Como navegar à noite: dicas para sair em segurança com seu barco

Navegação noturna envolve mais riscos e exige o dobro de atenção no posto de comando; confira

Por: Redação -
09/12/2023

Sob o ponto de vista da natureza, não existem diferenças entre o mar de dia ou à noite — só o que muda mesmo é a sua visualização. As águas não ficam necessariamente piores só porque não há mais o sol. Pelo contrário, muita gente prefere navegar justamente à noite, tanto porque não se sofre com o calor quanto pelo movimento de outros barcos ser menor.

No entanto, apesar de ser uma experiência tão prazerosa quanto desafiante, a navegação noturna envolve mais riscos, e, por isso mesmo, exige o dobro de atenção — o que, infelizmente, nem todos os donos de barcos costumam ter. Afinal, navegar sem luzes pode causar acidentes.

Além da imprudência de quem comanda um barco em excesso de velocidade à noite, há a precariedade de sinalização, já que é frequente encontrar boias apagadas. Por medida de segurança, o correto é diminuir a velocidade na navegação noturna em, no mínimo, 20% em relação ao dia — ou até 50% em áreas com muitos barcos e obstáculos.

 

É claro que, quando se navega em águas conhecidas, fica bem mais fácil reconhecer os acidentes geográficos, mesmo à noite. A coisa muda mesmo quando a região é pouco conhecida. Apesar dos equipamentos eletrônicos, à noite, a visibilidade limitada é sempre um desafio.


Se o mar estiver agitado, então, pior ainda. Mas isso não quer dizer que só se deve ir para o mar de dia. O segredo para navegar à noite é redobrar a atenção, aprender a identificar sinalizações e seguir à risca medidas de segurança, que você confere a seguir.

Luzes na medida

Você deve ter certeza de que as luzes de navegação e um eficiente refletor de radar estão instalados corretamente e funcionando. As luzes para seu próprio uso devem ser mantidas no mínimo. A bússola precisa só de uma minúscula lâmpada e, para a mesa de navegação, luzes vermelhas são ideais, pois não prejudicam a visão noturna. Evite iluminar paióis ou armários e tenha sempre à mão tudo o que irá necessitar.

Tire da cabeça a ideia de que uma lanterna o ajudará a enxergar algo à frente. Muito mais importante que tudo isso, porém, é ficar atento, bem mais do que de dia. Resumindo: faça um check-up das luzes de navegação. Se uma delas não acender, é importante trocá-la.

Previsão do tempo

Uma boa previsão do tempo pode ser o divisor de águas entre um belo passeio ou uma tragédia na navegação noturna. Ela dá, por exemplo, a confiança necessária para deixar as velas levantadas quando a noite se aproxima ou indica a necessidade de rizá-las, à medida que a tarde avança.

Muitos sites oferecem na internet previsões de tempo confiáveis, que podem ser acessadas diariamente, mesmo bem antes da viagem. Assim você se prepara para ela. E mais: é fundamental anotar a velocidade, hora e o rumo da embarcação, além de checar a posição, de tempos em tempos, na carta náutica.

 

E lembre-se: evite manter uma dependência cega dos aparelhos eletrônicos, que podem deixar de funcionar sem aviso. Mas não deixe de ter um GPS com cartplotter a bordo.

Dicas de como navegar à noite

  • Procure saber soltar as amarras, livrar-se dos obstáculos próximos à costa e partir ainda sob a luz do dia. Fique atento à coisas boiando na frente do barco, como troncos, e receba a noite já em mar aberto, porque assim há mais tempo para se acostumar com a escuridão;
  • Marque os pontos estratégicos da rota na carta náutica e tente prever a sequência de eventos que deverão acontecer — e em qual horário — durante o trajeto;
  • Tente timonear tendo uma estrela como referência, checando seu rumo na bússola de vez em quando. Para isso, o indicado é sempre navegar fora da cabine — apesar do frio, a visibilidade aumenta bastante e os olhos logo se adaptam à baixa luminosidade;
  • Leve em consideração que a navegação em águas com obstáculos, como entradas de portos, deve ser mais precisa, e que as referências utilizadas durante o dia podem não servir à noite;
  • Em alto-mar, tudo fica mais fácil. O seu rumo será mantido por intervalos de tempos maiores e, além disso, você estará fazendo a navegação e não ficará com a falsa impressão de estar trafegando por águas desconhecidas;
  • Na hora de entrar em um porto durante a noite, apoie a navegação em cartas e roteiros atualizados. Assim, você evita a dificuldade de distinguir as luzes de balizas, faróis e boias das luzes da cidade, que se confundem;
  • Não navegue à noite se estiver cansado. O efeito no corpo humano é mais intenso no escuro do que no claro, já que a tensão também é maior;
  • Use o radar! Ele é quase imprescindível durante à noite, porque “vê” obstáculos bem antes dos olhos humanos;
  • Prefira os caminhos mais largos, mesmo que mais longos. A noite, atalhos podem significar maiores riscos;
  • Fique atento a sinais de espuma na água, porque eles podem significar arrebentações adiante.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Festa em alto-mar: Tailândia tem mega balada flutuante em catamarã

    Com dois andares e capacidade para 500 pessoas, beach club leva agito a cenário paradisíaco

    Memória Náutica: relembre como foi o Rio Boat Show 99

    Evento se destacou por trazer inovações que foram além dos barcos para 51 mil visitantes

    Rio Boat Show 2024 será palco para estreia da Schaefer V44 em águas brasileiras

    Lançamento walk around da Schaefer Yachts estará nas águas da Marina da Glória, de 28 de abril a 5 de maio

    Megaiate apreendido vira "batata-quente" para os Estados Unidos; entenda o caso

    Governo norte-americano quer vender embarcação e alega não ter condições de pagar manutenção

    Reveladas imagens inéditas de navio que afundou com seu capitão há 84 anos

    O graneleiro Arlington foi encontrado nos EUA e traz, além de imagens, a história do capitão que não quis se salvar