Aventureira Tamara Klink se torna a primeira brasileira a atravessar sozinha o Círculo Polar Ártico

Sozinha, ela realizou a viagem que durou mais de dois meses, a bordo de um veleiro de aço

29/09/2023
Foto: Instagram @tamaraklink / Reprodução

Já pensou em como deve ser cruzar o Círculo Polar Ártico absolutamente sozinho? Pois Tamara Klink, de 26 anos, arquiteta e filha do navegante e escritor Amyr Klink, conseguiu realizar essa travessia e se tornar a primeira brasileira — e a mais jovem navegadora do país — a realizar o percurso sozinha.

Foram mais de dois meses cercada por icebergs e na companhia de peixes e pássaros. A arquiteta aventureira percorreu 2.500 milhas entre Camaret sur Mer, na França, e Aasiaat, na Groenlândia, a bordo do veleiro de aço Sardinha 2, com 10,5 metros de comprimento.

Foto: Instagram @tamaraklink/ Reprodução

Mais difícil do que navegar essa distância, foi planejar toda essa viagem. O orçamento tinha suas limitações e a travessia foi atrasada em cinco meses por conta de imprevistos, tornando a navegação diferente do planejado inicialmente.

 

Com isso, Tamara perdeu os períodos na Groenlândia em que o sol brilha durante 24 horas — entretanto, pegou também menos icebergs no caminho. Além disso, ela viajou sem acesso à internet, e a troca de e-mails por satélite era restrita à equipe técnica.

Para correr atrás do tempo perdido, decidi cortar muitas escalas do caminho, fazendo trechos bem mais longos de navegação — Tamara Klink

Segundo a aventureira, o caminho até o círculo polar é de alto risco. Havia icebergs grandes e pequenos não detectados no radar que surgiam de repente. Para sua segurança, ela recebia relatórios diários sobre a posição dos blocos de gelo.

Aqui há poucos locais para fazer reparos se houver um acidente ou se acontecer um problema no motor no meio do radar — relatou Tamara

Vale destacar que o planejamento para realizar a travessia até o Ártico começou ainda em 2022, e teve vários momentos em que Tamara pensou em desistir. Segundo ela, pelo menos uma vez por dia, escrevia em seu diário que estava com muito medo — sensação que aumentava quando ia ancorar.

Foto: Instagram @tamaraklink/ Reprodução

Mas no final de tudo, a longa e solitária viagem valeu a pena e Tamara concluiu sua terceira travessia. Antes, ela já tinha se tornado a mais jovem brasileira a atravessar o Oceano Atlântico sozinha.

É um exercício em que estou sempre encontrando novas energias, estímulos e, para uma mulher, isso é muito motivador — compartilhou Tamara Klink

Foto: Instagram @tamaraklink/ Reprodução

Encantada com a beleza da natureza diariamente — principalmente com o mar e seus icebergs — Tamara se orgulhou de sua trajetória. Por fim, a mais jovem brasileira a atravessar o Círculo Polar Ártico sozinha deseja “mudar o imaginário do que uma mulher é capaz”.

 

Por Áleff Willian, sob supervisão da jornalista Denise de Almeida

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Catamarã elétrico de startup vence concurso e fará parte da autoridade marítima de Singapura

    Embarcação participa do projeto singapurense que pretende acabar com emissões portuárias até 2050

    Casas flutuantes em alta: conheça as mais luxuosas do mundo

    Inspire-se com cinco modelos das moradias sobre as águas que estão fazendo a cabeça dos milionários

    Com dois barcos de 19 pés, Ross Mariner mostra lançamento no Rio Boat Show 2024

    Boas opções de entrada, embarcações estarão no salão, de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória

    NÁUTICA Talks recebe Marina Bidoia, mais jovem velejadora a concluir a Refeno

    Velejadora realizou o trajeto Recife-Fernando de Noronha aos 24 anos, e vai levar experiência ao Rio Boat Show 2024

    Posto flutuante da rede Golfinho estará no Rio Boat Show 2024

    Loja de conveniência batizada de WayPoint também será apresentada de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória