Gente do mar: donos de lanchas Sessa contam histórias inspiradoras a bordo

NÁUTICA entrevistou apaixonados pela marca durante encontro de embarcações Sessa Marine em Ilhabela

Por: Redação -
09/10/2023
Gerson e Vivian Seccato, proprietários de uma Sessa F42. Foto: Arquivo pessoal

A equipe de NÁUTICA ouviu algumas histórias inspiradoras que comprovam: quem tem barco é mais feliz. Durante encontro de donos de lanchas Sessa Marine, em Ilhabela, navegadores apaixonados compartilharam suas experiências mar adentro.

No evento, promovido pela Regatta Yachts, os donos de lanchas detalharam desde como entraram neste universo até como chegaram às embarcações da Sessa — um grande sonho para muitos.

É uma libertação. O mar é uma imensidão. Quando você está navegando, se sente liberto. Acho que é como um passarinho voando – Gerson Seccato, proprietário de uma Sessa F42

Klaus e Monica Hasserodt. Foto: Rogério Pallatta/Náutica

Durante as entrevistas, fica nítido o quanto um barco é capaz de melhorar a vida de quem navega. Tanto é que, entre os donos de embarcações Sessa, é quase unanimidade: os momentos mais felizes dentro das lanchas estão associados à família. Confira abaixo!

 

 

Conversamos com os apaixonados pelas lanchas Sessa: Fabio Neri, Gerson e Vivian Seccato, Hiroshi Ogawa, Klaus e Monica Hasserodt, Michael Asam e Marcelo Galvão Bueno (da Regatta Yachts).

Marcelo Galvão Bueno, da Regatta Yachts, a bordo de uma Sessa C44. Foto: Rogério Pallatta/Náutica
Michael Asam é dono de uma lancha Sessa C36. Foto: Arquivo pessoal. Foto: Arquivo pessoal

Passar tempo de qualidade ao lados da família e amigos é a principal razão pela qual ter um barco faz tanta diferença na vida dos proprietários. Foi dentro de uma Sessa C36 que Michael Asam, por exemplo, avistou baleias jubarte, orcas e golfinhos ao lado da família.

Dois dias no mar, pra mim, são como três meses de férias – Klaus Hasserodt, proprietário de uma Sessa F42

Gerson e Vivian Seccato são donos de uma lancha Sessa F42. Foto: Arquivo pessoal
Fabio Neri curte momentos em família a bordo de sua lancha Sessa F42. Foto: Rogério Pallatta/Náutica

Quando o assunto é trocar de barco, outra coisa fica clara: só se for para uma Sessa maior. Entre os entrevistados, o pós venda do estaleiro se destaca como um dos principais motivos pelo qual ter uma Sessa é sinônimo de felicidade.

Hiroshi Ogawa tem uma Sessa C36. Foto: Arquivo pessoal

Assista ao vídeo completo e conheça as histórias de oito apaixonados pelo mar, que desbravam essa imensidão e colecionam histórias a bordo de uma Sessa Marine.

Michael Asam é dono de uma lancha Sessa C36. Foto: Arquivo pessoal

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Megaiate apreendido vira "batata-quente" para os Estados Unidos; entenda o caso

    Governo norte-americano quer vender embarcação e alega não ter condições de pagar manutenção

    Reveladas imagens inéditas de navio que afundou com seu capitão há 84 anos

    O graneleiro Arlington foi encontrado nos EUA e traz, além de imagens, a história do capitão que não quis se salvar

    Novo estudo mostra que baleia-azul está acasalando com baleias-comuns mais do que deveria; entenda

    Número até então desconhecido de animais com DNA híbrido colocou pesquisadores em alerta

    Conheça o Volitan, barco voador que está próximo de se tornar realidade na Amazônia

    Criado pela startup AeroRiver, embarcação deve chegar para o transporte de cargas e pessoas na região em 2026

    Conheça a história do "Titanic dos Alpes", navio a vapor que será resgatado 90 anos após naufragar

    Embarcação foi afundada propositalmente em 1933, no Lago Constança, na Europa