Projeto de avião de nove asas funcionou como uma mistura de barco e avião

Italiano criou um modelo que podia tanto navegar quanto voar, mas o Ca.60 Transaero não viveu muito

02/04/2023
Fotos: Museo dell'Aeronautica Gianni Caproni/ Divulgação

Os italianos são referência tanto no automobilismo, com marcas de superesportivos, quanto na rica culinária. Mas, o que poucos sabem é que foi um italiano quem criou um avião de nove asas, oito motores e que também navegava.

Caproni Ca.60 Transaero é o nome do projeto desenvolvido por Giovanni Battista Caproni, durante a Primeira Guerra Mundial. Com capacidade para levar até 100 passageiros, a ideia era muito futurista, já que, na época, grande parte das aeronaves só conseguia levar até dez pessoas, além de não serem capazes de encostar na água.

Mesmo enfrentando resistência de especialistas, Giovanni seguiu em frente e construiu o avião de nove asas. Com algumas tecnologias para a época, como redundância do motor e também o número impressionante de asas, o Ca.60, voou pela primeira vez em 1921.


Ao longo dos seus 30 metros de comprimento, o avião de nove asas tinha oito motores instalados. Cada um produzia até 400 hp e, em conjunto, atingiam os 3.200 hp. Giovanni esperava que o modelo pudesse chegar até os 69 nós.

Avião de nove asas navegava bem

Quando lançado nos mares, o Ca.60 até teve uma boa performance. Só que, para o voo, não há registros contundentes. Há relatos de que a primeira vez da embarcação no ar possa ter ocorrido em 12 de fevereiro ou em 2 de março de 1921. Independente da data certa, este foi um grande feito para o piloto Federico Semprini.

Entretanto, após esse primeiro voo que deu certo, o avião de nove asas sofreu um acidente ainda em março daquele ano. Federico era novamente o piloto, mas ele acabou puxando o manche de controle para a decolagem rapidamente.

 

Isso fez com que a aeronave subisse violentamente e depois caísse com a cauda na água. Infelizmente, o avião de nove asas ficou partido em dois e apenas a parte traseira ficou intacta.

O reparo da embarcação até seria possível, mas o custo seria praticamente inviável. Desde então, diversas teorias sobre este acidente foram propagados pelo público.

 

Quem quiser conhecer alguns destroços do Ca.60 Transaero pode ir ao Museu de Aeronáutica Gianni Caproni, próximo do Aeroporto de Trento, no Norte da Itália.

 

Por Felipe Yamauchi, sob supervisão da jornalista Denise de Almeida

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Vokan apresenta serviço de seguros náuticos no Marina Itajaí Boat Show 2024

    A corretora estará presente no evento, que acontece entre 4 e 7 de julho, em Santa Catarina

    Estofados náuticos da Agroquímica estarão no Marina Itajaí Boat Show 2024

    Estande terá opções da marca Kelson's para todos os gostos no salão que acontece de 4 a 7 de julho

    Yachtmax leva Ferretti 720 ao Marina Itajaí Boat Show 2024

    Representante da Ferretti e Okean no Brasil estará com dois barcos no evento náutico, de 4 a 7 de julho

    Gravidez misteriosa de arraia que convivia só com tubarões foi solucionada

    Charlotte apareceu grávida em fevereiro em aquário nos EUA, mas não dividia o recinto com arraia macho

    Yamaha terá jets e motores no Marina Itajaí Boat Show 2024; confira modelos

    Quatro WaveRunners e motores de popa vão compor o estande da marca no salão, que acontece de 4 a 7 de julho