Barco futurista tira oxigênio da água para virar submarino

Por: Redação -
18/07/2022

start-up italiana iSpace2o anunciou recentemente o início da produção de um barco futurista que não apenas navega na superfície, mas também se transforma em submarino. O modelo, chamado DeepSeaker DS1, possui uma tecnologia de ponta que permite extrair oxigênio da água enquanto ele estiver submerso.

Inicialmente projetado como um acessório para superiates, seus idealizadores enxergaram o potencial de mercado do barco e ele logo ganhou vida própria. O veículo poderá operar de forma totalmente independente, graças ao seu tamanho e peso compactos, ou ser facilmente transportado em um reboque ou alojado na garagem de um iate. Ele pesará cerca de 3.500 kg e terá um comprimento de 16,5 pés (5 metros).

Seu design combina elementos automotivos e aéreos. O cockpit deste brinquedo aquático poderá acomodar até 4 pessoas e terá um grande dossel que oferecerá aos passageiros uma ampla visão.

A motorização do DeepSeaker DS1 será totalmente elétrica, o que garantirá uma navegação com zero emissões e máximo respeito ao meio ambiente. Além disso, o modelo contará com hidrofólios que serão ativados quando o barco atingir uma velocidade de 23 nós (42,6 km/h). Quando se trata de mergulhos, ele poderá descer a profundezas abaixo de 50 metros, graças a um tanque de lastro inflável posicionado sob o cockpit.

VEJA TAMBÉM
>> Ingressos São Paulo Boat Show: garanta 20% de desconto na pré-venda

O maior destaque vai para o seu novo sistema de regeneração de oxigênio. Hoje, a maioria dos submarinos opera por tempo limitado debaixo d’água, pois conta com uma quantidade fixa de oxigênio. O DeepSeaker DS1 superará essa limitação, já que será capaz de recuperar o elemento separando-o da água e reabastecendo os respiradores no habitáculo, permitindo assim um maior tempo de submersão.

Passageiros podem ouvir mamíferos marinhos

O interior dessa engenhoca esbanjará mecanismos avançados, como um painel digital com tecnologia AR, câmeras Go-Pro a bordo, conectores para iPad, assim como hidrofones para ouvir mamíferos marinhos. A parte interna do cockpit é feita de carbono e encapsulada em uma caixa de aço coberta por um corpo termoplástico. Este ambiente protegido, juntamente com os airbags de perímetro, manterá os passageiros fora de perigo em caso de colisão.

Embora mal tenha saído do papel, o barco futurista já possui compradores: um dos maiores grupos internacionais de navegação encomendou as dez primeiras unidades DeepSeaker. O objetivo é proporcionar experiências subaquáticas emocionantes aos passageiros de seus navios de cruzeiro.

Giuseppe Carusi, CEO da iSpace2o, exalta o papel da empresa no cenário náutico atual: “A tecnologia já está madura e esse tipo de barco está se tornando cada vez mais popular em todo o planeta. A iSpace2o tem a capacidade de se posicionar no ápice deste mercado, graças a um altíssimo nível de tecnologia e um design único, fatores que nem sempre são encontrados nos produtos de concorrentes”.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Em fase final de testes, Aquabus de Ilhabela transportaram 1,5 mil pessoas no fim de semana

    Novo sistema de transporte aquaviário contará com três catamarãs e capacidade para 60 pessoas em cada viagem; data de inauguração ainda não foi divulgada

    Italiana Rossinavi lança catamarã híbrido-elétrico de 43 metros

    Modelo nasce como “projeto mais inovador” do estaleiro, com tecnologias sustentáveis e até uso de Inteligência Artificial

    Schaefer Yachts anuncia barco que não afunda, ideal para resgates em alto-mar

    Com o nome de Interceptor 48 Pilot, novidade é fruto de parceria com a empresa irlandesa Safehaven Marine

    Criatura de 18 metros está impactando a cadeia alimentar da vida marinha; entenda

    Gelatinoso e transparente, os "picles do mares" causam perturbações no ecossistema durante as ondas de calor oceânicas e preocupam cientistas

    Minas Gerais ganhará bar flutuante de vinhos na Represa do Funil

    Com o nome de Almas Gerais, iniciativa tem previsão de entrega em julho de 2024 e faz parte do milionário projeto Enovila