Grupo Ferretti e Sanlorenzo anunciam sociedade para assumir Perini Navi

Por: Redação -
15/02/2021

O Grupo Ferretti e a Sanlorenzo anunciam a criação de uma joint venture para assumir a Perini Navi, que foi declarada falida pelo tribunal de Lucca em 29 de janeiro.

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

De acordo com nota divulgada, as duas empresas manifestaram interesse em formular uma oferta que inclua a aquisição das marcas italianas da Perini Navi, ativos e atividades, também, possivelmente, após a locação de uma unidade de negócios, de modo a garantir um trabalho mais ágil e rápida recuperação das atividades produtivas e manutenção dos níveis de emprego.

“Dia importante para a navegação italiana, para os funcionários e familiares da Perini Navi. Paixão, experiência e competências únicas que continuarão a ser protegidas desta forma. Assim como o negócio da Perini Navi, que hoje está tutelado, é composto por muitos fornecedores aos quais a serenidade será devolvida e assegurada”, comentou Alberto Galassi, CEO do Grupo Ferretti.

Leia mais:

>> México anuncia primeiro salão náutico em Cancún previsto para julho

>> Estaleiro genovês apresenta lancha customizada que promete ser a mais rápida da marca

>> Marine Broker é a nova representante exclusiva da NHD Boats em São Paulo

“O Grupo Ferretti busca constantemente a excelência e as competências que se integram às nossas: muitas vezes, como no caso de hoje, as encontramos na Itália. Temos a certeza de que nosso compromisso se traduzirá em um maior crescimento com efeitos benéficos no território e maior esplendor. Para a indústria italiana de iates. Também gostaria de sublinhar a importância histórica da aliança com a Sanlorenzo, em linha com o novo espírito de colaboração que existe no país: uma expansão benéfica do horizonte que nos permitirá aproveitar ainda mais oportunidades e sucessos”, concluiu Galassi.

Massimo Perotti, presidente executivo da Sanlorenzo, lembra-se de ter “iniciado a história profissional na navegação em Viareggio, precisamente no lugar e ano em que Perini Navi nasceu a poucos passos de distância”.

“Desde 1983, sempre olhei com grande admiração para o modelo de negócio desta extraordinária marca: barcos de excelente qualidade, rigorosamente feitos à medida para um número limitado de experientes especialistas em iates. Características únicas que anos depois encontrei em Sanlorenzo. Pelas semelhanças e com a forte determinação em salvar uma marca italiana com uma história incomparável, no interesse do território e de todos os stakeholders, antes de mais nada colaboradores e fornecedores, manifestei desde o primeiro momento a disponibilidade de Sanlorenzo para intervir para o seu relançamento”, disse Perotti.

“Hoje estou feliz por poder fazer isso em parceria com o Grupo Ferretti. Esta é uma aliança histórica para o nosso setor, que estou convicto que terá mais desenvolvimentos e será um exemplo para outras iniciativas que visam fortalecer a liderança do nosso setor no mundo”, concluiu.

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Peixe-lua encontrado em praia dos EUA pode ser o maior já registrado na história

    Espécie rara de 2,2 metros foi encontrada já sem vida na cidade de Gearhart, no estado de Oregon

    Linda e precária: ilha no Caribe Colombiano é a mais densamente povoada do mundo

    Com 10 mil m² de área, Santa Cruz del Islote tem apenas 825 habitantes e sofre com turismo predatório

    Ilhabela deve ganhar 1ª usina de dessalinização de água de São Paulo em 2026

    Projeto prevê aumento de 22% no volume de água tratada no município, atendendo mais de 8 mil pessoas

    Descanso sobre as águas: hospedagem em barcos atracados é opção de lazer no litoral brasileiro

    Ideia dispensa a necessidade de carteira náutica e traz valores acessíveis para uma experiência pra lá de diferente

    Falkirk Wheel: conheça o elevador gigante para barcos que virou ponto turístico

    Construção na Escócia foi feita para driblar desnivelamento maior que um prédio de dez andares