Empresa planeja plantar 100 milhões de árvores de manguezais na costa de Dubai

Batizada de Dubai Mangroves, ideia da Urb visa proteger a cidade da erosão e do aumento do nível do mar

08/05/2024
Foto: Urb / Divulgação

De longe a principal cidade dos os Emirados Árabes Unidos, Dubai é conhecida pela arquitetura moderna, shoppings de luxo e arranha-céus como o Burj Khalifa, maior torre do mundo. Sendo assim, pouco se fala da área costeira da região, banhada pelo Golfo Pérsico — mas o projeto Dubai Mangroves, da empresa local Urb, promete mudar essa concepção, com a plantação de 100 milhões de árvores de manguezais no local.

Apesar de fugir do concreto e dos vidros espelhados, o Dubai Mangroves faz jus a cidade e carrega um título ambicioso: o maior projeto de regeneração costeira do mundo. Isso porquê a empreitada envolve o plantio de mais de 100 milhões de árvores encontradas em regiões de mangue, para proteger a cidade de erosão e do aumento do nível do mar.

Foto: Urb / Divulgação

No centro desta iniciativa estão os manguezais, conhecidos por sua capacidade única de sequestrar carbono, proteger as zonas costeiras da erosão e apoiar a vida marinha e a segurança alimentar– declarou a Urb sobre o Dubai Mangroves

“Com a capacidade de absorver aproximadamente 12,3 kg de dióxido de carbono (CO₂) anualmente por árvore, todo o projeto pode sequestrar 1,23 milhões de toneladas de CO₂ a cada ano, o equivalente à remoção do CO₂ emitido por mais de 260 mil veículos de passageiros motorizados movidos a gasolina das estradas todos os anos”, completou a Urb sobre a ideia.

Foto: Urb / Divulgação

A ideia é que as 100 milhões de árvores do Dubai Mangroves ocupem 72 km de costa, e, além de captarem CO₂, ajudem nas defesas naturais do mar, bem como sirvam de viveiro para a vida marinha, aumentando o número de peixes na região e criando uma filtragem de água, graças as suas raízes.


Toda essa empreitada levaria muitos anos, mas a Urb pensa em acelerar as coisas através do uso de drones alimentados por inteligência artificial (IA) e imagens de satélite, que facilitariam o cuidado com a plantação e, consequentemente, agilizariam o processo.

Foto: Urb / Divulgação

De quebra, o Dubai Mangroves movimentaria a economia local, com a criação de pequenas praias, centro de visitantes educacional, um museu botânico e um centro natural para realização de pesquisas, educação e promoção de gestão ambiental.

Foto: Urb / Divulgação

No momento, o Dubai Mangroves está no papel, mas a Urb já conta com seis projetos-piloto que indicam a capacidade de realização do projeto.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Tags

    Relacionadas

    Casa de vidro sobre as águas no Texas está à venda por quase R$ 30 milhões; conheça

    Residência fica na cidade de Round Top, cujo último senso registrou população de 91 habitantes

    E-combustíveis para o setor marítimo podem gerar 4 milhões de empregos, diz pesquisa

    Estudo foi encomendado pelo Fórum Marítimo Global e indica que as vagas serão abertas até 2050

    Futurista e feita de titânio: conheça a lancha de 55 pés que parece uma nave espacial

    Com estilo contemporâneo, será a primeira embarcação lançada pelo estaleiro Mirrari, dos Emirados Árabes Unidos

    Litoral de São Paulo e do Rio pode ter ondas de até 3 metros neste sábado (18)

    Alerta da Marinha do Brasil vale para as cidades de Santos e Campos dos Goytacazes; confira dicas de segurança em caso de ressaca marítima

    Projeto na Croácia quer criar cinco vilas ecológicas de luxo à beira mar com direito a barcos elétricos

    Ideia da eD-TEC visa redefinir o conceito de vida de luxo, oferecendo energia solar às moradias durante os 365 dias do ano