Quase centenário, veleiro da Marinha espanhola recebe visitas gratuitas em Fortaleza

Navio-Escola Juan Sebastián Elcano tem 97 anos de vida e já deu 11 voltas ao redor do globo

08/02/2024
Foto: Embajada de España en Brasil / Divulgação

Algumas embarcações resistem ao tempo e acumulam histórias que as ondas não são capazes de apagar. Quando barcos e histórias estão na mesma frase, aliás, os veleiros logo vêm à mente. Um deles, de 97 anos e 11 voltas ao mundo, levará seu legado para ser conhecido de forma gratuita em Fortaleza.

A histórica embarcação é o Navio-Escola Juan Sebastián Elcano, da Marinha da Espanha. Imponente, o veleiro é atualmente considerado o terceiro maior do mundo, e traz em sua estrutura de aço quatro grandes mastros.

 

A oportunidade única de conhecer a embarcação de forma gratuita começa em 12 de fevereiro, no Porto de Mucuripe, em Fortaleza.

Foto: Armada Española / Divulgação

O navio saiu de Cádiz, no sul da Espanha, em 19 de janeiro e chegará em Fortaleza no dia 11 de fevereiro. A embarcação ficará na capital cearense até o dia 15 do mesmo mês, quando seguirá viagem para a cidade de Santo Domingo, capital da República Dominicana, na América Central.

Conheça o Navio-Escola Juan Sebastián Elcano

A história do Navio-Escola Juan Sebastián Elcano começou a ser escrita ainda em 1927, quando a embarcação tomou forma no estaleiro Echevarrieta y Larrinaga, em Cádis, antiga cidade portuária da Espanha. Seu nome homenageia Juan Sebastián Elcano, espanhol que ganhou o título de primeiro homem a completar uma volta ao mundo.

Foto: Armada Española / Divulgação

Com 113 metros de comprimento e mais de 3.700 toneladas, o navio é capaz de acomodar uma tripulação composta por 21 oficiais, 21 sub-oficiais, 2 mestres civis e 135 militares da categoria de Marinharia e Tropa.


Como navio-escola, desde 1928 a embarcação tem como principal função a formação de oficiais da Armada Espanhola no mar. Para isso, o navio oferece uma experiência prática aos estudantes, durante uma viagem de cerca de 6 meses, proporcionando treinamento no mar e em portos.

Foto: Armada Española / Divulgação

Apesar de contar com armamentos para a defesa própria dos tripulantes, o Navio-Escola não possui mísseis, torpedos ou sistemas de armas para combate. Vale ressaltar que a embarcação funciona também como um navio de apoio à política externa do Estado espanhol.

Como visitar o Navio-Escola Juan Sebastián Elcano

Os interessados em conhecer o Navio-Escola Juan Sebastián Elcano têm até o dia 10 de fevereiro, às 10h, para agendar a visita no site da Companhia das Docas do Ceará. Já no site, é preciso clicar em “detalhes e agendamento” e escolher um horário para a visita, que tem vagas limitadas.

 

Ao todo, 100 visitantes serão atendidos por horário, dentro das seguintes opções: 11h, 11h30, 12h, 13h30, 14h, 14h30, 15h, 15h30, 16h, 16h30, 17h e 17h30. É possível numerar quantas pessoas estarão na reserva e todos deverão preencher um cadastro com dados pessoais.

 

Após o cadastro, a confirmação da reserva chegará por email, com um QR CODE que deverá ser apresentado na entrada da visita à embarcação.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Memória Náutica: relembre como foi o Rio Boat Show 99

    Evento se destacou por trazer inovações que foram além dos barcos para 51 mil visitantes

    Rio Boat Show 2024 será palco para estreia da Schaefer V44 em águas brasileiras

    Lançamento walk around da Schaefer Yachts estará nas águas da Marina da Glória, de 28 de abril a 5 de maio

    Megaiate apreendido vira "batata-quente" para os Estados Unidos; entenda o caso

    Governo norte-americano quer vender embarcação e alega não ter condições de pagar manutenção

    Reveladas imagens inéditas de navio que afundou com seu capitão há 84 anos

    O graneleiro Arlington foi encontrado nos EUA e traz, além de imagens, a história do capitão que não quis se salvar

    Novo estudo mostra que baleia-azul está acasalando com baleias-comuns mais do que deveria; entenda

    Número até então desconhecido de animais com DNA híbrido colocou pesquisadores em alerta