Escondidos há mais de mil anos, relíquias do século 5 são achadas em cidade submersa

Arqueólogos encontraram no Egito instrumentos de prata usados em rituais, joias de ouro e potes de alabastro

26/10/2023
Foto: Christoph Gerigk/ Franck Goddio/Fundação Hilti/ Reprodução

Pesquisadores descobriram, no fundo do mar Mediterrâneo, uma série de tesouros escondidos datados do século 5 a.C., na cidade submersa de Thonis-Heracleion. No local, que hoje se encontra a seis quilômetros da costa, havia um templo dedicado ao deus egípcio Amon e um santuário à deusa grega Afrodite.

A cidade submersa foi descoberta em 2000, por pesquisadores do Instituto Europeu de Arqueologia Subaquática (IEASM), os mesmos que conduziram a recente exploração ao local, juntamente ao Departamento de Arqueologia Subaquática do Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito.

Foto: Christoph Gerigk/ Franck Goddio/Fundação Hilti/ Reprodução

Para os arqueólogos do IEASM, o templo de adoração ao deus Amon tinha tanta importância que os faraós costumavam usá-lo em cerimônias para receber títulos de poder. Mas, por conta de desastres naturais que aconteceram em diferentes períodos, ocorreu um colapso de enormes blocos de pedra do local, que soterrou suas riquezas.

Concentrada no canal sul da antiga cidade, as escavações subaquáticas recentes revelaram uma riqueza de objetos preciosos e tesouros escondidos do templo, como instrumentos de prata usados em rituais, joias de ouro e recipientes de alabastro, usados para armazenar perfumes e pomadas.

Foto: Christoph Gerigk/ Franck Goddio/Fundação Hilti/ Reprodução

Há mais de mil anos, a estrutura hoje submersa desabou parcialmente após diferentes catástrofes naturais. Antes disso, fazia parte da antiga cidade portuária de Thonis-Heracleion, até desaparecer por volta de 8 d.C., graças a uma combinação de fatores, como o aumento do nível do mar, tsunamis e terremotos.

É extremamente comovente descobrir objetos tão delicados, que sobreviveram intactos, apesar da violência e da magnitude das catástrofes– Franck Goddio, arqueólogo marinho e presidente do IEASM

A missão também descobriu, além de tesouros escondidos, estruturas subterrâneas bem preservadas sob o templo de adoração ao deus Amon, “sustentadas por postes e vigas de madeiras em um estado surpreendentemente bem preservado, datando do século 5 a.C.”.

Foto: Christoph Gerigk/ Franck Goddio/Fundação Hilti/ Reprodução

Além disso, o santuário para a deusa Afrodite, que abrigava vários objetos de bronze e cerâmica, sugere a presença de gregos no local na época dos faraós da dinastia Saíta. Assim, eles tinham seus próprios santuários para adorar os seus deuses, segundo o instituto.

 

Para realizar as descobertas, os pesquisadores usaram tecnologias inovadoras de prospecção geofísica, que têm a capacidade de identificar cavidades e objetos enterrados, mesmo sob camadas de argila de vários metros de espessura.

 

Por Áleff Willian, sob supervisão da jornalista Denise de Almeida

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Poluição sonora no mar pode ser catastrófica para as baleias

    Barulhos provenientes da navegação de barcos, extração de recursos e outras atividades marítimas afetam a circulação dos animais que se comunicação pelo som

    Confira a melhor forma de chegar ao Rio Boat Show 2024

    Evento náutico mais charmoso da América Latina contará com transfer todos os dias e estacionamento 24h; saiba mais

    NÁUTICA Talks: Izabel Pimentel e Marcelo Osanai contam acontecimentos inesperados na navegação

    Dois navegadores que já passaram por apuros em alto-mar relatam suas incríveis histórias no Rio Boat Show 2024

    Yamaha vai ao Rio Boat Show 2024 com cinco motores e dois jets

    Entre os equipamentos, estão cinco modelos de popa; evento acontece de 28 de abril a 5 de maio

    Memória Náutica: relembre como foi o Rio Boat Show 2019

    Evento chegou a sua última edição antes da pandemia consolidado como o mais importante salão náutico outdoor da América Latina