Fotógrafos renomados vendem imagens por “bagatela” para ajudar a salvar oceanos

Movimento "100 for the Ocean" arrecadou meio milhão de dólares no ano passado e quer repetir sucesso em nova edição

03/06/2024
Foto: 100 for the Ocean/ Divulgação

Quando um grupo de 100 renomados fotógrafos uniu forças, em 2023, para arrecadar verba focada em salvar oceanos, mais de meio milhão de dólares (ou R$ 2,6 milhões, na conversão atual) foram destinados a ONGs do setor. Agora, a ideia é repetir o sucesso e ampliar o debate sobre a defesa do ambiente marinho.

Chamado “100 for the Ocean”, o movimento disponibiliza mais de 100 fotos de 100 profissionais conhecidos ao redor do mundo a preços que partem de 100 dólares (R$ 520) — mas podem chegar na casa dos milhares.

Foto: 100 for the Ocean/ Divulgação

Toda a renda obtida com a venda das imagens será destinada a apoiar organizações focadas em salvar os oceanos, sendo que, nesta segunda edição, três foram escolhidas:

  • Coral Gardeners, nascida na Polinésia Francesa e focada na restauração de corais;
  • Young Ocean Explorers, da Nova Zelândia, responsável por inspirar crianças a proteger e valorizar os ambientes marinhos do mundo;
  • Oceans Initiative, dos Estados Unidos, que reúne dados e informações científicas para combater ameaças à vida marinha.
Foto: 100 for the Ocean/ Divulgação

Como salvar os oceanos com o movimento

As vendas das fotos começaram em 1º de junho e vão até o último dia deste mês. De acordo com a 100 for the Ocean, os preços a partir de 100 dólares são bem mais acessíveis do que seriam se as imagens fossem vendidas por seus autores — que cobrariam de duas a dez vezes mais.


Os interessados em se juntar ao movimento podem escolher entre mais de 100 fotos, sendo que cada uma conta apenas com algo em torno de 100 exemplares — definição que permite uma certa exclusividade aos compradores.

Foto: 100 for the Ocean/ Divulgação

Confira o site oficial do 100 for the Ocean para visualizar as peças disponíveis. Nele, há registros impressionantes de jacarés famintos, baleias brincalhonas, paisagens belíssimas e diversos outros animais fotografados em momentos engraçados e delicados.

O que é tão bom no 100 for the Ocean é que é acessível a muitas pessoas que querem ajudar a proteger o nosso planeta, mas não sabem por onde começar– Cristina Mittermeier, uma das fundadoras do projeto

Foto: 100 for the Ocean/ Divulgação
Foto: 100 for the Ocean/ Divulgação
Foto: 100 for the Ocean/ Divulgação
Foto: 100 for the Ocean/ Divulgação

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Linda e precária: ilha no Caribe Colombiano é a mais densamente povoada do mundo

    Com 10 mil m² de área, Santa Cruz del Islote tem apenas 825 habitantes e sofre com turismo predatório

    Ilhabela deve ganhar 1ª usina de dessalinização de água de São Paulo em 2026

    Projeto prevê aumento de 22% no volume de água tratada no município, atendendo mais de 8 mil pessoas

    Descanso sobre as águas: hospedagem em barcos atracados é opção de lazer no litoral brasileiro

    Ideia dispensa a necessidade de carteira náutica e traz valores acessíveis para uma experiência pra lá de diferente

    Falkirk Wheel: conheça o elevador gigante para barcos que virou ponto turístico

    Construção na Escócia foi feita para driblar desnivelamento maior que um prédio de dez andares

    Ações de despoluição na Baía de Guanabara fazem vida marinha voltar às águas

    Expedições comandadas pelo Instituto Mar Urbano observaram mais animais na região e melhor qualidade da água