Conheça a recente jornada de Mike Horn à Groenlândia com veleiro construído no Brasil

Por: Redação -
27/01/2021
Mike Horn, depois da navegação, em terra - foto © Dmitry Sharomov

Enquanto o mundo estava trancado devido à pandemia de Covid-19, o explorador Mike Horn, de 54 anos, partiu a bordo de seu veleiro, em fevereiro de 2020, para a Groenlândia, onde ele e sua equipe ajudaram a conduzir algumas pesquisas científicas.

 

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

 

O experiente explorador e navegador já realizou diversas façanhas, tanto em mar quanto em terra. Uma delas, foi uma circunavegação de dois anos a bordo de seu veleiro explorador de 115 pés, que foi encomendado, projetado e construído no Brasil, o Pangaea.

 

“Pangaea é muito especial. Ele foi construído em Santos, no Brasil. Era importante para mim envolver trabalhadores que precisavam de renda”, disse Horn em entrevista ao site Sail World. Ele explica que, devido o cancelamento de todos seus eventos e viagens pela pandemia, sentiu uma necessidade de aventura.

Mike Horn a bordo do Pangaea – foto © Dmitry Sharomov

“Embora o mundo tenha sido encorajado a ficar em casa devido às restrições de viagens, pensei que aproveitaria ao máximo a liberdade que vem com a navegação”, explica. Além disso, Mike Horn queria incrementar e trazer um “algo a mais” nessa viagem.

 

“Pedi a um amigo meu que está envolvido em várias associações de pesquisa da vida marinha para se juntar a nós e nos ajudar a coletar dados”, pontua. Com isso, a aventura tinha um propósito maior, algo que segundo Horn é o ideal.

 

Nessa jornada, Mike Horn qualificou como ponto mais desafiador ter que se adaptar a essa nova forma de viajar. “Navegamos da França para a Irlanda, mas não conseguimos pisar em terra na Irlanda, o mesmo na Islândia. Foi apenas depois de completado o período de quarentena exigido que pudemos colocar os pés em terra em Svalbard, um mês depois”, disse.

Tripulação de Pangaea visita um iceberg – foto © Etienne Claret

Leia também

» Curso de observador de baleias lançado na Itália visa unir ambiente, turismo e ciência

» Organização holandesa anuncia parceria para limpar os rios mais poluídos do mundo. Entenda

» Guarujá quebra recorde como cidade mais certificada pela Bandeira Azul na América do Sul

 

Svalbard, que também esteve nas paradas dessa travessia, é um arquipélago no território ártico que pertence a Noruega, ao lado da Groenlândia. Quando em terra, a viagem se baseou em registros, de imagem e vídeo, dos animais predominantes na região, sobretudo de baleias.

 

Depois dessa viagem que durou um pouco menos de um ano, Horn já se vê entusiasmado para outro desafio. “Depois de passar um bom tempo nas altas latitudes no ano passado, meu próximo objetivo é descer para o sul em direção à Patagônia, para explorar os campos de gelo da Patagônia”, finaliza.

 

Por Gustavo Baldassare sob supervisão da jornalista Maristella Pereira

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Megaiate apreendido vira "batata-quente" para os Estados Unidos; entenda o caso

    Governo norte-americano quer vender embarcação e alega não ter condições de pagar manutenção

    Reveladas imagens inéditas de navio que afundou com seu capitão há 84 anos

    O graneleiro Arlington foi encontrado nos EUA e traz, além de imagens, a história do capitão que não quis se salvar

    Novo estudo mostra que baleia-azul está acasalando com baleias-comuns mais do que deveria; entenda

    Número até então desconhecido de animais com DNA híbrido colocou pesquisadores em alerta

    Conheça o Volitan, barco voador que está próximo de se tornar realidade na Amazônia

    Criado pela startup AeroRiver, embarcação deve chegar para o transporte de cargas e pessoas na região em 2026

    Conheça a história do "Titanic dos Alpes", navio a vapor que será resgatado 90 anos após naufragar

    Embarcação foi afundada propositalmente em 1933, no Lago Constança, na Europa