Vela em Ilhabela: Marcelo Ferreira retorna às competições após mais de uma década

Por: Redação -
27/07/2022
Foto: Acervo SIVI / Edu Grigaits / Balaio de Ideias

A época é de vela em Ilhabela e Marcelo Ferreira, um dos grandes nomes da modalidade no Brasil, está de volta às competições, após mais de uma década afastado.

Ele conquistou dois Ouros com Torben Grael na classe Star (em 1996, em Atlanta, e 2004, em Atenas) e ainda um Bronze (em Sydney, em 2000). Agora reedita a parceria ao lado de seu fiel escudeiro no barco Lady Lou (de 1969) na disputa dos Clássicos na 49ª Semana Internacional de Vela de Ilhabela.

O evento é uma realização do Yacht Club de Ilhabela e da Prefeitura Municipal de Ilhabela, com patrocínio Mitsubishi Motores, e vai até o próximo sábado, dia 30.

VEJA TAMBÉM:
>> Aproveite 15% de desconto nos ingressos do São Paulo Boat Show

Mais de 10 anos sem competir

Marcelo Ferreira optou nos últimos anos por se dedicar à família e aos negócios, onde se divide entre Nova Friburgo e Saquarema, na região serrana e dos Lagos, no estado do Rio de Janeiro, trabalhando com piscicultura e frigorífico, e havia deixado de vez a vela há quatro anos.

A última vez que Marcelo esteve na capital brasileira da vela foi em 2005, nos preparativos do barco Brasil 1, que terminou em terceiro lugar na regata The Ocean Race, a Volta ao Mundo.

Marcelo Ferreira no pier do Yacht Club de Ilhabela (Foto: Acervo SIVI / Fred Hoffmann

“Vim aqui pelo convite do amigo Torben, ele resgatou uma galera das antigas da nossa época de velejar de Laser pelo clube (Rio Yacht Sailing), então foi um convite que aceitei com muito prazer. Estar revendo todos os amigos, a família da vela, é um prazer”, disse Marcelo, que tem no currículo mais dois títulos mundiais.

Apesar da disputa dos Clássicos ser mais leve e mais uma confraternização com os amigos, está no DNA dos bicampeões olímpicos vencer.

“Vamos levar a resenha, mas à sério. A competição está no sangue da galera, mas também a fase do estresse da pressão já passou. Nós estamos praticamente aposentados, mas a competição é dura, estamos todos dando o nosso máximo a cada manobra, errar o mínimo. É velejar, aproveitar a regata e esses dias lindos aqui”, completou Marcelo.

Foto: Acervo SIVI / Edu Grigaits / Balaio de Ideias

Grandes nomes da vela competindo em Ilhabela

Além de Torben e Marcelo, a 49ª Semana Internacional de Vela de Ilhabela tem na raia outros dois bicampeões olímpicos, como Robert Scheidt (barco Caballo Loco, classe C-30) e Martine Grael (Danadão, na ORC), e os medalhistas de Bronze, Lars Grael e Clínio de Freitas (ambos no Argos, da ORC).

O pentacampeão mundial e bicampeão pan-americano Maurício Santa Cruz está no Three Musketeers, na HPE-25. Campeão Mundial de Optmist, Alex Kuhl navega com o Phoenix. Outros velejadores olímpicos presentes são Samuel Albrecht, Gabriela Nicolino, Henrique Haddad — o “Gigante”, Jorge Zarif e André Fonseca — o “Bochecha”, e Marco Grael. O argentino Martin Billoch também correu os Jogos Olímpicos.

O evento segue diariamente com regatas a partir das 12h até o sábado, quando serão conhecidos os campeões. Acompanhe a programação.

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    EUA enviam ao Rio de Janeiro porta-aviões gigante de 333 metros; entenda

    USS George Washington atracou no Brasil como parte da operação Southern Seas, que visa incentivar a cooperação entre os países

    Em fase final de testes, Aquabus de Ilhabela transportaram 1,5 mil pessoas no fim de semana

    Novo sistema de transporte aquaviário contará com três catamarãs e capacidade para 60 pessoas em cada viagem; data de inauguração ainda não foi divulgada

    Italiana Rossinavi lança catamarã híbrido-elétrico de 43 metros

    Modelo nasce como “projeto mais inovador” do estaleiro, com tecnologias sustentáveis e até uso de Inteligência Artificial

    Schaefer Yachts anuncia barco que não afunda, ideal para resgates em alto-mar

    Com o nome de Interceptor 48 Pilot, novidade é fruto de parceria com a empresa irlandesa Safehaven Marine

    Criatura de 18 metros está impactando a cadeia alimentar da vida marinha; entenda

    Gelatinoso e transparente, os "picles do mares" causam perturbações no ecossistema durante as ondas de calor oceânicas e preocupam cientistas