Achado no fundo do oceano, Rolex é devolvido ao dono após 4 anos

Objeto foi encontrado ainda funcionando por surfista australiano que mergulhava de snorkel

25/07/2023
Foto: Instagram @ mattcuddihy / Divulgação

Era pra ser só mais um dia comum na vida — pouco comum — de Matt Cuddihy, um surfista australiano profissional que também é guarda florestal. Até que Matt encontrou um relógio Rolex no fundo do oceano, enquanto mergulhava de snorkel na costa de Noosa, em Queensland (Austrália).

O objetivo dele era resgatar nadadeiras de pranchas de surfe do fundo do mar — um perigo plástico para a vida marinha. Durante o mergulho, o surfista se deparou com o relógio que, para a surpresa de Matt, ainda estava funcionando. Tratava-se de um Rolex Submariner ref. 5513, que estava no fundo do mar há mais de quatro anos.

 

O modelo parou de ser fabricado em 1989 e, por isso, é muito desejado, podendo custar até R$ 160 mil.

Foto: Instagram @mattcuddihy / Divulgação

O raro e valioso relógio foi devolvido ao seu dono, um morador da região australiana de Sunshine Coast, de 69 anos, identificado apenas como Ric. Mas uma longa história se desenvolveu até que Ric fosse de fato encontrado.

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Matt Cuddihy (@mattcuddihy)

A busca pelo dono do Rolex

Ao perceber que havia uma inscrição na parte de trás do relógio, Matt entendeu que o Rolex poderia ter sido um presente especial para alguém. Foi então que o surfista decidiu postar uma imagem do relógio em suas redes sociais, na esperança de encontrar o dono.

Foto: Instagram @mattcuddihy / Reprodução

Matt recebeu mais de 200 mensagens e a história do Rolex encontrado no fundo do oceano começou a ser divulgada na mídia. O surfista recebeu propostas tentadoras de colecionadores para comprar o relógio, mas sua vontade genuína era a de devolver o objeto ao verdadeiro dono.

 

Até que uma mensagem simples chamou a atenção do surfista, dizendo: “Ei, Matt! Se esse relógio tiver uma inscrição especial na parte de trás, é meu. Entrei em contato com a polícia depois que o perdi para ver se ele foi encontrado e limpo. Talvez eu consiga recuperá-lo porque tem memórias muito especiais para mim. Ric.”


Ric foi o primeiro a mencionar a inscrição na parte de trás do relógio — fato que não havia sido divulgado por Matt. O relógio começava, então, a encontrar seu caminho de volta para casa, após longos quatro anos no fundo do mar.

A inscrição no Rolex achado no fundo do mar

Na parte de trás do Rolex, uma inscrição dizia “apresentado em 1971”. A mensagem simples era o detalhe que faria toda diferença. O relógio em questão foi dado de presente a Ric por seu pai ainda em 1971, quando ele tinha apenas 18 anos, por vencer uma regata local.

 

Desde então, Ric não tirou mais o relógio, que o acompanhou por muitas aventuras até ser perdido no mar em 2019, enquanto ele surfava em Noosa, também na Austrália. O Rolex era uma conexão entre Ric e seu falecido pai, que havia servido na Marinha Real Australiana e também era marinheiro.

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Fratello (@fratellowatches)


Ric, aliás, só chegou à postagem de Matt porque um amigo lhe mostrou, uma vez que ele mesmo não faz uso das redes. “Minha filha encontrou o Instagram de Matt e começou a me ajudar a enviar mensagens para ele por vários dias”, explicou.

 

Ao se deparar com as mensagens, Matt perguntou ao homem e sua filha qual era o número de série do Rolex. Quando as informações bateram, Ric se emocionou muito.

Eu desabei completamente. Isso é algo que teve tantas aventuras na minha vida (…) eu não conseguia nem sentar com minha filha e minha esposa enquanto jantávamos. Levantei, saí, encostei em um poste da casa e apenas chorei – Ric, o dono do relógio

Foto: Reprodução

No final das contas, Ric e Matt se conheceram pessoalmente, em Noosa, e descobriram que estão a apenas 50 quilômetros um do outro. “É tudo incrível. Ainda existem pessoas excelentes no mundo”, disse Ric.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Catamarã elétrico de startup vence concurso e fará parte da autoridade marítima de Singapura

    Embarcação participa do projeto singapurense que pretende acabar com emissões portuárias até 2050

    Casas flutuantes em alta: conheça as mais luxuosas do mundo

    Inspire-se com cinco modelos das moradias sobre as águas que estão fazendo a cabeça dos milionários

    Com dois barcos de 19 pés, Ross Mariner mostra lançamento no Rio Boat Show 2024

    Boas opções de entrada, embarcações estarão no salão, de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória

    NÁUTICA Talks recebe Marina Bidoia, mais jovem velejadora a concluir a Refeno

    Velejadora realizou o trajeto Recife-Fernando de Noronha aos 24 anos, e vai levar experiência ao Rio Boat Show 2024

    Posto flutuante da rede Golfinho estará no Rio Boat Show 2024

    Loja de conveniência batizada de WayPoint também será apresentada de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória