São Paulo inaugura estruturas náuticas de uso público para alavancar turismo

Municípios de Pereira Barreto, Três Fronteiras e Rubinéia deram início à primeira fase do Programa de Turismo Náutico

23/02/2024
Novas estruturas náuticas na cidade de Três Fronteiras. Foto: Victor Santos/Revista Náutica

O estado de São Paulo tem cerca de 50 reservatórios (somando-se lagos e represas) e 4.200 Km de rios navegáveis. Localizadas no entorno desse mar de água doce, pelo menos 120 cidades têm potencial para se destacar como autênticos paraísos do turismo náutico. Faltavam-lhes, porém, estruturas náuticas para que pudessem cumprir a profecia. Não falta mais.

Pereira Barreto, Três Fronteiras e Rubinéia, três cidades do extremo Noroeste do Estado, foram escolhidas para dar início à primeira fase do Programa de Turismo Náutico, um imenso projeto criado pela Secretaria de Turismo e Viagens de São Paulo (Setur-SP) com o objetivo de estruturar e fomentar o fluxo de visitantes a partir da qualificação da atividade náutica.

 

 

Por conta disso, pode-se dizer que o secretário de Turismo e Viagens de São Paulo (Setur-SP), Roberto de Lucena, passou um fim de semana inesquecível. No último dia 17, ele esteve na Estância Turística de Pereira Barreto, às margens do rio Tietê, onde deu o pontapé inicial ao projeto, ao lado do prefeito João de Altayr, do secretário municipal de Turismo, Igor Grespan, e de diversas autoridades, como o Capitão dos Portos do Tietê Paraná, Renato Luís Kodel.

Novas estruturas náuticas na cidade de Rubinéia. Foto: Victor Santos/Revista Náutica

“Com a inauguração desse moderníssimo conjunto de píeres de atracação, com recursos do Estado, estamos entregando aqui a primeira de uma série de 13 estruturas náuticas de uso público programada para este ano. O Turismo náutico é uma forma sustentável de desenvolver um destino e aproveitar as riquezas naturais que essa cidade tem, além de promover a consciência ambiental e de gerar emprego e renda para a população”, disse Lucena.

Novas estruturas náuticas na cidade de Três Fronteiras. Foto: Victor Santos/Revista Náutica

São passarelas, píeres flutuantes de atracação e sistemas de ancoragem construídos pela Metalu, com alumínio naval e madeiramento. “Os turistas que vinham para cá atrás de sol e pescaria agora encontrarão essa estrutura náutica maravilhosa, localizada na Praia Pôr-do-Sol”, comemorou o prefeito Altayr.

Novas estruturas náuticas na cidade de Pereira Barreto. Foto: Victor Santos/Revista Náutica

“Além de fomentar o turismo, esse sistema reafirma a identidade e vocação náutica de Pereira Barreto”, acrescentou o Secretário Municipal de Turismo, Igor Grespan, que — para inaugurar os píeres da cidade em grande estilo — recepcionou os convidados com um verdadeiro show da orquestra de sopro e percussão Facmol, grupo instrumental composto por estudantes de música e professores.

Novas estruturas náuticas na cidade de Rubinéia. Foto: Victor Santos/Revista Náutica

Na manhã do dia seguinte, foi a vez da cidade de Três Fronteiras inaugurar a sua estrutura náutica de uso público. Os equipamentos foram instalados no Parque Ecoturístico da Areia Branca, num braço escandalosamente limpo do Rio Paraná.

Novas estruturas náuticas na cidade de Pereira Barreto. Foto: Victor Santos/Revista Náutica

O evento teve a presença do prefeito de Três Fronteiras, Rubens José Belão, que disse que o número de embarcações na região saltou de 500, em 2020, para 900, em 2023. Com a implantação das novas estruturas, o fluxo de barcos e de turistas deve aumentar ainda mais.

