Registro raro: lula de mar profundo ataca câmera com tentáculos “acesos”; assista

Filmagem mostra animal sendo atraído por isca presa a uma câmera a mais de mil metros de profundidade no Pacífico Sul

24/05/2024
Foto: UWA / Reprodução

O fundo do mar reserva grandes segredos e desperta muita curiosidade, principalmente a respeito dos animais que lá habitam. Em um momento raro, uma espécie de lula pouco avistada por pesquisadores não só foi registrada, como flagrada em ação: o animal ataca uma câmera com os tentáculos “acesos”, em uma clara tentativa de distrair a “presa” através da bioluminescência.

A espécie de lula-luminescente-de-mar-profundo (Taningia danae) — que pode atingir até 2,3 m de comprimento –, foi filmada “ao norte da passagem de Samoa, no Pacífico Sul, a 1.026 metros de profundidade”, como conta, no vídeo, a pesquisadora Jess Kolbusz, do Centro de Pesquisas de Mar Profundo Minderoo-UWA.

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por @deepseauwa


Kolbusz e uma equipe de pesquisadores da Universidade da Austrália Ocidental (UWA) e da Kelpie Geosciences, do Reino Unido, conseguiram capturar o ataque do animal através de uma câmera em queda livre, a 60 metros por segundo, que carregava consigo uma isca, responsável por atrair a lula.

Foto: UWA / Reprodução

De forma ágil, o animal “abraça” o equipamento com seus tentáculos, e chama atenção por, dois deles, estarem com os “faróis acesos” — recurso conhecido como bioluminescência, utilizada pela espécie tanto para confundir suas presas, quanto para atrair lulas fêmeas para acasalamento. A lula some novamente na escuridão quando percebe que não se trata verdadeiramente de um alimento.


A luz emitida pelo animal se dá graças ao fotóforo, um órgão glandular epidérmico que aparece como áreas luminosas em vários animais marinhos e não-marinhos. Além de serem comumente utilizados para atrair presas e parceiros sexuais, também são úteis na comunicação entre animais de mesma espécie. No caso da lula, o órgão tem tamanho semelhante ao de limões, conforme explicam os pesquisadores.

Agora vocês podem ver claramente os grandes fotóforos nas pontas dos seus dois braços que produzem bioluminescência– disse Kolbusz no vídeo

A lula-luminescente-de-mar-profundo vive em um habitat de difícil acesso, o que torna o registro feitos pelos pesquisadores ainda mais especial. “A maior parte do nosso conhecimento sobre esta grande lula vem de encalhes, quando elas são levadas até a costa ou acidentalmente arrastadas”, disse o professor Alan Jamieson, da UWA, à BBC.

Também podemos examinar lulas retiradas do conteúdo estomacal das baleias. Mas tudo isso não nos diz muito sobre a sua existência cotidiana, e é por isso que é incrível vê-las vivas na profundidade exata em que operam– completou o professor à BBC

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Estrada de pedra de 7 mil anos atrás é registro da história no fundo do Mar Adriático

    Cerâmicas e outros artefatos encontrados no local são vestígios que podem ter pertencido a antiga civilização de Hvar, na Croácia

    Curtir paisagens com água diminui a frequência cardíaca, apontam estudos

    Efeito positivo da água sobre a pressão arterial foi comprovado em três experiências com humanos

    Estaleiro holandês Feadship lança seu primeiro superiate movido a energia solar

    Embarcação de 59,5 metros representa mais um passo da marca rumo ao objetivo de ser neutra para o clima até 2030

    Mestra levará seu maior barco ao Marina Itajaí Boat Show 2024

    Estaleiro estará no evento náutico com três opções de lanchas que vão de 29,5 pés a 35 pés

    Com sucata, mecânico constrói barco à mão para ajudar ilhados no Rio Grande do Sul

    Geraldo perdeu quase tudo na enchente, menos a vontade de ajudar ao próximo