Histórico porto Barão de Teffé será transformado em moderno complexo turístico

Projeto quer revitalizar área de 250 mil m² no porto de Antonina, no Paraná, que não é usada há 15 anos

13/10/2023

Um projeto prevê a transformação de uma área ociosa de 250 mil m², no porto de Antonina, no Paraná, em um moderno complexo turístico. Esse é o case Porto Barão de Teffé, apresentado por Eduardo Bekin, presidente da Invest Paraná — agência de promoção e atração de investimentos do governo do estado — durante o 8º Congresso Internacional de Náutica, realizado paralelamente ao São Paulo Boat Show 2023.

Para isso, a Portos do Paraná, empresa que administra os portos de Antonina e Paranaguá, conduz o processo de concessão onerosa da área para a iniciativa privada por um período de 20 por anos.

“O Estado do Panará acredita demais na indústria do turismo. Por isso, entre outras ações, decidimos pegar um porto que estava adormecido há 15 anos, em Antonina, que é o Barão de Teffé, licenciá-lo, revitalizá-lo e dar vida a um moderno Complexo de Turismo Náutico, a ser administrado pela iniciativa privada”, conta Bekin.

 

A atividade portuária já foi o principal motor econômico do município de Antonina e, apesar de continuar relevante, ocorre apenas na área do Porto Ponta do Félix.

Seu conjunto arquitetônico é testemunho de uma fase importante da economia do estado: o ciclo da erva-mate. Histórico, o porto Barão de Teffé foi fechado em 2008, por restrições à navegabilidade.

 

A ociosidade impactou significativamente a economia do município. A boa notícia é que a reversão desse quadro já está em andamento, após a abertura do processo de licitação.

 

A cessão desse espaço à iniciativa privada é inspirada nos modelos de revitalização do Cais do Valongo, em Santos, e do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro.

O projeto prevê a construção de uma marina, que poderá abrigar embarcações de diferentes tamanhos, com vagas secas e molhadas.

 

A marina terá posto de combustível náutico, equipe de profissionais especializados em manutenção, loja de conveniência e área de estacionamento.

 

Nas demais áreas poderão ser desenvolvidas atividades de lazer, cultura, esporte, comércio e serviços. Segundo o presidente da Invest Paraná, a expectativa é transformar Antonina “na Paraty paranaense”.


Confira os temas do 8º Congresso Internacional Náutica

Eduardo Bekin: Case Porto Barão de Tefé, Antonina/PR

Roberto de Lucena: Desenvolvendo o Turismo Náutico no Estado de SP

Aguilar Junior: Novo molhe de Caraguatatuba

Carlos Henrique Sobral: Turismo Náutico Brasileiro

Alessandro Miranda: Turismo Náutico Águas Interiores

Vinicius Lummertz: Turismo das Águas

Adriano Silva: Turismo Náutico em Joinville

Silvia Fernandes: Case da Marina VillaReal

Rubens José Belão: Turismo Náutico no Interior Paulista

Paulo Fax: Hidrovia Tietê Paraná 2023

Noeli Thomé: Píer Turístico de Itapema

Michele Castilho: Bandeira Azul nas Marinas e Praias

Pedro Bório: Visão Internacional: Eventos em Turismo Náutico

Jamille Consulin: Legislação Ambiental

 

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Catamarã elétrico de startup vence concurso e fará parte da autoridade marítima de Singapura

    Embarcação participa do projeto singapurense que pretende acabar com emissões portuárias até 2050

    Casas flutuantes em alta: conheça as mais luxuosas do mundo

    Inspire-se com cinco modelos das moradias sobre as águas que estão fazendo a cabeça dos milionários

    Com dois barcos de 19 pés, Ross Mariner mostra lançamento no Rio Boat Show 2024

    Boas opções de entrada, embarcações estarão no salão, de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória

    NÁUTICA Talks recebe Marina Bidoia, mais jovem velejadora a concluir a Refeno

    Velejadora realizou o trajeto Recife-Fernando de Noronha aos 24 anos, e vai levar experiência ao Rio Boat Show 2024

    Posto flutuante da rede Golfinho estará no Rio Boat Show 2024

    Loja de conveniência batizada de WayPoint também será apresentada de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória