Alerta: aquecimento global está mudando a cor dos oceanos

Segundo pesquisadores, os oceanos da Terra estão ficando mais verdes -- e isso não é um bom sinal

19/07/2023

Um mundo mais verde seria o futuro ideal – mas não da forma que está acontecendo. Analisando imagens de satélite, cientistas dos Estados Unidos e Reino Unido concluíram que os oceanos da Terra estão mudando de cor e ficando mais verdes. E o motivo disso são as mudanças climáticas causadas pelo aquecimento global.

As imagens analisadas pelos pesquisadores são oriundas de 20 anos de registro do satélite MODIS-Aqua. Em artigo publicado na revista Nature, os cientistas dizem que “a refletância de sensoriamento remoto e, portanto, a ecologia da superfície oceânica, mudou significativamente em uma grande fração do oceano nos últimos 20 anos.”

A modificação na cor dos oceanos, segundo os estudiosos, é provocada pelas mudanças climáticas. O aquecimento das águas causa o aumento dos fitoplânctons, que usam clorofila verde para fotossíntese, o que explica o tom mais esverdeado dos oceanos.

 

Apesar dos fitoplânctons apresentarem grande importância para o meio ambiente, uma vez que são fotossintetizantes e garantem — entre outros benefícios — , a oxigenação da água, sua presença em excesso pode criar zonas mortas hipóxicas (extensões de água com pouco ou nenhum oxigênio), em que apenas alguns organismos conseguem sobreviver.


Além disso, os fitoplânctons impactam a quantidade de luz que penetra na coluna d’água. Assim, quando presentes de forma exagerada, esse conjunto de micro-organismos causa uma diminuição de luz no ambiente, trazendo danos às espécies que ali vivem.

 

De acordo com a pesquisa, muitos animais acabam sufocando e morrendo em meio às manchas verdes. Um estudo publicado na revista Science em 2018 mostrou que o tamanho das áreas sem oxigênio nas águas abertas do oceano quadruplicou desde meados do século 20.

Efeitos a longo prazo

Apesar do estudo já trazer algumas conclusões, outras consequências a longo prazo ainda precisam ser avaliadas. Os pesquisadores consideram que serão necessárias três décadas de observações para detectar as mudanças nos ecossistemas oceânicos.

 

“Em conjunto, esses resultados sugerem que os efeitos das mudanças climáticas já são sentidos nos ecossistemas microbianos marinhos de superfície, mas ainda não foram detectados”, escreveram os pesquisadores.

 

Vale ressaltar que esverdeamento do oceano foi particularmente mais perceptível ao redor da linha do Equador, linha imaginária que circunda a Terra, dividindo o planeta nos hemisférios Norte e Sul.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Sem deixar feridos, incêndio na Croácia atinge mais de 20 barcos

    Incidente ocorreu em marina na cidade de Medulin, no noroeste do país, no último dia 15

    Nova lancha da Azimut promete reduzir em até 40% as emissões de CO₂

    Batizada de Seadeck 6, embarcação foi apresentada em piscina no maior evento de design do mundo, na Itália

    EUA enviam ao Rio de Janeiro porta-aviões gigante de 333 metros; entenda

    USS George Washington atracou no Brasil como parte da operação Southern Seas, que visa incentivar a cooperação entre os países

    Em fase final de testes, Aquabus de Ilhabela transportaram 1,5 mil pessoas no fim de semana

    Novo sistema de transporte aquaviário contará com três catamarãs e capacidade para 60 pessoas em cada viagem; data de inauguração ainda não foi divulgada

    Italiana Rossinavi lança catamarã híbrido-elétrico de 43 metros

    Modelo nasce como “projeto mais inovador” do estaleiro, com tecnologias sustentáveis e até uso de Inteligência Artificial