Casas flutuantes triangulares trazem cultura africana e música ao vivo em Cabo Verde

Com formato curioso, cores vivas e materiais nativos da região, estrutura pré-fabricada foi elaborada pelo renomado arquiteto nigeriano Kunlé Adeyemi

04/06/2024
Foto: NLÉ/ Divulgação

Três casas flutuantes triangulares próximas do mar já atraem olhares por si só. Agora, imagina se elas tivessem música, fossem pré-fabricadas passassem a sensação de estar curtindo férias no Havaí? Senhoras e senhores, essa é a Floating Music Hub, localizada na ilha de São Vicente, em Cabo Verde, na África.

Embora lembre uma triforce do jogo The Legend Of Zelda, a construção repleta de triângulos em nada tem a ver com isso. Tratam-se de casas flutuantes feitas pela NLÉ — que significa “em casa” em iorubá (grupo étnico-linguístico da África Ocidental) — , que surfam na onda das obras modulares, com estruturas pré-montadas de fábrica e que podem ser instaladas na superfície da água.

Foto: NLÉ/ Divulgação

O conceito principal da construtora é projetar casas pré-fabricadas anfíbias, que sejam sustentáveis e acessíveis. Já que possibilitam serem montadas e desmontadas facilmente, as unidades das casas triangulares flutuantes podem ser transportadas sobre a água e construídas na base desejada.

Uma maravilha arquitetônica

Com a participação de diferentes profissionais, o isolamento das casas flutuantes triangulares foi pensado para evitar inundações. Além disso, segundo a NLÉ, o Floating Music Hub tem a missão de promover a música, dança, moda e arte africana — elementos que explicam as cores vivas na iluminação.

Foto: NLÉ/ Divulgação

A menor “casa” funciona como um bar, recheado de comes e bebes. Já o triângulo médio acomoda um estúdio de gravação, enquanto a maior é uma sala multifuncional de apresentações ao vivo. Quem aproveita as atrações, pode socializar na praça flutuante — que fica um show a noite!

Foto: NLÉ/ Divulgação

Assim, esta maravilha arquitetônica do nigeriano Kunlé Adeyemi consegue ir além de um ornamento paisagístico, sendo uma estrutura funcional que resgata a rica história cultural e toda a diversidade de Cabo Verde.

Ambiente harmônico e seguro

O fato de a construção ser flutuante não só anima os visitantes da Floating Music Hub, como também serve como uma alternativa segura aos perigos causados pelas alterações climáticas. O arquiteto Kunlé Adeyemi ainda teve inspiração na base pesqueira ao construir a plataforma.

Foto: NLÉ/ Divulgação

Para dar o toque mais natural às casas flutuantes triangulares, a madeira utilizada na construção é predominantemente de origem local, que só fomenta o clima tropical de Cabo Verde com um design único, curioso e extremamente atrativo aos olhos.

Foto: NLÉ/ Divulgação

Ao mesmo tempo que é simples, a base das casas flutuantes tem sua engenhosidade, sendo projetada em pilares e vigas, com estacas triangulares de concreto apoiado na plataforma. Os módulos individuais, por sua vez, são montados juntos e, quando prontos, formam uma estrela — e um buraco proposital em forma de triângulo.

 

Por Áleff Willian, sob supervisão da jornalista Denise de Almeida

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Peixe-lua encontrado em praia dos EUA pode ser o maior já registrado na história

    Espécie rara de 2,2 metros foi encontrada já sem vida na cidade de Gearhart, no estado de Oregon

    Linda e precária: ilha no Caribe Colombiano é a mais densamente povoada do mundo

    Com 10 mil m² de área, Santa Cruz del Islote tem apenas 825 habitantes e sofre com turismo predatório

    Ilhabela deve ganhar 1ª usina de dessalinização de água de São Paulo em 2026

    Projeto prevê aumento de 22% no volume de água tratada no município, atendendo mais de 8 mil pessoas

    Descanso sobre as águas: hospedagem em barcos atracados é opção de lazer no litoral brasileiro

    Ideia dispensa a necessidade de carteira náutica e traz valores acessíveis para uma experiência pra lá de diferente

    Falkirk Wheel: conheça o elevador gigante para barcos que virou ponto turístico

    Construção na Escócia foi feita para driblar desnivelamento maior que um prédio de dez andares