Em rio na Inglaterra, homem encontra espada usada por vikings há mais de mil anos

Especialistas dizem que o objeto foi usado pelo povo nórdico no período entre 850 e 975 d.C

16/03/2024
Foto: Facebook Trevor Penny / Reprodução

Não só os oceanos reservam surpresas em suas profundezas. Na Inglaterra, um lago foi o lar de uma espada da era viking por mais de um milênio, até ser encontrada, por acaso, pelo pescador Trevor Penny, no final de 2023.

Trevor procurava por objetos perdidos no rio Cherwell, em Oxfordshire, no sudeste da Inglaterra, quando se deparou com algo que ia muito além do que ele esperava encontrar: uma espada viking, já com alto nível de corrosão.

Foto: Trevor Penny / Reprodução

Em um primeiro momento, contudo, o homem não se deu conta da façanha. Foi ao tirar o objeto da água e apresentá-lo a um amigo que o acompanhava que Trevor, então, se deu conta de que se tratava de um arma antiga.


Os dois entraram em contato com o órgão do condado de Oxfordshire responsável por registrar achados arqueológicos feitos pelo público. Através da análise dos pesquisadores, o objeto foi dado como uma espada viking, usada pelo povo nórdico há cerca de 1.200 anos.

O oficial disse que era arqueologicamente raro encontrar espadas inteiras e tesouros de importância histórica ainda intactos– disse Penny a um jornal regional

A data, aliás, entre 850 e 975 d.C., remete a um período em que os nórdicos, justamente, viajaram para a Inglaterra para saquear os territórios ingleses. Uma dessas invasões foi a um mosteiro em Lindisfarne, ilha na costa nordeste da Inglaterra, em 793, que ficou bastante conhecida.

Foto: Trevor Penny / Reprodução

Outros ataques semelhantes aconteceram ao longo dos séculos, e só terminaram por volta de 1066, após a Batalha de Stamford Bridge, quando o rei da Noruega, Haroldo III Sigurdsson, foi derrotado. A batalha ficou simbolicamente retratada como o marco inicial do declínio da era viking.

 

Agora, segundo informado pelo Oxford Mail, a espada viking está sob os cuidados do museu de Oxford com chances de, eventualmente, ser exposta no local.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Homem nada mais de 100 metros sem respirar em lago congelado e quebra dois recordes

    Aos 52 anos, experiente nadador suíço acumula títulos e já deteve outro recorde mundial; confira

    Resorts 'no meio do nada' oferecem de natação com cavalos a plantio de recifes

    Ultraluxuosos, estabelecimentos cercados por belas águas buscam se diferenciar com passeios extravagantes; conheça 5 deles

    Búzios ganhará Centro de Desenvolvimento da Vela após parceria de ICAB e CBVela

    Parceria inédita prevê treinos das equipes jovem e principal, clínicas, uma escola de vela e projeto social para fomento do esporte na região

    Tubarão mais rápido dos oceanos é filmado no litoral de São Paulo; assista

    Conhecido como tubarão-mako, animal que pode atingir até 70 km/h foi flagrado próximo à Ilhabela

    Pinguim aparece em praia de Cabo Frio (RJ), surpreende banhistas e levanta dúvida: é normal?

    Apesar de ter sido visto navegando tranquilamente no mar transparente da região, presença do animal em águas brasileiras levantou questionamentos