Veleiro inglês do século 19 ressurge em Santos em projeções 3D

Realidade aumentada mostra como era o veleiro Kestrel, que encalhou no século 19 em praia do litoral paulista

02/02/2023
veleiro realidade aumentada Santos
Foto: Divulgação

Uma embarcação encalhada desde o fim do século 19 voltou à vida recentemente no litoral sul de São Paulo. O que, a princípio, poderia ser narrado como um navio fantasma em Santos, na verdade trata-se de realidade aumentada, com efeito de inserir o antigo veleiro em meio à praia.

O casco inglês é o veleiro Kestrel, que encalhou na orla santista em 1895. Desde que parte da sua estrutura apareceu nas areias da praia do Embaré, há alguns anos, a área foi isolada para a segurança da população. Em 2017, a identidade do veleiro foi, enfim, descoberta.

veleiro-Santos

A ação que “devolveu” o veleiro Kestrel às águas foi disponibilizada pela prefeitura de Santos, com o intuito de celebrar o aniversário de 477 anos da cidade.

 

A projeção de realidade aumentada pode ser acessada pelo celular a partir de uma placa no pontilhão da faixa de areia do canal 5, perto de onde se encontram os destroços do navio fantasma em Santos.

O visitante precisa, primeiramente, apontar a câmera do celular para o QR Code e, em seguida, para a área preservada. Dessa forma, é possível ver a representação 3D do veleiro Kestrel sobre o cenário real da praia.

 

O novo ponto turístico foi aberto no último dia 28. A imagem mostrada graças à tecnologia da realidade aumentada tem como inspiração uma obra do pintor Benedito Calixto. A placa em frente aos destroços do navio fantasma em Santos mostram detalhes da história da embarcação.

veleiro- Santos

A ideia de proporcionar essa experiência nasceu de uma conversa entre Wagner Ramos, secretário municipal de Serviços Públicos, e Sérgio Williams, jornalista e presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Santos.

 

Anteriormente, chegou-se a cogitar fazer a remoção os destroços do navio encalhado da praia. As autoridades, entretanto, afirmam que o material iria deteriorar caso seja removido do local. Assim, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) colocou toda a área em que o veleiro Kestrel está como um sítio arqueológico.

Pessoas analisando o qr code

Descoberta dos destroços do veleiro Kestrel

O veleiro de 80 metros de comprimento, três mastros e bandeira inglesa encalhou em Santos há quase 128 anos, em 11 de fevereiro de 1895.

 

Registros da época apontam que o barco estava sem um capitão a bordo quando ventos o empurraram para a praia. Um rebocador teria tentado fazer o resgate, sem sucesso.

 

Com o tempo, a embarcação foi coberta pela areia, até desaparecer. Em 1970 parte de seu casco ficou visível, durante o desassoreamento do canal do porto. Em agosto de 2017, uma equipe de limpeza urbana descobriu partes da sua estrutura, feita de madeira e metal, parcialmente enterrada.

 

 

Por Felipe Yamauchi, sob supervisão da jornalista Denise de Almeida

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Memória Náutica: relembre como foi o Rio Boat Show 99

    Evento se destacou por trazer inovações que foram além dos barcos para 51 mil visitantes

    Rio Boat Show 2024 será palco para estreia da Schaefer V44 em águas brasileiras

    Lançamento walk around da Schaefer Yachts estará nas águas da Marina da Glória, de 28 de abril a 5 de maio

    Megaiate apreendido vira "batata-quente" para os Estados Unidos; entenda o caso

    Governo norte-americano quer vender embarcação e alega não ter condições de pagar manutenção

    Reveladas imagens inéditas de navio que afundou com seu capitão há 84 anos

    O graneleiro Arlington foi encontrado nos EUA e traz, além de imagens, a história do capitão que não quis se salvar

    Novo estudo mostra que baleia-azul está acasalando com baleias-comuns mais do que deveria; entenda

    Número até então desconhecido de animais com DNA híbrido colocou pesquisadores em alerta