Sino de navio americano naufragado durante a Primeira Guerra Mundial é encontrado na Inglaterra

Embarcação naufragou após ser atingida por submarino alemão; objeto será exposto no Museu da Marinha americana

03/03/2024
Foto: U.K. Ministry of Defence, Salvage and Marine Operations (SALMO) / Divulgação

O fundo do mar pode abrigar itens preciosos, que vão muito além do valor material e tem capacidade de trazer para a sociedade atual um pedaço da história da humanidade, mesmo que vivida séculos atrás. Um acontecimento como esse ganhou forma recentemente, na Inglaterra, onde pesquisadores encontraram o sino de um navio naufragado durante a Primeira Guerra Mundial.

O navio Jacob Jones (DD-61), dos Estados Unidos, era um dos seis que escoltavam um comboio de tropas e suprimentos que partia da Irlanda rumo à Inglaterra. Seu trajeto, contudo, foi interrompido pelo submarino alemão U-53, que levou o navio ao naufrágio em 6 de dezembro de 1917, durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

Navio Jacob Jones, naufragado em 1917 por submarino alemão. Foto: U.S. Navy Naval History and Heritage Command / Divulgação

Só em agosto de 2022, 105 anos depois, o naufrágio do navio Jacob Jones foi descoberto ao largo das Ilhas Scilly, na Inglaterra, por mergulhadores técnicos. Desde então, pesquisadores têm se dedicado a estudar o local. Esse esforço gerou, em 2024, uma recompensa significativa para a história da humanidade: a recuperação do sino do navio.

Foto: U.K. Ministry of Defence, Salvage and Marine Operations (SALMO) / Divulgação

A descoberta do sino do navio Jacob Jones foi resultado de um trabalho em conjunto entre a unidade Salvage and Marine Operations (SALMO), do Ministério da Defesa do Reino Unido, e do Comando de História e Patrimônio Naval (NHHC), com apoio da Embaixada dos Estados Unidos em Londres.

 

Em comunicado, Sam J. Cox, contra-almirante aposentado da Marinha dos EUA e diretor do NHHCO, afirmou que “o navio desempenhou um papel importante na proteção dos comboios que transportavam tropas e suprimentos dos Estados Unidos para o Reino Unido e a França, os quais foram cruciais para a vitória dos Aliados.”


Em homenagem a descoberta, a equipe britânica colocou uma coroa de flores e uma bandeira dos EUA no naufrágio, como forma de recordar os marinheiros mortos há 107 anos. No momento, o sino do navio Jacob Jones está sob custódia temporária da empresa privada Wessex Archaeology.

 

Ainda em 2024, o objeto será enviado para o Ramo de Arqueologia Subaquática do NHHC para tratamento de conservação e exibição futura no Museu Nacional da Marinha dos Estados Unidos, em Washington D.C.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    NÁUTICA Talks terá papo sobre a história dos jets com Renan Macedo

    Fundador da Usina do Jet ainda falará sobre o avanço das corridas e expedições a bordo da embarcação; palestra acontece durante o Rio Boat Show 2024

    Danimar leva scooter aquática e modelos off road ao Rio Boat Show 2024

    Concessionária oficial de marcas como Segway, empresa também apresentará UTV e quadriciclo ao público do evento náutico

    André Homem de Mello recorda histórica volta ao mundo a vela no NÁUTICA Talks

    Primeiro brasileiro a alcançar o feito em solitário e sem escalas integra agenda recheada do Rio Boat Show 2024

    Fernando Moraes conduz mergulho pelas ilhas brasileiras no NÁUTICA Talks

    Biólogo marinho trará à tona detalhes sobre biodiversidade e história de locais emblemáticos durante o Rio Boat Show 2024

    Prós e contras do envelopamento náutico serão discutidos com Pedro Dias no NÁUTICA Talks

    Especialista em adesivagem náutica, "Pedrinho" vai conduzir bate-papo na série de palestras do Rio Boat Show 2024