Nirvana de R$1,4 bilhão está envolvido em divórcio bilionário de empresário russo

Embarcação de luxo faz parte do que pode ser um dos maiores acordos de separação de bens da história

07/11/2023
Foto: Oceanco/ Divulgação

Quando o magnata russo Vladimir Potanin e Natalia Potanina, sua ex-esposa, se separaram em 2007, iniciou-se um conturbado divórcio bilionário, que incluiria milhões de dólares, ações de uma empresa de minérios e o famoso Nirvana, uma exuberante embarcação feita pela Oceanco.

Com fortuna estimada de US$ 22,3 bilhões — cerca de R$ 109 bilhões (todos os valores convertidos em novembro de 2023) — , Vladimir Potanin poderá perder mais alguns milhões nessa conta. De acordo com documentos judiciais, Potanina afirma que a separação lhe rendeu US$ 40 milhões (R$ 194 milhões) de seu ex-marido.

Anastasia, Vladimir Potanin e Natalia Potanina. Foto: Cortesia de Natalia Potanina

Entretanto, segundo Potanin, a quantia chega a mais de US$ 82 milhões (R$ 400 milhões). E para tornar este um divórcio bilionário, Natalia acredita que tem direito a pelo menos US$ 9 bilhões (R$ 44 bilhões) da fortuna conjunta, que inclui ações da mineradora MMC Norilsk Nickel e o navio de luxo Nirvana.

Assim, o icônico barco continua nos holofotes mesmo 11 anos depois de seu lançamento. Porém, sequer é a primeira polêmica que o megaiate está envolvido: em 2022, Potanin teve que “esconder” o Nirvana em Dubai — onde está até hoje — , por ter seu nome na lista de sanções internacionais.

US$ 300 milhões a bordo

Com o preço estimado em US$ 300 milhões (R$ 1,4 bilhão), a embarcação possui incríveis 290 pés (88 metros) e foi produzida pelo estaleiro Oceanco, em 2012. Mesmo com mais de dez anos após seu lançamento, pode-se dizer que o megaiate é atemporal.

Foto: Oceanco/ Divulgação

O design interior e exterior ficou por conta de Sam Sorgiovani, com a inspiração da parte de dentro da embarcação sendo uma floresta tropical insular. Além disso, o barco possui seis deques, com acomodações para 12 convidados e uma tripulação numerosa.

Foto: Oceanco/ Divulgação

Os destaques da embarcação luxuosa envolvida no divórcio bilionário ainda incluem uma piscina de 7,5 metros, com piso regulável em altura e que pode ser preenchida com água do mar ou água doce, assim como pode se transformar em pista de dança — nas ocasiões em que a piscina atrapalharia a agitação.

Foto: Oceanco/ Divulgação

Vale destacar as duas grandes jacuzzis — uma no terraço e outra no convés da proa — e o heliporto, como de praxe em toda embarcação luxuosa. Na parte interior, os hóspedes têm cinema 3D, academia, sauna tradicional e diversas áreas para refeição e convívio — seja interna ou ao ar livre.

Foto: Oceanco/ Divulgação
Foto: Oceanco/ Divulgação

Para passar a sensação de selva, o estaleiro utilizou mais de 200 materiais diferentes para os acabamentos, como bambu, eucalipto, ônix branco e calcário. O elevador é todo de vidro, enquanto o megaiate conta com quatro guindastes hidráulicos, que atendem dois Vikal, um grande barco de esqui, quatro WaveRunners, seis jets e uma sala para esportes aquáticos.

Foto: Oceanco/ Divulgação

Com dois motores MTU, o Nirvana navega a uma velocidade máxima de 20 nós (37 km/h), chega até 14 nós (16 mph/26 km/h) a uma velocidade de cruzeiro e alcança mais de 6.905 milhas náuticas (11.112 km) — embora tudo isso não tenham utilidade no momento, já que o barco está parado em Dubai.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Brasileira faz "dobradinha" em premiação da ONU de fotos marinhas

    A fotógrafa Andrea Marandino conquistou a 1ª e 2ª colocação em concurso mundial

    Robô submarino encontra lula com ovos gigantes no fundo do mar

    Cientistas acreditam tratar-se de nova espécie do animal, capaz de botar ovos com o dobro do tamanho comum

    Grand Ocean Boats leva lancha de 37 pés ao Marina Itajaí Boat Show 2024

    Estaleiro exibirá o modelo Grand Ocean 37 na segunda edição do evento náutico, que vai de 4 a 7 de julho

    De 4º maior lago do mundo a deserto: o que aconteceu com o Mar de Aral

    Má gestão de recursos naturais tornou o Mar de Aral um dos maiores desastres ambientais do mundo

    Destroços do último navio de Ernest Shackleton são encontrados no Canadá

    Quest, explorador polar de uma das figuras mais conhecidas da navegação, está no mar de Labrador, a cerca de 390 m de profundidade