Gente do mar: donos de lanchas Sessa contam histórias inspiradoras a bordo

NÁUTICA entrevistou apaixonados pela marca durante encontro de embarcações Sessa Marine em Ilhabela

Por: Redação -
09/10/2023
Gerson e Vivian Seccato, proprietários de uma Sessa F42. Foto: Arquivo pessoal

A equipe de NÁUTICA ouviu algumas histórias inspiradoras que comprovam: quem tem barco é mais feliz. Durante encontro de donos de lanchas Sessa Marine, em Ilhabela, navegadores apaixonados compartilharam suas experiências mar adentro.

No evento, promovido pela Regatta Yachts, os donos de lanchas detalharam desde como entraram neste universo até como chegaram às embarcações da Sessa — um grande sonho para muitos.

É uma libertação. O mar é uma imensidão. Quando você está navegando, se sente liberto. Acho que é como um passarinho voando – Gerson Seccato, proprietário de uma Sessa F42

Klaus e Monica Hasserodt. Foto: Rogério Pallatta/Náutica

Durante as entrevistas, fica nítido o quanto um barco é capaz de melhorar a vida de quem navega. Tanto é que, entre os donos de embarcações Sessa, é quase unanimidade: os momentos mais felizes dentro das lanchas estão associados à família. Confira abaixo!

 

 

Conversamos com os apaixonados pelas lanchas Sessa: Fabio Neri, Gerson e Vivian Seccato, Hiroshi Ogawa, Klaus e Monica Hasserodt, Michael Asam e Marcelo Galvão Bueno (da Regatta Yachts).

Marcelo Galvão Bueno, da Regatta Yachts, a bordo de uma Sessa C44. Foto: Rogério Pallatta/Náutica
Michael Asam é dono de uma lancha Sessa C36. Foto: Arquivo pessoal. Foto: Arquivo pessoal

Passar tempo de qualidade ao lados da família e amigos é a principal razão pela qual ter um barco faz tanta diferença na vida dos proprietários. Foi dentro de uma Sessa C36 que Michael Asam, por exemplo, avistou baleias jubarte, orcas e golfinhos ao lado da família.

Dois dias no mar, pra mim, são como três meses de férias – Klaus Hasserodt, proprietário de uma Sessa F42

Gerson e Vivian Seccato são donos de uma lancha Sessa F42. Foto: Arquivo pessoal
Fabio Neri curte momentos em família a bordo de sua lancha Sessa F42. Foto: Rogério Pallatta/Náutica

Quando o assunto é trocar de barco, outra coisa fica clara: só se for para uma Sessa maior. Entre os entrevistados, o pós venda do estaleiro se destaca como um dos principais motivos pelo qual ter uma Sessa é sinônimo de felicidade.

Hiroshi Ogawa tem uma Sessa C36. Foto: Arquivo pessoal

Assista ao vídeo completo e conheça as histórias de oito apaixonados pelo mar, que desbravam essa imensidão e colecionam histórias a bordo de uma Sessa Marine.

Michael Asam é dono de uma lancha Sessa C36. Foto: Arquivo pessoal

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Mestra Boats exibirá grandes sucessos de 29 a 35 pés no Brasília Boat Show

    Estaleiro disponibilizará aos visitantes do evento náutico a Mestra 352 HT, seu maior modelo, e outros dois barcos bem resolvidos; confira

    No século 17, maior navio do mundo foi construído no Brasil e batizou o Aeroporto do Galeão

    Embarcação de guerra foi construída a pedido da coroa portuguesa, que buscava recuperar terras perdidas para a Espanha

    Ventura atracará com lanchas, pontoons e jets na estreia do Brasília Boat Show

    Conhecido pela variedade de produtos, estaleiro mineiro estará nas águas do Lago Paranoá de 14 a 18 de agosto

    6 ótimos motivos para você visitar o Brasília Boat Show

    O maior evento náutico do Centro-Oeste acontecerá de 14 a 18 de agosto, no Lago Paranoá

    Homem recupera Apple Watch que estava perdido no mar do Caribe há mais de um ano

    Aparelho foi encontrado ainda funcionando graças à ferramenta de localização do dispositivo