Cinco características do Tanna 47, caprichado catamarã produzido pela francesa Fountaine Pajot

Com estilo elegante e a promessa de ótimo desempenho, o barco foi exposto no Rio Boat Show 2023

10/05/2023

Os catamarãs do estaleiro francês Fountaine Pajot são reconhecidos como os mais leves, resistentes e rápidos entre os multicascos produzidos em série. O Tanna 47, que esteve no Rio Boat Show 2023, não foge à regra.

O estaleiro fundado em 1978, com sede em La Rochelle, é representado no Brasil pela GB Yachts, de Bruno Scotelaro. Confira os pontos de destaque deste barco.

5 principais características do Tanna 47

Alto desempenho

O Tanna 47 foi projetado para oferecer capacidade de resposta intuitiva ao timão (roda de leme) e desempenho inigualável em todas as condições de mar e vento.

Mérito do projeto, que oferece equilíbrio e estabilidade em qualquer velocidade, e do emprego de alta tecnologia no processo de produção, com o uso de Kevlar, fibra de carbono, Divinycell e infusão a vácuo.

Espaços integrados

Um piso único, sem degraus, integra toda a área social do Tanna 47, formada por três ambientes:  salão, cockpit e cozinha. Isso resulta em espaços amplos, limpos e unificados, e em muita mobilidade a bordo.

São 40 m² de área no mesmo nível, por onde se distribuem uma mesa de jantar para 12 pessoas no salão e uma mesa multifunção na cozinha, entre outros móveis. Na popa, há um grill a gás da Eno.

Uma bancada integra o cockpit e a cozinha – que, por sua vez, é completíssima, com refrigerador, icemaker, freezer vertical, dois refrigeradores de gaveta, forno a gás, micro-ondas e forno de quatro bocas.

Posição de comado

No Tanna 47 o comandante fica em uma posição privilegiada, intermediária entre o cockpit e o lounge deck, no convés de boreste, protegido por uma bimini.

Lounge deck? Sim, o Tanna 47 não tem flybridge e sim uma área de convivência em uma posição elevada, embora se assemelhe muito ao um fly mesmo. Esse detalhe do projeto foi fundamental para manter o centro de gravidade do barco mais baixo, o que melhora a estabilidade.

Pelo fato de estar nessa posição intermediária, o comandante não precisa descer pelo deque lateral para acessar o cockpit: entra direto, com toda segurança. 

Acabamento

O estaleiro oferece diversas opções de revestimento e combinação de cores, tanto no piso externo (madeira natural ou teca sintética) ou na parte interna (tecido de linho, couro sintético ou couro natural, por exemplo).

Isso sem contar a possibilidade de personalização, ou customização de alto nível, com a instalação de móveis de alto padrão e peças de design, de acordo como o estilo do comprador.

Plataforma de popa submersível

Fato raro em catamarãs, o Tanna 47 já sai de fábrica com uma plataforma hidráulica submersível, que desce 40 centímetros abaixo da linha d’água.

Desse modo, o barco cria uma praia particular e, ao mesmo tempo, permite içar um inflável de até 4 metros e 200 kg, por exemplo.

O sistema de comando wireless permite que o ocupante do bote, chegando do mar, controle toda operação de içamento sem ter de desembarcar.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Cruzeiro nudista pelo Caribe é aposta de empresa dos Estados Unidos; conheça

    Com previsão de lançamento em 2025, viagem sem roupa pelos mares custa a partir de R$ 10 mil, mas tem regras rígidas de convivência

    Robert Scheidt será o embaixador da 51ª Semana Internacional de Vela de Ilhabela

    Maior medalhista da história olímpica do Brasil estará no evento patrocinado pela Mitsubishi de 20 a 27 de julho

    Iate Clube Armação de Búzios anuncia eleitos para a nova gestão; confira

    Em eleição realizada na última segunda-feira (13), o medalhista olímpico Marcos Soares foi nomeado o novo comodoro

    Brasileiro fez imagens inéditas de baleia que quase foi extinta: "indescritível"

    Documentarista flagrou uma das baleias mais rápidas do mundo no mar da Patagônia

    Venda de ingressos para o Marina Itajaí Boat Show 2024 já está aberta; garanta o seu

    Segunda edição do evento está ainda maior, com mais expositores e em formato de circuito 360º sobre a terra e as águas