Superiate “feito de ouro” que custou US$ 1,4 bilhão está disponível no mercado

À procura de um novo dono, embarcação se destaca não somente pela cor, mas por tudo o que oferece

24/05/2023
Fotos: Palmer Johnson / Divulgação

O Khalilah, fabricado pelo estaleiro norte-americano Palmer Johnson, ficou conhecido na internet por ser um superiate “feito de ouro”. A embarcação, contudo, foi pintada com um tom especial de Cordova Gold com um acabamento perolado dourado, conforme a luz o atinge.

Apesar de não ser feito realmente de ouro, o superiate continua reluzente: é o projeto mais inovador do estaleiro Palmer Johnson, baseado em um layout que visa desafiar os designs do mercado naval e superar expectativas.

Medindo 160 pés, a embarcação conta com três cascos, que oferece a ela o volume de um barco duas vezes maior. Também graças a isso, o superiate melhorou seu desempenho, eficiência e estabilidade.

 

O casco do superiate feito de ouro é esguio, com uma proa invertida. O barco ainda foi o primeiro superiate de carbono composto do mundo, sendo, na época de seu lançamento, a embarcação com a maior quantidade de vidros a bordo de um navio de propriedade privada.

Além da parte exterior — primeira coisa a chamar atenção neste barco –, seu interior não fica para trás, uma vez que foi projetado pela Luxury Projects.

Quanto ao desempenho, o Khalilah tem potência oriunda de dois motores diesel MTU M94 de 16V, com um total de 5.400 hp. Ainda é possível ter alcance de um transatlântico, ao adicionar um tanque de combustível extra.

Ao todo, 11 hóspedes podem se acomodar no superiate, em cinco cabines, além de quartos para uma tripulação de nove pessoas. Quem viajar no superiate de ouro poderá contar com jacuzzi e áreas de lounge internas e externas, bem como um beach club.

Listado para venda pela Fraser Yachts, quem se interessar em ser o novo dono do Khalilah precisará desembolsar nada menos do que 24,9 milhões de euros (quase R$ 134 milhões, em valores convertidos em maio de 2023).

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Vírus gigante encontrado no Ártico pode amenizar efeitos do aquecimento global

    Estudo aponta que o organismo, mil vezes maior do que o vírus da gripe, consegue desacelerar o derretimento do gelo; entenda

    Estrada de pedra de 7 mil anos atrás é registro da história no fundo do Mar Adriático

    Cerâmicas e outros artefatos encontrados no local são vestígios que podem ter pertencido a antiga civilização de Hvar, na Croácia

    Curtir paisagens com água diminui a frequência cardíaca, apontam estudos

    Efeito positivo da água sobre a pressão arterial foi comprovado em três experiências com humanos

    Estaleiro holandês Feadship lança seu primeiro superiate movido a energia solar

    Embarcação de 59,5 metros representa mais um passo da marca rumo ao objetivo de ser neutra para o clima até 2030

    Mestra levará seu maior barco ao Marina Itajaí Boat Show 2024

    Estaleiro estará no evento náutico com três opções de lanchas que vão de 29,5 pés a 35 pés