Brasil ganha equipe na E1, torneio de barcos elétricos que reúne celebridades

Graças a bilionário boliviano, Team Brazil já estará na estreia do campeonato, no início de fevereiro

10/01/2024
E1 / Divulgação

As cores da bandeira brasileira voarão sobre as águas na E1 Series (World Electric Boat Series), torneio que tem times fundados por atletas e celebridades, como Tom Brady, Rafael Nadal, Didier Drogba e Sergio Perez. A entrada do Brasil no campeonato de barcos elétricos foi anunciada nesta quarta-feira (10), a menos de um mês de sua estreia.

A E1 Series é uma corrida de alta velocidade em barcos conhecidos como “Racebirds”, que podem chegar a quase 100 km/h, alimentados por baterias elétricas, e usam a tecnologia de hidrofólios para “planar sobre as águas” — assim como já acontece com os veleiros da célebre America’s Cup.

E1 / Divulgação

Marcelo Claure, o bilionário boliviano responsável por colocar o nome do Brasil no campeonato, conta estar animado “em fazer parte dessa revolução no mundo dos esportes a motor”. Com oito times na disputa, a competição estreia em 2 de fevereiro, com uma etapa em Jeddah, na Arábia Saudita. Ou seja, o Team Brazil terá pouquíssimo tempo para se preparar.

 

Cada equipe terá dois pilotos, um homem e uma mulher. “As regras da E1 preveem isso e também que ambos devem ter boa performance nas corridas, para a equipe obter boa pontuação”, explica Claure.

Foto: Divulgação

O barco do Team Brazil será pintado de verde e amarelo e, por enquanto, não terá nenhuma marca patrocinadora exposta. Claure espera que isso mude em breve, já que o campeonato da E1 terá sete provas em 2024, com corridas no Oriente Médio e na Europa.

 

O boliviano vai ainda mais longe, e quer trazer uma prova do campeonato para o Brasil em 2025 — na Amazônia ou no Rio de Janeiro.

 

“Gostaria muito de ter uma corrida na região amazônica, no mesmo ano em que Belém vai receber a COP 30,” disse Claure ao Brazil Journal.

Foto: E1 / Divulgação

“A E1 representa um movimento em direção a um futuro mais sustentável e inovador, com maior compromisso com a responsabilidade ambiental. Estou ansioso para combinar a paixão que os brasileiros têm pelos esportes e o amplo alcance da plataforma E1 para catalisar a missão de promover a sustentabilidade marinha”, declarou Claure.

 

O empresário apontou que deseja “contribuir para a liderança contínua do Brasil nas discussões globais sobre sustentabilidade”.

Os empresários por trás do Team Brazil

Nascido em La Paz, capital da Bolívia, Marcelo Claure decidiu entrar na E1 defendendo o verde e amarelo brasileiro, tendo como sócio o gaúcho Eduardo “Duda” Melzer — que também é seu sócio na eB Capital.

 

 

Claure revelou ao Brazil Journal que o Brasil, “por sua importância dentro do universo do ESG (Environmental, Social and Governance, ou Governança Ambiental, Social e Corporativa)”, não poderia ficar de fora. “O Brasil se tornou um país muito importante para mim e o futuro está na transição ecológica — e a velocidade conta muito,” disse ele ao veículo.

 

Apesar disso, com exceção de Duda Melzer, não há brasileiros na equipe. Por enquanto, engenheiros e pilotos são estrangeiros. A ideia do empresário, contudo, é desenvolver brasileiros que possam assumir funções na equipe nos próximos anos.

Foto: LinkedIn Eduardo Sirotsky Melzer / Reprodução

“Estamos fazendo tudo em tempo recorde para ter um time pronto para a estreia. Mas, ao longo da temporada, vamos desenvolver talentos brasileiros para as vagas de piloto e engenheiro”, afirmou Marcelo ao Brazil Journal.

 

Apesar de sair atrás das equipes dos astros já mencionados, o Brasil pode, contudo, colher bons frutos no campeonato ao longo dos anos. Isso porque, diferente do Team Brazil, Marcelo Claure não é nenhum novato no ramo das competições. Afinal, você pode não conhecê-lo pelo nome, mas certamente já ouviu falar de seus negócios.


Não é preciso ser nenhum grande fã de futebol para saber que Lionel Messi deixou seu antigo clube, o Paris-Saint Germain, da França, para viajar até Miami, nos Estados Unidos, e passar a defender as cores do Inter Miami CF. Mas o que isso tem a ver com Marcelo Claure?

 

Pois bem, o boliviano, ao lado do ex-jogador inglês David Beckham, fundou o Inter Miami em 2012 — ano em que Messi fez incríveis 91 gols pelo Barcelona, da Espanha.

Foto: Divulgação

Antes disso, em 2008, Claure comprou o Bolívar, time mais vitorioso da Bolívia que, atualmente, tem uma parceria com o Grupo City, empresa que administra uma rede de clubes ao redor do mundo, como o próprio Manchester City, atual campeão da Champions League.

 

Quer mais? Em 2020, em sociedade com o Grupo City, Marcelo Claure comprou o Girona, vice-líder do Campeonato Espanhol, empatado em número de pontos com ninguém menos que o Real Madrid.

 

Como se não bastasse o sucesso nas investidas esportivas, aos 53 anos, Marcelo Claure é ainda o fundador e CEO do Grupo Claure, Presidente Executivo da Bicycle Capital, sócio da gestora de private equity eB Capital e Vice-Presidente do Grupo Shein.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Público do Rio Boat Show 2024 tem desconto exclusivo em hotel oficial

    Bem localizado, Novotel Leme oferece condições especiais para visitantes do salão náutico mais charmoso da América Latina

    Visita de mergulhador a restos de baleia vence concurso de fotos subaquáticas do mundo; veja imagens

    Competição de fotos de dentro do mar acontece anualmente e conta com diversas categorias

    Filmagem de primeiras ondas de tsunami na Tailândia viraliza 20 anos após desastre

    De férias no local, homem filmou, sem saber, o início do fenômeno de 2004; assista ao vídeo

    Memória Náutica: relembre como foi o Rio Boat Show do ano 2000

    Terceira edição do evento teve de lancha sendo construída ao vivo a tanque de mergulho de 5 m de profundidade

    Com propulsão eólica, Airbus terá frotas marítimas contra emissões de dióxido de carbono

    Gigante da indústria aeroespacial terá velas rotativas e motores biocombustíveis; entenda