Com propulsão eólica, Airbus terá frotas marítimas contra emissões de dióxido de carbono

Gigante da indústria aeroespacial terá velas rotativas e motores biocombustíveis; entenda

25/02/2024
Foto: Norsepower/ Divulgação

Uma parceria entre a empresa francesa Louis Dreyfus Armateurs, a finlandesa Norsepower e a gigante da indústria aeroespacial Airbus pode revolucionar o mercado de velas mecânicas, colaborar para reduzir a poluição na atmosfera e diminuir em 50% as emissões de CO2 na rota transatlântica até 2030.

Toda frota RoRo, da Airbus, será equipada com velas rotativas Norsepower de 35 metros e dois motores biocombustíveis, com tecnologia de rotores em forma de cilindro acionados por energia elétrica. Assim, se aproveitará os ventos e reduzirá o consumo de combustível e as emissões no meio ambiente.

Foto: Norsepower/ Divulgação

O que já seria um enorme avanço, ganha ainda mais importância por envolver a Airbus. Afinal, a empresa é um dos maiores nomes da tecnologia aeroespacial e costuma desenvolver soluções para emissões zero — como propulsão a hidrogênio, combustível de avião sustentável (SAF) e design eVTOL.

Foto: Norsepower/ Divulgação

Além disso, o que anima o projeto é que a tecnologia contra emissões da Norsepower Rotor Sail será aplicada a uma frota inteira da Airbus. Cada navio contará também com combustível convencional e uma ferramenta para controle individual dos rotores — aliado ao relatório de economia de combustível.

 

Assim, a ideia é queimar menos combustível, reduzir as emissões e ainda ter custos mais baixos. Por todos esses elementos, Tuomas Riski, CEO da Norsepower, definiu a parceria entre as três empresas como um “uma virada de jogo para toda a indústria de propulsão eólica auxiliar”.

No caminho certo

Outra parceira na causa de redução de emissões, o Louis Dreyfus Armateurs (LDA) é um renomado armador francês — responsável por gerenciar as operações de carga, translado e descarga de navios — e tem em seu currículo ações pró meio ambiente. Agora, a companhia se junta a Airbus.

Foto: Norsepower/ Divulgação

Em 2023, a LDA teve um navio parcialmente abastecido com SAF, destinado a transportar componentes de aeronaves A320. Porém, seu impacto nem se compara com o acordo fechado recentemente, visto que o anterior se limitava a um único navio e um percurso curto.

 

Sob nova operação da LDA, a Airbus segue buscando soluções modernas de navegação. Em parceria com a Airseas, foi desenvolvido o Seawing, um sistema de vela que lembra uma pipa, mas equipado com controles de voo automatizados com tecnologia aeroespacial.

 

Por Áleff Willian, sob supervisão da jornalista Denise de Almeida

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Mestre em Mecânica, Ricardo Paragon ensina a evitar panes no mar no NÁUTICA Talks

    Empresário e técnico premiado compartilhará dicas importantes durante o Rio Boat Show 2024

    Marinha anuncia regras para barcos durante show da Madonna, no Rio

    Área delimitada para o evento só aceitará embarcações identificadas, vistoriadas previamente e que respeitem os limites de lotação

    Hélio Magalhães divide décadas de experiência como velejador no NÁUTICA Talks

    Com 45 anos de mar e mais de 200 milhas náuticas navegadas, palestrante compartilhará ensinamentos no Rio Boat Show 2024

    Na Holanda, live permite acionar "campainha de peixes" para liberar passagem de animais por eclusa

    Transmissão ao vivo mostra quando um peixe aguarda passagem; espectadores avisam operadores ao "tocar campainha"

    Renault apresenta veleiro desmontável, jet elétrico e prancha motorizada

    Marca francesa propõe novas soluções de mobilidade e mostrou inovações durante lançamento de carro elétrico