Conheça o animal marinho que faz fotossíntese e parece ter saído de “Pokémon”

Espécie de lesma-do-mar, a ovelha-de-folha é pequenina, mas tem feito sucesso nas redes sociais

24/10/2023

Um animal minúsculo, com mini olhos pretos quase que colados um ao outro, tentáculos compridos que lembram orelhas, estruturas verdes chamadas ceratas e um poder: fazer fotossíntese. Parece a descrição de um personagem de Pokémon, mas, na verdade, essa é a ovelha-de-folha, uma espécie de lesma-do-mar.

O mini animal, que recentemente chamou atenção dos internautas em uma publicação do Greenpeace Canadá, foi descoberto ainda em 1993, segundo o NCBI-NLM (Centro Nacional de Informações sobre Biotecnologia da Biblioteca Nacional de Medicina) dos Estados Unidos. Mesmo assim, poucas pessoas conhecem a ovelha-de-folha.

Com nome científico de Costasiella kuroshimae, o animal costuma viver em climas tropicais. Seus dois rinóforos no topo da cabeça se parecem com duas orelhas e, uma assimilação à orelhas de ovelha, fez surgir o nome “ovelha-de-folha.” A espécie tem tamanho que vai de 5 milímetros a apenas 1 centímetro de comprimento.

 

 

Encontrada em águas próximas ao Japão, Filipinas e Indonésia, o animal foi visto pela primeira vez na ilha japonesa de Kuroshima. Amplamente distribuído pela Ásia, ele já foi avistado em Singapura, Tailândia e no Triângulo de Coral, área considerada o berço mundial da biodiversidade marinha, que pega águas da Indonésia, Malásia, Filipinas, Papua Nova Guiné, Ilhas Salomão e Timor-Leste.


Esse é um dos únicos animais no mundo capazes de realizar fotossíntese, ainda que de maneira indireta. Ao se alimentar das algas Avravillea — também o local onde esses animais vivem — , a ovelha-de-folha “rouba” os cloroplastos (organelas nas quais o processo de fotossíntese é realizado) e os incorporam em seu próprio organismo, num processo raro chamado cleptoplastia.

Indispensável à transformação de energia solar em química, o cloropasto ingerido pelo animal faz com que a ovelha-de-folha consiga complementar sua dieta através da fotossíntese, que geralmente só é feita pelas plantas.

Imagine que você comeu uma salada e manteve o cloroplasto em seu sistema digestivo, então você só precisa se colocar no sol para fazer alimento. É conveniente para a sobrevivência – Miguel Azcuna, professor assistente da Universidade Estadual de Batangas

 

A pesca ilegal e o acúmulo de plástico nos oceanos tem colocado em risco a vida das ovelhas-de-folha. Apesar de ainda de não aparecer na lista de animais em extinção, esse pequeno ser tem sofrido as consequências também das alterações climáticas causadas pelo aquecimento global, que causam tempestades e tufões capazes de arruinar as algas que servem como sua moradia.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    E-combustíveis para o setor marítimo podem gerar 4 milhões de empregos, diz pesquisa

    Estudo foi encomendado pelo Fórum Marítimo Global e indica que as vagas serão abertas até 2050

    Futurista e feita de titânio: conheça a lancha de 55 pés que parece uma nave espacial

    Com estilo contemporâneo, será a primeira embarcação lançada pelo estaleiro Mirrari, dos Emirados Árabes Unidos

    Litoral de São Paulo e do Rio pode ter ondas de até 3 metros neste sábado (18)

    Alerta da Marinha do Brasil vale para as cidades de Santos e Campos dos Goytacazes; confira dicas de segurança em caso de ressaca marítima

    Projeto na Croácia quer criar cinco vilas ecológicas de luxo à beira mar com direito a barcos elétricos

    Ideia da eD-TEC visa redefinir o conceito de vida de luxo, oferecendo energia solar às moradias durante os 365 dias do ano

    Criança de 11 anos encontra fóssil de ictiossauro pré-histórico, o maior réptil marinho que já existiu

    Com a companhia do pai e pesquisadores, garota ajudou a desvendar a vida marinha de 200 milhões de anos atrás