Nos EUA, drones ajudam policiais a evitar ataques de tubarão; entenda

Imagens vão para um centro de comando onde profissionais avaliam riscos de ataque do animal

23/08/2023
Foto: Polícia do Parque Estadual de Nova York / Reprodução

Desde 2017, as autoridades da costa de Long Island, no estado de Nova York (EUA) utilizam a tecnologia dos drones para mapear e evitar possíveis ataques de tubarão a banhistas. O trabalho, que hoje conta com 19 equipamentos, foi intensificado após uma onda de casos nas praias de NY no verão norte-americano deste ano.

As imagens capturadas pelos drones são enviadas para um centro de comando, onde policiais avaliam potenciais riscos de ataque do animal e emitem alertas para a população. Os equipamentos conseguem fazer os registros através de câmeras poderosas, que capturam imagens a partir de cerca de 25 metros no ar.

Equipados com uma câmera infravermelha, holofotes e alto-falantes, os drones auxiliam nas operações de busca, resgate e envios de comunicados. Os equipamentos podem, inclusive, levar boias para banhistas que estiverem se afogando, por exemplo.

Não posso prever se haverá ou não mais mordidas ou ataques de tubarão, mas o que posso dizer é… quanto mais drones voam no ar, há mais chance de ver esses animais em seu habitat natural. — Rishi Basdeo, capitão da polícia de Park, à CNN


Os equipamentos, que chegam a custar cerca de US$ 6.000, quase R$ 30 mil (valores convertidos em agosto de 2023), exigem operadores treinados a partir de regras da Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos.

 

Vale ressaltar que Long Island tem mais de 10 quilômetros de sua costa ocupada pelo Parque Estadual de Nova York, que chega a receber, por ano, cerca de seis milhões de visitantes, tornando ainda mais essencial o uso desse tipo de tecnologia para evitar os ataques de tubarão.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Sem deixar feridos, incêndio na Croácia atinge mais de 20 barcos

    Incidente ocorreu em marina na cidade de Medulin, no noroeste do país, no último dia 15

    Nova lancha da Azimut promete reduzir em até 40% as emissões de CO₂

    Batizada de Seadeck 6, embarcação foi apresentada em piscina no maior evento de design do mundo, na Itália

    EUA enviam ao Rio de Janeiro porta-aviões gigante de 333 metros; entenda

    USS George Washington atracou no Brasil como parte da operação Southern Seas, que visa incentivar a cooperação entre os países

    Em fase final de testes, Aquabus de Ilhabela transportaram 1,5 mil pessoas no fim de semana

    Novo sistema de transporte aquaviário contará com três catamarãs e capacidade para 60 pessoas em cada viagem; data de inauguração ainda não foi divulgada

    Italiana Rossinavi lança catamarã híbrido-elétrico de 43 metros

    Modelo nasce como “projeto mais inovador” do estaleiro, com tecnologias sustentáveis e até uso de Inteligência Artificial