem.

 

Em geral, são barcos que permitem levar cerca uma dúzia de pessoas a bordo, com a comodidade de uma cabine com banheiro de boa altura, o que significa levar a família inteira para passear.

 

No caso dessa 30 pés, contudo, por conta de seu DNA pescador, o estaleiro optou pela construção de um posto de comando central sem cabine, apenas com um banheiro fechado, de muito bom tamanho, por sinal.

O espaço economizado no interior, ao mesmo tempo, é compensado pelo aproveitamento total do convés, tanto na popa quanto na proa. Há ainda as bem-vindas passagens laterais do convés, típicas deste tipo de barco.

 

Além disso, com seu casco cortador de ondas e o tanque de 550 litros, oferece excelente desempenho e autonomia para buscar os peixes na faixa de 50 a 100 milhas fora da costa. Por consequência, isso faz dela uma lancha especialmente indicada também para quem gosta de navegar rápido — e ir mais longe.

Por ter console central, a Victory 300 Ride tem aproveitamento total do cockpit, tanto na popa quanto na proa. Não tem cabine, apenas um banheiro fechado, completo e de boa altura, camuflado debaixo posto de comando (com acesso por uma porta lateral a boreste), com vaso elétrico (opcional), ducha higiênica e pia. Mas falta uma ducha um pouco maior, em suporte na parede, para um banho rápido, ainda que sentado.

 

A Victory oferece configuração típica de uma lancha de pesca (com praça de popa bem espaçosa, costado alto, caixas para peixes, corredores livres para circulação e porta-varas na estrutura da capota) e ainda traz muitos recursos para conquistar quem prioriza os passeios com a família.

O cockpit, todo acolchoado, de acabamento caprichado, tem sofá de proa com mesa à frente — conjunto que, com o encaixe de uma peça, pode se converter em solário.

A lista de itens de conforto inclui ainda uma mesa rebatível na popa, bancos retráteis de quatro posições, geleiras nos dois bordos, porta-copos por todo lado e dois chuveirinhos de água doce, um na popa outro na meia-nau. E ainda há um encaixe para a churrasqueira, claro.

 

Entre os pontos positivos, destaque também para a grande quantidade de paióis. Praticamente todo espaço debaixo do convés pode ser aproveitado para guardar coisas, de boias a defensas, cabos e coletes.

Para o piloto e o copiloto há poltronas altas e confortáveis, com apoio total para as costas e boa regulagem do assento. Atrás dele, voltado para a praça de popa, há um espaço de apoio, com geleira grande, pia com acabamento com belas tampas de madeira e um enorme paiol próximo ao piso.

 

O hardtop é item de série. Muito resistente, além dos porta-caniços e equipamentos opcionais, como um radar, pode sustentar pranchas de stand up paddle, como no rack de um carro.

 

Nos dias chuvosos ou de muito calor, como extensão da capota T-top, é possível estender dois toldos, de acionamento elétrico ou manual, para cobrir a proa e a popa.

O fato de o casco ser laminado 100% por infusão a vácuo com Divinycell resultou em um barco cinco vezes mais resistente e três vezes mais leve que um modelo desse porte laminado manualmente. A Victory 300 Ride tem apenas 1,9 tonelada, sem os motores e os acessórios.

 

Como nada é perfeito, o tanque de água doce, de 60 litros, pode ser considerado pequeno para um barco que quer estar na lista da família. O ideal é que tivesse pelo menos 100 litros.

 

Além disso, a mola de sustentação da abertura da caixa de âncora precisa ser mais forte; se passar uma marola quando alguém estiver operando, a tampa poderá fechar acidentalmente.

Na motorização, de popa, o estaleiro oferece a opção de um motor de 300 hp ou dois de 150 a 300 hp cada. A unidade testada por NÁUTICA estava equipada com dois motores de popa de 200 hp cada.

 

O acesso aos motores, para quem está a bordo, é feito por uma passagem entre os dois bancos da popa. Já na plataforma, há uma escada de quatro degraus com dois pega-mãos, o que é muito bem-vindo.

Navegação da Victory 300 Ride

Navegamos com a Victory 300 Ride dentro e fora da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, em um dia de ondas de apenas meio metro de altura e ventos amenos. Estava equipada com um par de motores de popa de 200 hp cada.

