Sino de navio americano naufragado durante a Primeira Guerra Mundial é encontrado na Inglaterra

Embarcação naufragou após ser atingida por submarino alemão; objeto será exposto no Museu da Marinha americana

03/03/2024
Foto: U.K. Ministry of Defence, Salvage and Marine Operations (SALMO) / Divulgação

O fundo do mar pode abrigar itens preciosos, que vão muito além do valor material e tem capacidade de trazer para a sociedade atual um pedaço da história da humanidade, mesmo que vivida séculos atrás. Um acontecimento como esse ganhou forma recentemente, na Inglaterra, onde pesquisadores encontraram o sino de um navio naufragado durante a Primeira Guerra Mundial.

O navio Jacob Jones (DD-61), dos Estados Unidos, era um dos seis que escoltavam um comboio de tropas e suprimentos que partia da Irlanda rumo à Inglaterra. Seu trajeto, contudo, foi interrompido pelo submarino alemão U-53, que levou o navio ao naufrágio em 6 de dezembro de 1917, durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

Navio Jacob Jones, naufragado em 1917 por submarino alemão. Foto: U.S. Navy Naval History and Heritage Command / Divulgação

Só em agosto de 2022, 105 anos depois, o naufrágio do navio Jacob Jones foi descoberto ao largo das Ilhas Scilly, na Inglaterra, por mergulhadores técnicos. Desde então, pesquisadores têm se dedicado a estudar o local. Esse esforço gerou, em 2024, uma recompensa significativa para a história da humanidade: a recuperação do sino do navio.

Foto: U.K. Ministry of Defence, Salvage and Marine Operations (SALMO) / Divulgação

A descoberta do sino do navio Jacob Jones foi resultado de um trabalho em conjunto entre a unidade Salvage and Marine Operations (SALMO), do Ministério da Defesa do Reino Unido, e do Comando de História e Patrimônio Naval (NHHC), com apoio da Embaixada dos Estados Unidos em Londres.

 

Em comunicado, Sam J. Cox, contra-almirante aposentado da Marinha dos EUA e diretor do NHHCO, afirmou que “o navio desempenhou um papel importante na proteção dos comboios que transportavam tropas e suprimentos dos Estados Unidos para o Reino Unido e a França, os quais foram cruciais para a vitória dos Aliados.”


Em homenagem a descoberta, a equipe britânica colocou uma coroa de flores e uma bandeira dos EUA no naufrágio, como forma de recordar os marinheiros mortos há 107 anos. No momento, o sino do navio Jacob Jones está sob custódia temporária da empresa privada Wessex Archaeology.

 

Ainda em 2024, o objeto será enviado para o Ramo de Arqueologia Subaquática do NHHC para tratamento de conservação e exibição futura no Museu Nacional da Marinha dos Estados Unidos, em Washington D.C.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Mestre em Mecânica, Ricardo Paragon ensina a evitar panes no mar no NÁUTICA Talks

    Empresário e técnico premiado compartilhará dicas importantes durante o Rio Boat Show 2024

    Marinha anuncia regras para barcos durante show da Madonna, no Rio

    Área delimitada para o evento só aceitará embarcações identificadas, vistoriadas previamente e que respeitem os limites de lotação

    Hélio Magalhães divide décadas de experiência como velejador no NÁUTICA Talks

    Com 45 anos de mar e mais de 200 milhas náuticas navegadas, palestrante compartilhará ensinamentos no Rio Boat Show 2024

    Na Holanda, live permite acionar "campainha de peixes" para liberar passagem de animais por eclusa

    Transmissão ao vivo mostra quando um peixe aguarda passagem; espectadores avisam operadores ao "tocar campainha"

    Renault apresenta veleiro desmontável, jet elétrico e prancha motorizada

    Marca francesa propõe novas soluções de mobilidade e mostrou inovações durante lançamento de carro elétrico