Você sabe porque o Green Peace está jogando pedras no mar?

Por: Redação -
11/03/2021

O Bottom Trawling é um método de pesca agressivo que não faz distinção entre os espécimes marinhos no momento da atividade. Imensas redes de pesca são jogadas no mar — com a altura de um prédio de três andares e a largura de um campo de futebol — e são arrastadas até varrer uma quantidade considerável (centenas de toneladas) de vida marinha em seu caminho.

O problema é que esse procedimento destrói ecossistemas inteiros por onde passa e, os animais que não vêm a falecer instantaneamente, acabam morrendo ao voltar pro mar. Existem, inclusive, os Supertrawlers, que fazem todo esse trabalho com redes ainda maiores, e com aparato pronto para congelar e armazenar os peixes destinados ao consumo humano.

greenpeace bottom trawlingInscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

Tudo isso tem ocorrido de forma exacerbada, principalmente na costa do Reino Unido. E foi aí que o Greenpeace resolveu intervir. A solução? Lançar pedras imensas no oceano.

O Greenpeace é uma organização não governamental (ONG) focada, especialmente, em pautas relacionadas ao meio ambiente. Apesar de ter sua sede principal na Holanda, o Greenpeace possui escritórios espalhados em mais de 55 países mundo afora, atuando onde for preciso.

Leia também

» Especialista na construção de barcos, Jorge Nasseh publica novo livro sobre Infusão a Vácuo

» Marca do grupo italiano Azimut aumenta investimentos em iates de baixa emissão de carbonos

» Estúdio Italiano cria barco com casco inovador em prol da acessibilidade

greenpeace bottom trawling

A ONG, que é reconhecida mundialmente pelo seu incrível trabalho pró meio ambiente, recorreu a recursos extremos. A esperança é de que, com essas pedras pelo caminho, a prática diminua, devido ao risco de danificar o equipamento de pesca.

A indústria pesqueira ainda tentou recorrer, classificando as ações como ilegais e perigosas. Ela alega que, caso alguma embarcação venha a laçar alguma dessas pedras, existe o risco de virar o navio inteiro e colocar toda uma tripulação em risco. O Greenpeace, todavia, já havia se preparado: antes mesmo dessa afirmação, já forneceu a localização exata de cada pedra às autoridades marinhas.

A esperança da ONG é de que essa atitude sirva pelo menos para atenuar a atividade. Muitos animais são capturados acidentalmente nessa pesca, como tartarugas e arraias, e acabam sendo vítimas de um destino cruel.

O Greenpeace denunciou ainda que, numa carta, datada de 25 de setembro de 2020, o governo do Reino Unido não assumiu nenhum compromisso tangível” para proteger adequadamente o local em que a pesca ocorria, e solicitou formalmente que a ONG “não fizesse mais depósitos” de rochas.

greenpeace bottom trawling

O Bottom Trawling é um método utilizado por pesqueiros em todo o mundo, principalmente por instituições que visam o lucro máximo e negligenciam as consequências a longo prazo para essa ecodevastação.

Em um comunicado, a organização afirma que os blocos são de um tipo de rocha que ocorre naturalmente na região e que elas não causarão nenhum dano ao local. A ação recebeu o apoio de várias celebridades, que assinaram as rochas, como Stephen Fry e Hugh Fearnley-Whittingstall.

Por Naíza Ximenes, sob supervisão da jornalista Maristella Pereira.

Gostou desse artigo? Clique aqui para receber o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e leia mais conteúdos.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Peixe-lua encontrado em praia dos EUA pode ser o maior já registrado na história

    Espécie rara de 2,2 metros foi encontrada já sem vida na cidade de Gearhart, no estado de Oregon

    Linda e precária: ilha no Caribe Colombiano é a mais densamente povoada do mundo

    Com 10 mil m² de área, Santa Cruz del Islote tem apenas 825 habitantes e sofre com turismo predatório

    Ilhabela deve ganhar 1ª usina de dessalinização de água de São Paulo em 2026

    Projeto prevê aumento de 22% no volume de água tratada no município, atendendo mais de 8 mil pessoas

    Descanso sobre as águas: hospedagem em barcos atracados é opção de lazer no litoral brasileiro

    Ideia dispensa a necessidade de carteira náutica e traz valores acessíveis para uma experiência pra lá de diferente

    Falkirk Wheel: conheça o elevador gigante para barcos que virou ponto turístico

    Construção na Escócia foi feita para driblar desnivelamento maior que um prédio de dez andares