 

Como o seu casco foi feito para enfrentar mares agitados, permitindo enfrentar mar aberto, recorremos ao velho truque de navegar na ondulação de outros barcos. Depois, saímos fora da barra da Baía de Guanabara.

 

Como era de se esperar, o casco (com V de 19 graus na popa, próprio para mares não tão mansos) cortou marolas dos outros barcos com muita facilidade, sem bater duro, muito pelo contrário, com uma suavidade de um barco equilibrado, com relação peso x potência excelente.

A embarcação repetiu a dose ao enfrentar ondulações maiores, na faixa de 1,20 m a 1,50 m, fora da baía. E voltou a fazer bonito na hora das manobras.

 

Extremamente na mão, a Victory 300 Ride fez curvas com facilidade, sem inclinar demais nem espirrar água no convés. Sem dúvida, é um barco macio, que responde rápido, e divertidíssimo, do ponto de vista de manobrabilidade.

 

Outro ponto positivo é a posição de pilotagem, excelente, com bancos altos, feito uma SUV dos mares. Até os comandantes com estatura abaixo de 1,70m vão adorar. Mesmo com pessoas sentadas no posto de comando, a visibilidade da navegação é excelente.

 

Acelerando forte os 400 hp, a velocidade máxima ficou acima dos 42 nós, a 5000 rpm. Com menor rotação (4500 rpm), a lancha entregou 37,9 nós na velocidade de cruzeiro, sem precisar ficar bebendo muita gasolina, o que é muito oportuno, nesses tempos de combustíveis caros.

 

Na aceleração, foi da marcha lenta aos 20 nós em impressionantes 4,5 segundos, velocidade de sobra para o propósito híbrido de uma lancha que, na aparência, já agradava bastante.

 

Em resumo, a Victory 300 Ride oferece recursos para passeios mais ousados, levando a família inteira a bordo. E com desempenho equivalente ao conforto que proporciona.

Saiba tudo sobre a Victory 300 Ride

 Pontos altos

  • Padrão de construção excelente;
  • Desempenho da navegação acima do esperado;
  • Ótimo nível de conforto e ergonomia.

Pontos baixos

  • Tanque de água doce é pequeno;
  • Mola de sustentação da tampa da caixa de ancora;
  • Chuveiro do banheiro poderia ser maior.

Características técnicas

Comprimento: 9,15 m
Boca: 2,96 m
Ângulo V na popa: 19 graus
Calado: 60 cm
Peso sem motor: 1.900 kg
Tanque de combustível: 550 litros
Tanque de água: 60 litros
Capacidade: 12 pessoas
Altura no banheiro: 1,75 m
Motorização: de popa
Potência: 2 x 150 a 300 hp ou 1 x 300 hp

Quanto custa a Victory 300 Ride

O preço da Victory 300 Ride é a partir de R$ 546 mil, com um motor de popa de 300 hp. Preço pesquisado em março/2023. Para saber mais sobre o modelo testado, acesse o site oficial da Victory Yachts.

 

Consultor técnico: Guilherme Kodja
Edição de texto: Gilberto Ungaretti
Edição de vídeo: Lucas Ribeiro
Fotos: Victor Oliveira e Divulgação

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Tanzanite: megaiate de 120 metros será um dos maiores já feitos na Holanda

    Novo carro-chefe do estaleiro Amels, embarcação de luxo será uma das maiores já feitas na Holanda

    Adegas rifam vinho de R$ 5 mil, envelhecido no fundo do mar, para ajudar RS

    Empresas já arrecadaram mais de R$ 100 mil com bilhetes vendidos a R$ 10 cada

    Temporada de baleias: confira regras e onde avistar o animal no Brasil

    De junho a novembro, cetáceos saem da Antártica em busca das águas brasileiras para se reproduzirem

    Cidade perdida no meio do Pacífico tem localização remota e mistério sobre sua construção

    Localizada sobre um recife de corais, a cidade perdida de Nan Madol tem fama de "amaldiçoada" e intriga cientistas

    Registro raro: lula de mar profundo ataca câmera com tentáculos “acesos”; assista

    Filmagem mostra animal sendo atraído por isca presa a uma câmera a mais de mil metros de profundidade no Pacífico Sul