Tripulação avista baleias e espécie rara de golfinho na reta final da travessia de catamarã

No penúltimo episódio de “Uma Aventura no Atlântico”, tripulação de Náutica já sente o sabor de estar mais próxima de casa

16/03/2023
Foto: Fábio Borges

O sexto e penúltimo episódio da série “Uma Aventura no Atlântico”, que estreou nesta quinta (16), no Canal Náutica, mostra o início da última perna oceânica da travessia. No trajeto, um momento marcante para a tripulação de Náutica: o encontro com uma espécie rara de golfinho na travessia.

Depois de 27 dias navegando no catamarã, a equipe dá adeus às ilhas de Trindade e Martim Vaz e vai até Cabo Frio (RJ), para depois seguir pela costa brasileira até Itajaí (SC) e completar a travessia do oceano Atlântico.

Baleia-jubarte e filhote / Foto por Fábio Borges

Esse percurso, por si só, já seria único, por se tratar do ponto mais oriental do Brasil – onde surgem as primeiras luzes do dia no país. Contudo, faltando aproximadamente 740 milhas para o fim da aventura, o encontro com uma baleia-jubarte fêmea, acompanhada de seu filhote (aparentemente recém-nascido) e de um macho, tornou tudo ainda mais especial. E não parou por aí!

Encontro inesquecível com espécie rara de golfinho na travessia

Apesar da viagem estar se aproximando do fim, sempre há tempo para belas surpresas quando o assunto é oceano. Um grupo de golfinhos foi avistado pela tripulação nadando junto com mais baleias-jubarte. Pelo menos, esse foi o pensamento inicial.

Baleias-jubarte e orcas-pigmeias / Foto por Fábio Borges

Subimos o drone para verificar e fizemos uma constatação muito interessante. Se tratava de um grupo de, certamente, mais de 50 indivíduos da orca-pigmeia. – Guilherme Kodja, comandante.

As orcas-pigmeias são uma espécie de golfinho oceânico, pouco conhecido e raramente visto. O nome “orca-pigmeia” se deu pelo fato da espécie ter algumas características que se assemelham com a orca. Essa espécie rara de golfinho na travessia deu um toque especial para a reta final do percurso.

 

 

Vale ressaltar que os registros obtidos durante a travessia fazem parte do acervo científico do projeto Megafauna Marinha do Brasil, parceiro do Instituto Baleia Jubarte.

Conheça detalhes do catamarã Leopard 46

Aproveitando que a travessia de catamarã está se aproximando do fim, o comandante Guilherme Kodja decidiu apresentar alguns detalhes da embarcação que levou a tripulação de Náutica nesta aventura pelo Atlântico.

Parte interna do catamarã

Neste sexto episódio, o espectador da série acompanha o tour pelo catamarã Leopard 46, que tem duas suítes em cada bordo (quatro no total), todas amplas, equipadas com cama de casal, maleiro, armários, ar-condicionado, banheiro com água quente e janela com vista para o mar. Os vasos sanitários elétricos têm opção de água doce ou salgada.

Banheiro do Catamarã

Na parte técnica, a embarcação conta com casa de máquinas revestida por tecido termoacústico, que reduz a propagação de temperatura e som para as cabines e convés principal, além de baterias duplas para cada motor Yanmar.

Motor Yanmar do Catamarã

Após zarparem para o continente depois de mais de 20 dias sem pisar em território continental (Lüderitz, na Namíbia, havia sido o último), a tripulação, animada e ansiosa, faz o último transbordo de combustível, dos tanques reservas para os principais.

Nossa jornada agora, mais do que nunca, se encaminha para um final de grande sucesso. Logo, diremos ‘cruzamos um oceano inteiro em um catamarã de esporte e recreio, a motor, de apenas 46 pés.’– Guilherme Kodja

Saiba mais sobre “Uma Aventura no Atlântico”

Um catamarã a motor com quatro tripulantes encara o desafio de cruzar 4.455 milhas náuticas pelo oceano Atlântico. Com todo o trajeto documentado em vídeo, a viagem deu origem à nova série de NÁUTICA: “Uma Aventura no Atlântico”.

Sucesso de público, a produção recebeu centenas de elogios dos espectadores desde que seu lançamento. “Prevejo que essa série será a melhor do ano. Isso sim é conteúdo náutico de primeira”, foi um dos comentários que o primeiro episódio recebeu.

 

A emocionante jornada durou cerca de um mês e incluiu paradas em ilhas remotas e avistamento de baleias e golfinhos. Nos sete episódios da série, divulgados semanalmente no Canal Náutica, você pode conferir os detalhes desta navegação, rotina a bordo, lugares e as experiências incríveis.

A travessia começou na Cidade do Cabo, a bordo de um catamarã de 46 pés com dois motores Yanmar 8LV370 biturbo — extremamente silenciosos e eficientes, como atestou a equipe nesta navegação. O destino final é a catarinense Itajaí.

 

Inscreva-se no canal para acompanhar tudo sobre essa aventura.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Mestra Boats exibirá grandes sucessos de 29 a 35 pés no Brasília Boat Show

    Estaleiro disponibilizará aos visitantes do evento náutico a Mestra 352 HT, seu maior modelo, e outros dois barcos bem resolvidos; confira

    No século 17, maior navio do mundo foi construído no Brasil e batizou o Aeroporto do Galeão

    Embarcação de guerra foi construída a pedido da coroa portuguesa, que buscava recuperar terras perdidas para a Espanha

    Ventura atracará com lanchas, pontoons e jets na estreia do Brasília Boat Show

    Conhecido pela variedade de produtos, estaleiro mineiro estará nas águas do Lago Paranoá de 14 a 18 de agosto

    6 ótimos motivos para você visitar o Brasília Boat Show

    O maior evento náutico do Centro-Oeste acontecerá de 14 a 18 de agosto, no Lago Paranoá

    Homem recupera Apple Watch que estava perdido no mar do Caribe há mais de um ano

    Aparelho foi encontrado ainda funcionando graças à ferramenta de localização do dispositivo