Autoridade marítima de Singapura usará catamarã elétrico com hidrofólio

A embarcação foi um dos seis projetos vencedores de concurso promovido pelo governo singapurense

07/03/2024
Foto: marinEV/ Divulgação

Um tecnológico catamarã elétrico movido a bateria foi escolhido para integrar a Autoridade Marítima e Portuária de Singapura (MPA), e vai trabalhar diretamente com o governo singapurense e pesquisadores associados para operar em portos, sendo essencial para a segurança nos mares do país.

Chamado Hydroglyder, este barco é um conceito de catamarã elétrico desenvolvido pela marinEV, marca pertencente a Yinson GreenTech (YGT). Com apenas quatro anos, a companhia de tecnologia sustentável tem projetos que vão de mobilidade urbana e veículos autônomos até infraestrutura de recarga elétrica.

Foto: marinEV/ Divulgação

Este foi apenas um dos barcos vencedores da competição de embarcações portuárias elétricas (e-HC) feito pela MPA. Depois de 30 empresas concorrentes e 55 propostas, 11 empresas foram selecionadas e apenas seis trabalharão diretamente com Singapura.

Catamarã elétrico, tecnológico e sustentável

A Hydroglyder se trata de um tecnológico catamarã de transferência de tripulação, que combina o hidrofólio movido por propulsão elétrica e baterias substituíveis com a zero emissão na jusante, segundo a empresa. Sendo assim, é uma das poucas opções de transporte marítimo com essa característica.

Foto: marinEV/ Divulgação

A tecnologia do Hydroglyder eleva o casco acima da água, que reduz o arrasto e proporciona um passeio mais suave. Segundo a marinEV, a embarcação entrega até 50% a 70% de economia de energia e 90% de redução no custo operacional em comparação com barcos convencionais.

 

Além disso, o acoplamento automático é outro recurso de alta tecnologia neste catamarã elétrico, concebido para ser adaptado para operações totalmente autônomas no futuro. Esta moderna embarcação também está equipada com sistemas de navegação e sensores de última geração.

Foto: marinEV/ Divulgação

De acordo com a marinEV, tudo foi cuidadosamente pensando peara otimizar a eficiência energética: desde o casco leve feito de materiais compósitos, assentos impressos em 3D — que são mais leves — e operações adaptáveis a diferentes perfis operacionais.

Mais rápido do que parece

Este catamarã elétrico mede 39 pés (pouco menos de 12 metros de comprimento) e foi projetado para transportar seguramente até 12 passageiros, com uma tripulação máxima de duas pessoas. E sua velocidade também não deixa a desejar, tanto de cruzeiro quanto na máxima.

Foto: marinEV/ Divulgação

Em termos de desempenho, ele promete uma velocidade máxima de 30 nós (55,5 km/h) e de 20 a 25 nós (37 a 46 km/h) em cruzeiro. Além disso, possui um alcance de 15 milhas náuticas (27,7km). Por fim, a embarcação portuária conta com um sistema de atracação automática.

 

Por Áleff Willian, sob supervisão da jornalista Denise de Almeida

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    NÁUTICA Talks terá papo sobre a história dos jets com Renan Macedo

    Fundador da Usina do Jet ainda falará sobre o avanço das corridas e expedições a bordo da embarcação; palestra acontece durante o Rio Boat Show 2024

    Danimar leva scooter aquática e modelos off road ao Rio Boat Show 2024

    Concessionária oficial de marcas como Segway, empresa também apresentará UTV e quadriciclo ao público do evento náutico

    André Homem de Mello recorda histórica volta ao mundo a vela no NÁUTICA Talks

    Primeiro brasileiro a alcançar o feito em solitário e sem escalas integra agenda recheada do Rio Boat Show 2024

    Fernando Moraes conduz mergulho pelas ilhas brasileiras no NÁUTICA Talks

    Biólogo marinho trará à tona detalhes sobre biodiversidade e história de locais emblemáticos durante o Rio Boat Show 2024

    Prós e contras do envelopamento náutico serão discutidos com Pedro Dias no NÁUTICA Talks

    Especialista em adesivagem náutica, "Pedrinho" vai conduzir bate-papo na série de palestras do Rio Boat Show 2024