Por sua vez, a administradora do Parque Ecoturístico da Areia Branca, Ludmila Martins, revelou que, antes da inauguração dos píeres, foi realizado uma espécie de evento teste. “Nesse ensaio, nada menos que 45 barcos atracaram na nossa estrutura náutica, o que dá uma boa ideia da sua importância para a cidade e para a região”, disse ela.

Novas estruturas náuticas na cidade de Três Fronteiras. Foto: Victor Santos/Revista Náutica

Na inauguração houve um novo encontro de embarcações — lanchas de até 44 pés navegaram de Três Fronteiras até Rubinéia, em um passeio de 20 minutos, levando a bordo o secretario Roberto de Lucena e diversos políticos da região.

 

Localizada quase na divisa com o Mato Grosso do Sul, na margem esquerda do Rio Paraná, Rubinéia passou a ser banhada pelas águas do Lago Artificial da Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira, ao longo dos quais se distribuem parque e praias.

Novas estruturas náuticas na cidade de Rubinéia. Foto: Victor Santos/Revista Náutica

Em uma dessas orlas — a gostosa Praia do Sol, propícia para banhos, pesca, esportes náuticos — foi instalada a estrutura náutica da Metalu, inaugurada já no início da tarde do domingo, 18 de fevereiro.

 

“Se já era um prazer administrar uma cidade banhada por esse marzão de água doce, imagina agora, com esses píeres. É só uma questão de tempo para nos tornarmos referência em turismo náutico em São Paulo”, disse o prefeito de Rubineia, Osvaldo Lugato, após a solenidade de inauguração.

Novas estruturas náuticas na cidade de Pereira Barreto. Foto: Victor Santos/Revista Náutica

Assim como fizera em Pereira Barreto e em Três Fronteiras, Roberto de Lucena assinou um convênio transferindo a operação da estrutura náutica da Secretaria de Turismo para a prefeitura dos respectivos municípios.

 

A entrega das estruturas náuticas é resultado de um plano de desenvolvimento de grande impacto com investimento total de R$ 30 milhões para 13 municípios do interior paulista: Avaré, Fartura, Pederneiras, Piraju, Sales, Timburi, Mira Estrela, Presidente Epitácio e Rosana, além dos três já citados.

Novas estruturas náuticas na cidade de Três Fronteiras. Foto: Victor Santos/Revista Náutica

De acordo com o coordenador do projeto, Luís Sobrinho, da Invest/Setur-SP, no próximo mês serão entregues estruturas náuticas a quatro dessas cidades: em Avaré, Araçatuba, Timburi e Pederneiras.

 

A expectativa é que o número de turistas e excursionistas nas doces águas paulistas salte dos atuais 1,82 milhão para 6 milhões em dez anos, gerando empregos e movimentando toda cadeia, com impacto na economia de R$ 2,5 bilhões, pois o programa também é um poderoso indutor de investimentos. A inauguração das estruturas de Pereira Barretos, Três Fronteiras e Rubinéia foi apenas o pontapé inicial.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Mestre em Mecânica, Ricardo Paragon ensina a evitar panes no mar no NÁUTICA Talks

    Empresário e técnico premiado compartilhará dicas importantes durante o Rio Boat Show 2024

    Marinha anuncia regras para barcos durante show da Madonna, no Rio

    Área delimitada para o evento só aceitará embarcações identificadas, vistoriadas previamente e que respeitem os limites de lotação

    Hélio Magalhães divide décadas de experiência como velejador no NÁUTICA Talks

    Com 45 anos de mar e mais de 200 milhas náuticas navegadas, palestrante compartilhará ensinamentos no Rio Boat Show 2024

    Na Holanda, live permite acionar "campainha de peixes" para liberar passagem de animais por eclusa

    Transmissão ao vivo mostra quando um peixe aguarda passagem; espectadores avisam operadores ao "tocar campainha"

    Renault apresenta veleiro desmontável, jet elétrico e prancha motorizada

    Marca francesa propõe novas soluções de mobilidade e mostrou inovações durante lançamento de carro elétrico