Com 9 motores no Rio Boat Show, Mercury vê o salão como oportunidade de “desmistificar o setor”

Marca apresentou equipamentos que foram dos 50 aos 600 hp, além de três opções elétricas

07/05/2024
Foto: Erik Barros Pinto/ Revista Náutica

Presente em mais uma edição do Rio Boat Show, a Mercury Marine atracou no salão carioca com um repertório recheado. Foram, ao todo, nove motores, dos 50 aos 600 hp, além de três opções do equipamento em versões elétricas, seguindo uma tendência mundial na qual a marca já está inserida há cerca de três anos.

Em entrevista à NÁUTICA, Felipe Maraschin, gerente sênior de pós venda da Mercury no Brasil, ressaltou que “participar do Boat Show, tanto no Rio quanto em São Paulo, é uma experiência muito especial”, uma vez que a marca tem “a oportunidade de expor produtos, ter contato com clientes e tirar dúvidas”. Segundo ele, existe uma “mística muito grande das pessoas que não estão na náutica” quanto ao setor.

Foto: Erik Barros Pinto/ Revista Náutica

É uma oportunidade única de desmistificar e mostrar que a náutica não é nenhum bicho de sete cabeças, e que está aberta a todos que tenham a curiosidade de entrar nesse mercado– destacou Felipe Maraschin

Falando em “mística”, os motores elétricos atualmente são os que mais trazem dúvidas ao público náutico. Nesse sentido, a Mercury lançou seu primeiro modelo do equipamento elétrico há cerca de três anos, e é uma das pioneiras do setor. Felipe conta que “sempre há muitos questionamentos, já que é uma novidade no mundo todo. As pessoas querem saber qual autonomia, capacidade de carga, qual a melhor aplicação”.

Foto: Erik Barros Pinto/ Revista Náutica

No mercado europeu essa é uma demanda que já existe a mais tempo, nos outros mercados ainda vai depender de algumas características locais. Porém, a demanda existe, e as pessoas estão interessadas– apontou Felipe

Além dos equipamentos elétricos, a empresa apresentou no salão náutico outros seis modelos de motorização: o V12 600 hp Verado — maior motor de popa do mundo –, o V10 400 hp Verado — primeiro motor de popa V10 do mercado –, o V8 300 hp, V6 200 hp SeaPro, uma opção de centro-rabeta e um lançamento de 50 hp de 4 tempos, pela primeira vez pela Mercury no mercado nacional.

Foto: Erik Barros Pinto/ Revista Náutica

De acordo com Felipe, aproximadamente 80% dos barcos do salão estavam equipados com motores Mercury, o que para ele valoriza o trabalho feito pela empresa e é “muito gratificante”.

Pretendemos estar nos Boat Shows sempre que pudermos, é um evento único, que representa o que há de melhor na náutica nacional– finalizou Felipe


Rio Boat Show 2024

O evento náutico mais charmoso do Brasil atracou nas águas da Baía de Guanabara, na Marina da Glória, recheado do que de melhor esse lifestyle pode oferecer. No Rio Boat Show 2024, o público conferiu os principais lançamentos e destaques do mercado, com barcos na água e test-drive de embarcações.

geral-aerea-rbs24-bx.jpg
Foto: Victor Santos/Revista Náutica

O repertório foi grande: lanchas, veleiros, iates, jets, motores, equipamentos, acessórios, decoração e serviços náuticos estiveram reunidos em um só lugar, ao lado de especialistas do setor, preparados para auxiliar todos os visitantes. Além disso, o Rio Boat Show exibiu destinos náuticos, artigos de luxo e quadriciclos.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Adegas rifam vinho de R$ 5 mil, envelhecido no fundo do mar, para ajudar RS

    Empresas já arrecadaram mais de R$ 100 mil com bilhetes vendidos a R$ 10 cada

    Temporada de baleias: confira regras e onde avistar o animal no Brasil

    De junho a novembro, cetáceos saem da Antártica em busca das águas brasileiras para se reproduzirem

    Cidade perdida no meio do Pacífico tem localização remota e mistério sobre sua construção

    Localizada sobre um recife de corais, a cidade perdida de Nan Madol tem fama de "amaldiçoada" e intriga cientistas

    Registro raro: lula de mar profundo ataca câmera com tentáculos “acesos”; assista

    Filmagem mostra animal sendo atraído por isca presa a uma câmera a mais de mil metros de profundidade no Pacífico Sul

    Ex-dono da lancha de JK largou tudo para resgatar de jet mais de 150 animais no RS

    Gerard Souza contou à NÁUTICA sobre os onze dias de voluntariado intenso nas regiões afetadas pelas enchentes