Cidade flutuante em formato de tartaruga é novo projeto de estúdio italiano

Lazzarini Design mostra detalhes de projeto de embarcação elétrica que poderá acomodar mais de 60 mil pessoas

15/11/2022
Divulgação

Uma cidade flutuante com desenho de tartaruga marinha e capaz de levar 60 mil pessoas a bordo. O estúdio italiano Lazzarini Design, comandado por Pierpaolo Lazzarini e famoso por embarcações inovadoras, acaba de divulgar o conceito de um ambicioso projeto.

Reprodução

Batizado de Pangeos, a embarcação tem 1.800 pés (cerca de 550 metros) de comprimento e sua largura atinge os 2.000 pés (610 metros) — mais do que megaiate, seria um teraiate. Com todo esse tamanho, poderia acomodar confortavelmente mais de 60 mil pessoas e funcionar como uma cidade flutuante dos oceanos, oferecendo todas as comodidades que um resort seria capaz.

 

O nome do projeto serve como uma homenagem à Pangea, o supercontinente que existiu há milhares de anos, entre os períodos Paleozóico e o início do Mesozóico.

Reprodução

Desde 2009, Pierpaolo cria este projeto visionário de luxo e autossustentável. Nas suas projeções, a tartaruga gigante terá uma espécie de portão, o qual permitirá a entrada de iates no Pangeos, para que os navegantes possam desfrutar dos privilégios embarcados. Suas instalações incluem: resorts, shoppings centers, helipontos, hangares, jardins, clubes, praias artificiais e até infraestrutura para carros elétricos.

 

 

Por seu porte colossal, tirar o projeto do papel demandaria a construção de um estaleiro próprio, já que nenhum estaleiro atualmente teria condições de construir o Pangeos. Até o momento, todo o desenho ainda está na sua fase inicial e não há muitos detalhes de suas partes internas.

 

O designer, entretanto, já disse que toda a construção poderia ser entregue em até oito anos, custando mais de US$ 8 bilhões — o equivalente a R$ 42 bilhões (valores convertidos em novembro de 2022).

Reprodução

Para movimentar toda a cidade itinerante, serão instalados nove motores HTS, com cada um fornecendo quase 17 mil hp. A velocidade máxima será de 5 nós, cerca de 9 quilômetros por hora. Uma solução encontrada para obter um maior ganho de energia é a instalação de painéis solares  no topo da embarcação, bem como usar energia a partir da força das ondas.

 

O casco do Pangeos será de aço, com 30 mil células individuais em sua estrutura, tornando-o inafundável, segundo seu criador.

Lazzarini deve lançar o Pangeos no Metaverso no início de 2023, através de uma série de NFTs, com credenciais para acessar propriedades virtuais. Essas mesmas credenciais servirão como depósito para uma propriedade física, se a embarcação for efetivamente construída. Há ainda a opção de participar de um financiamento coletivo.

 

Por Felipe Yamauchi, sob supervisão da jornalista Denise de Almeida

 

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Tags

    Relacionadas

    Mestra Boats exibirá grandes sucessos de 29 a 35 pés no Brasília Boat Show

    Estaleiro disponibilizará aos visitantes do evento náutico a Mestra 352 HT, seu maior modelo, e outros dois barcos bem resolvidos; confira

    No século 17, maior navio do mundo foi construído no Brasil e batizou o Aeroporto do Galeão

    Embarcação de guerra foi construída a pedido da coroa portuguesa, que buscava recuperar terras perdidas para a Espanha

    Ventura atracará com lanchas, pontoons e jets na estreia do Brasília Boat Show

    Conhecido pela variedade de produtos, estaleiro mineiro estará nas águas do Lago Paranoá de 14 a 18 de agosto

    6 ótimos motivos para você visitar o Brasília Boat Show

    O maior evento náutico do Centro-Oeste acontecerá de 14 a 18 de agosto, no Lago Paranoá

    Homem recupera Apple Watch que estava perdido no mar do Caribe há mais de um ano

    Aparelho foi encontrado ainda funcionando graças à ferramenta de localização do dispositivo