Avanço do mar faz ilha no Panamá ser evacuada antes que fique submersa

Governo construiu 300 novas casas para que moradores de Gardi Sugdub tenham onde morar

11/06/2024
Foto: Flickr/ Lee Bosher/ Reprodução

O avanço do mar, provocado pelas mudanças climáticas, está prestes a deixar uma ilha no Panamá submersa. Localizada na costa norte do Caribe, o arquipélago Gardi Sugdub, de 400 metros de comprimento, abrigava cerca de 1,3 mil pessoas até o ano passado.

Os moradores, no entanto, estão sendo removidos da ilha, lar do povo indígena Guna há mais de cem anos. Nos últimos tempos, tempestades têm provocado inundações que afetam os sistemas habitacionais, de saúde, educação e distribuição de água, situação que deve piorar com o aumento da crise climática.

Foto: Human Rights Watch/ Reprodução

Embora a população tenha tentado reforçar o perímetro da ilha com pedras e estacas, nada adiantou para conter a água. De acordo com os cientistas, é provável que as condições meteorológicas extremas se tornem mais comuns e que a ilha desapareça do Panamá até o final do século.

Moradores da ilha estão indo para outra região do Panamá

Embora de forma relutante, a população local aceitou, em 2010, que a única saída seria buscar um local mais seguro para morar. Após anos de esforços liderados por ONGs, o governo do Panamá se comprometeu, em 2017, a construir 300 casas para os habitantes da ilha.

Construção das novas casas. Foto: Human Rights Watch/ Reprodução

O empreendimento, no entanto, atrasou diversas vezes, até que, na última semana, as famílias começaram a se mudar.

Estamos um pouco tristes, porque vamos deixar para trás as casas que conhecemos durante toda a vida, a relação com o mar, onde pescamos, onde tomamos banho e para onde vêm os turistas. O mar está afundando a ilha aos poucos– Nadín Morales, ao jornal português RTP

As novas residências ficam em uma região de floresta tropical, a pouco mais de dois quilômetros do porto — ou cerca de oito minutos até a ilha. Segundo o governo, foi necessário empreender 11 milhões de euros (R$ 63,5 milhões) para receber a população de Gardi Sugdub.


Como a evacuação não é obrigatória, algumas famílias optaram por continuar a viver na ilha, até que as condições se tornem insustentáveis.

 

Este é o primeiro pedaço do Panamá que corre o risco de ficar submerso por conta das mudanças climáticas, mas as projeções não são animadoras. De acordo com um estudo da Direção de Alterações Climáticas do Ministério do Ambiente do Panamá, o país perderá cerca de 2,01% do território costeiro até 2050 por conta da subida do nível do mar.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Ilhabela deve ganhar 1ª usina de dessalinização de água de São Paulo em 2026

    Projeto prevê aumento de 22% no volume de água tratada no município, atendendo mais de 8 mil pessoas

    Descanso sobre as águas: hospedagem em barcos atracados é opção de lazer no litoral brasileiro

    Ideia dispensa a necessidade de carteira náutica e traz valores acessíveis para uma experiência pra lá de diferente

    Falkirk Wheel: conheça o elevador gigante para barcos que virou ponto turístico

    Construção na Escócia foi feita para driblar desnivelamento maior que um prédio de dez andares

    Ações de despoluição na Baía de Guanabara fazem vida marinha voltar às águas

    Expedições comandadas pelo Instituto Mar Urbano observaram mais animais na região e melhor qualidade da água

    Boat Show traz descontos exclusivos para hospedagem em Itajaí; conheça opções

    Parceria com dois hotéis garante conforto e condições especiais para visitantes do salão, que acontece de 4 a 7 de julho