Vídeo: casal encontra navio desaparecido há mais de 100 anos no fundo do mar dos EUA

Pesquisadores acreditam que barco seja o “África”, desaparecido em 1895, durante tempestade

23/10/2023
Foto: Inspired Planet Productions / Divulgação

O Lago de Huron, um dos cinco Grandes Lagos localizados entre os Estados Unidos e o Canadá, era o foco do casal Yvonne Drebert e Zach Melnick para um estudo sobre mexilhões. Mas a pesquisa acabou levando os dois a uma outra descoberta: o possível navio África, naufragado há quase 130 anos, ainda intacto em 85 metros de profundidade.

Segundo estudiosos, o navio África desapareceu ainda em 1895, após uma tempestade. Na época, a embarcação, que levava 11 marinheiros, estava na região para fazer o reboque de outro barco, o Severn. Nenhum dos tripulantes sobreviveu.

Foto: Inspired Planet Productions / Divulgação

Com a ajuda de um historiador e um arqueólogo marinho, o casal utilizou um veículo operado de forma remota para conseguiu medir a embarcação e obter mais detalhes sobre ela. Os destroços corresponderam às medidas do navio África, além de o barco encontrado estar carregado com carvão, a mesma carga da embarcação desaparecida em 1895.

Como se deu a descoberta

Melnick conta que o casal recebeu “uma informação de pessoas que fizeram um levantamento de peixes e notaram uma anomalia na leitura do sonar, basicamente uma ocorrência incomum no leito de um lago plano.”

Drebert e Melnick logo após a descoberta. Foto: Esme Batten / Divulgação

Com a localização da anomalia encontrada pelos cientistas pesqueiros, empacotamos nosso robô, pegamos alguns amigos e seu cachorro e partimos para o que pensamos que seria um passeio de barco no sábado –Drebert, produtora do Inspired Planet Productions 

Segundo o casal, o navio estava incrustado de mexilhões invasores, que se multiplicaram pelos lagos da região, danificando a área. Aliás, antes da descoberta do África, o trabalho do casal centrou-se nos impactos ecológicos dos mexilhões — que devastaram a pesca à volta dos Lagos.

Foto: Inspired Planet Productions / Divulgação

Foto: Inspired Planet Productions / Divulgação

Não pensamos no efeito que poderia ter no nosso patrimônio cultural. Os mexilhões realmente mudaram tudo nas águas profundas dos Grandes Lagos– Melnick, diretor de fotografia do Inspired Planet Productions

Foto: Esme Batten / Divulgação

Agora, as imagens da descoberta vão incrementar um novo documentário do casal junto a equipe do Inspired Planet Productions. Juntos, eles já criaram mais de 40 horas de documentários sobre natureza e história nos últimos 20 anos, como o documentário “All Too Clear”, que estuda o impacto que os mexilhões têm na região.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Sem deixar feridos, incêndio na Croácia atinge mais de 20 barcos

    Incidente ocorreu em marina na cidade de Medulin, no noroeste do país, no último dia 15

    Nova lancha da Azimut promete reduzir em até 40% as emissões de CO₂

    Batizada de Seadeck 6, embarcação foi apresentada em piscina no maior evento de design do mundo, na Itália

    EUA enviam ao Rio de Janeiro porta-aviões gigante de 333 metros; entenda

    USS George Washington atracou no Brasil como parte da operação Southern Seas, que visa incentivar a cooperação entre os países

    Em fase final de testes, Aquabus de Ilhabela transportaram 1,5 mil pessoas no fim de semana

    Novo sistema de transporte aquaviário contará com três catamarãs e capacidade para 60 pessoas em cada viagem; data de inauguração ainda não foi divulgada

    Italiana Rossinavi lança catamarã híbrido-elétrico de 43 metros

    Modelo nasce como “projeto mais inovador” do estaleiro, com tecnologias sustentáveis e até uso de Inteligência Artificial