Ubatuba registra casos de gripe aviária; saiba como proceder em caso de sintomas

Com dois casos confirmados, Vigilância Epidemiológica da cidade destacou ações importantes para prevenção da doença

15/06/2023

Com dois casos de gripe aviária (Influenza aviária) confirmados em Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, quem navega pela região deve ter cuidado redobrado com aves marinhas doentes.

Seja na água ou na praia, a recomendação é para evitar qualquer contato com aves que aparentem mau estado ou estejam mortas. Portanto, caso aviste espécies como trinta-reis, atobá, fragata e gaivota debilitas, não se aproxime nem recolha o animal.

 

“A transmissão da Influenza Aviária para humanos se dá pelo contato direto ou indireto com aves infectadas ou suas secreções e, até o momento, não há registro de transmissão da doença de pessoa para pessoa”, informou Alyne Ambrogi, enfermeira coordenadora da Vigilância Epidemiológica.

Histórico da gripe aviária em Ubatuba

O primeiro caso de gripe aviária em Ubatuba foi registrado no início do mês, no dia 3, enquanto o segundo ocorreu poucos dias depois, em 8 de junho, no bairro de Maranduba.


A gripe aviária na cidade foi registrado primeiramente em uma ave marinha da espécie trinta-réis-real (conhecida popularmente como garajau-real), que havia caído em uma rua no centro da cidade. A segunda ocorrência, por sua vez, se deu após dois turistas encontrarem um animal da mesma espécie debilitado.

Bando de aves trinta-réis-real. Foto: Projeto Trinta-réis / Reprodução

A Vigilância Epidemiológica informou que um exame laboratorial confirmou a doença na primeira ave. Na segunda ocorrência, por se tratar de um animal da mesma espécie, o caso foi avaliado por critério clínico epidemiológico, sem a necessidade de exames, conforme protocolo nacional.

Confira 4 ações para prevenção da gripe aviária

A Vigilância Epidemiológica (Viep) de Ubatuba destaca quatro ações importantes para a prevenção da gripe aviária:

  1. Ao encontrar uma ave debilitada ou morta, não se aproxime nem recolha o animal.
  2. Faça uma observação distante e fotografe ou filme o comportamento do animal, mas sem se aproximar da ave;
  3. Especialistas devem ser acionados. Em caso de aves marinhas, ligue para o Instituto Argonauta no telefone (12) 99785-3615 ou 0800 642 3341. Para aves terrestres, acione a Vigilância Sanitária de Ubatuba pelo contato (12) 3832-6810;
  4. Busque isolar a área e impedir o acesso de pessoas e outros animais. Aguarde a chegada da equipe técnica.

Sintomas da gripe aviária

Ainda segundo Alyne, os sintomas da Influenza Aviária são parecidos com os da gripe comum e incluem dor de garganta e no corpo, febre, tosse e secreção nasal. A atenção se deve para evitar a evolução da doença para insuficiência respiratória e até falência múltipla dos órgãos.

 

“Em caso de surgimento dos sintomas gripais, a pessoa que teve contato com animal suspeito deve procurar por um serviço de saúde de urgência e informar a exposição”, ressaltou a coordenadora.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    E-combustíveis para o setor marítimo podem gerar 4 milhões de empregos, diz pesquisa

    Estudo foi encomendado pelo Fórum Marítimo Global e indica que as vagas serão abertas até 2050

    Futurista e feita de titânio: conheça a lancha de 55 pés que parece uma nave espacial

    Com estilo contemporâneo, será a primeira embarcação lançada pelo estaleiro Mirrari, dos Emirados Árabes Unidos

    Litoral de São Paulo e do Rio pode ter ondas de até 3 metros neste sábado (18)

    Alerta da Marinha do Brasil vale para as cidades de Santos e Campos dos Goytacazes; confira dicas de segurança em caso de ressaca marítima

    Projeto na Croácia quer criar cinco vilas ecológicas de luxo à beira mar com direito a barcos elétricos

    Ideia da eD-TEC visa redefinir o conceito de vida de luxo, oferecendo energia solar às moradias durante os 365 dias do ano

    Criança de 11 anos encontra fóssil de ictiossauro pré-histórico, o maior réptil marinho que já existiu

    Com a companhia do pai e pesquisadores, garota ajudou a desvendar a vida marinha de 200 milhões de anos atrás