Hora da Verdade

Por: Redação -
05/12/2014

Hora de decisão no Yacht Club de Ilhabela. Depois de sete finais de semana com regatas equilibradas e muita disputa, chega ao final a 14a. edição da Copa Suzuki Jimny/Circuito Ilhabela de Vela Oceânica. O sábado, dia 6, será muito movimentado na cidade conhecida como Capital Nacional da Vela. Em meio à confraternização, será feita a entrega do Troféu Dia do Marinheiro aos velejadores do Montecristo, Fita Azul (primeiro no tempo real) da Regata Volta à Ilha – Sir Peter Blake no último sábado, dia 29 de novembro, pela Capitania dos Portos de São Sebastião. Serão premiados também os vencedores de cada classe.

Responsável por movimentar os circuitos nacionais de vela oceânica, pela quantidade de barcos na raia, a classe HPE 25 tem sempre um favorito, principalmente quando as regatas são disputadas em sua casa. Foi assim na conquista da Ilhabela Sailing Week de 2014 e está sendo na Copa Suzuki Jimny, no mesmo local do litoral norte paulista: Ilhabela.

O Ginga e sua tripulação, ambos ‘nativos da ilha’, possuem afinidade que os coloca à frente dos demais concorrentes. “É uma questão de treinamento, por isso temos uma equipe estável”, justifica o comandante Breno Chvaicer, paulistano, porém, sempre presente nos treinos e regatas. “É importante a oportunidade que a vitória nos dá, para motivarmos as outras tripulações, mostrando que o treinamento e a manutenção do time são fundamentais para obter-se rendimento”.

O veleiro de Ilhabela lidera a Copa Suzuki Jimny com ampla vantagem. Venceu a maioria das regatas e soma 16 pontos perdidos, contra 37 do Fit to Fly e 43 do Suzuki Bond Girl, terceiro colocado. Ainda não é matematicamente o campeão, mas está bem próximo do título. “A última regata mostrou que não somos imbatíveis. O Fit to Fly estava na nossa frente e precisamos nos esforçar para ultrapassá-lo no contravento”, relata o comandante.

Breno comprova que o conhecimento da raia e a vontade de velejar fazem a diferença. “Eu venho para a ilha em quase todos os finais de semana e os outros três tripulantes são jovens de Ilhabela. Sempre que possível levamos o barco para a água”. Apesar da liderança folgada, a ordem do comandante para o próximo fim de semana é velejar como se o campeonato estivesse apenas começando. “A diferença de pontos não vai nos desmotivar. Iremos para as últimas regatas com a determinação de sempre: brigar pela vitória”.

Campeão da Ilhabela Sailing Week de 2011, com o bicampeão olímpico Robert Scheidt a bordo, o Atrevido faz campanha regular na XIV Copa Suzuki Jimny. Comandado por Fabio Bocciarelli, foi o terceiro na regata de percurso com 13 milhas (23 km) no último fim de semana. Ginga e Fit to Fly chegaram à frente. “Mais do que uma regata, foi um passeio. O vento ajudou e água estava limpa, transparente, como há muito tempo não via”, elogiou Bocciarelli.

Para o comandante do Atrevido, não há contestações sobre a hegemonia do Ginga. “Eles são muito bom de manobras. Treinam tanto que até parece estarem em campanha olímpica de HPE”, exagerou o responsável pelo barco vice-campeão na Ilhabela Sailing Week (atrás do Ginga), vice também no Campeonato Carioca e terceiro colocado no Brasileiro, no Rio de Janeiro. “Em 2015 o Brasileiro de HPE será em Ilhabela. Vamos trazer barcos de Brasília, Bahia, Rio, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, além da flotilha de São Paulo”, conclui Bocciarelli entusiasmado com a classe.

Ao contrário da HPE, as demais classes terão muita disputa neste final de semana. A classe C30 é liderada pelo CA Technologies, veleiro mais regular da temporada, mas as chances estão abertas para o Caballo Loco, com o Caiçara Porsche sustentando possibilidade apenas matemática.

Na ORC, com a vitória na Regata Volta à Ilha, o Orson, entrou na briga direta pelo título de 2014 com o Lexus/Chroma. Se repetir a performance neste final de semana ganhará a classe. Na IRC, o veleiro está sem segundo atrás do Rudá.

A classe RGS, sempre especial porque costuma reunir a maioria dos barcos inscritos, promete emoção nas últimas regatas do ano. Após as vitórias do Suduca (Geral) e do Boccalupo (Cruiser) na Regata Volta à Ilha, as divisões da classe estão mais equilibradas. A RGS tem como líderes, BL3 Urca (A), Asbar II (B), Zeppa (C) e BL3 Wind (Cruiser).

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Semana de Vela de Ilhabela: na BRA-RGS, vencedor cruzou linha de chegada após 12h de regata

    Percurso de Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil, de 55 milhas náuticas, foi marcado pela variação de vento; confira resultados gerais

    Lago Paranoá, palco do Brasília Boat Show, tem vila submersa e pequenas ilhas; conheça

    Fruto de um projeto arquitetônico, lago possui uma rica história e é ponto de lazer, pesca e esportes na região

    Marine Center atracará no Brasília Boat Show com produtos de primeira linha para barcos

    Considerada um dos maiores atacados náuticos do Brasil, empresa estará no salão que acontece de 14 a 18 de agosto no Lago Paranoá

    Raríssimas imagens flagram baleia azul amamentando filhote; assista

    Cenas também mostram cetáceos em outros momentos íntimos, que envolvem desde reprodução até ‘ida ao banheiro’

    Growdeck levará deques náuticos e acessórios à primeira edição do Brasília Boat Show

    Considerada uma das principais marcas de pisos náuticos no Brasil, empresa atracará no Lago Paranoá de 14 a 18 de agosto