Baleia mais solitária do mundo: o mistério que intriga pesquisadores desde 1989

Conhecida como 52-hertz, animal tem canto único e não consegue se comunicar com outras baleias

04/11/2023

Detectada por oceanógrafos pela primeira vez em 1989 no Norte do Oceano Pacífico, a baleia mais solitária do mundo é um mistério desde então. Isso porque o animal nada sozinho na imensidão do oceano, uma vez que seu canto, em uma frequência única de 52-hertz, faz com que ela não seja ouvida por outras baleias — cujos cantos alcançam de 10 a 39-hertz.

Profissionais do Institutito de Oceanografia Woods Hole, dos Estados Unidos, foram os responsáveis por detecta-lá pela primeira vez, através de um Sistema de Monitoramento Sonoro da Marinha norte-americana, usado durante a Guerra Fria para a detecção de submarinos inimigos.

Sem espécie identificada, a baleia acabou sendo “batizada” de 52-hertz, nome de seu canto único e razão pela qual o animal intriga pesquisadores há mais de 30 anos. A vocalização da baleia solitária possui uma frequência maior que a das outras, além de padrões diferentes.

 

Desde 1992, oceanógrafos passaram a detectar a 52-hertz anualmente, e confirmaram que ela possuía um canto singular, que era ouvido uma vez por temporada e de apenas uma fonte. Apesar disso, o animal nunca foi avistado.

 

Em um artigo publicado na Deep-Sea Research, o pesquisador William Watkins, especialista em acústica marinha, destaca ainda que os padrões de migração do animal não remetem a nenhuma espécie conhecida.

William Watkins pesquisou a baleia de ’52-hertz’ por 12 anos. Foto: Instituto de Oceanografia Woods Hole / Divulgação

Watkins acompanhou a 52-hertz por 12 anos, com a ajuda de hidrofones e sistemas de captação de sons embaixo d’água espalhados pela costa dos Estados Unidos. “Os registros deixados por ela não estão relacionados a nenhuma das outras que são acompanhadas todos os anos, como as baleias-azuis, as baleias-comuns e as jubartes“, comentou o pesquisador.

Há indícios, no entanto, de que pode ser um indivíduo de espécie híbrida, entre baleia azul e comum– explica William Watkins

Além de Watkins, outros pesquiadores participaram do estudo sobre a 52-hertz, entre eles, Mary Ann Daher. A cientista afirma que o canto incomum da baleia pode ser resultado de alguma má-formação do animal. “Ela canta na frequência errada mas ouve na frequência certa, o que a deixa sozinha no oceano a procura de parceiros para reprodução,” destacou a cientista.

Acolhida pela comunidade

Todas as pesquisas em torno da 52-hertz levaram os pesquisadores a considerá-la, realmente, a baleia mais solitária do mundo, já que, de fato, o animal nada sozinho, sem se fazer ouvida por outros animais. A história dramática da baleia, no entanto, fez com que ela ganhasse uma legião de fãs em terra firme.


A história começou quando os resultados das pesquisas de Watkins foram publicados no jornal The New York Times, em 2004. A partir daí, produções artísticas, como documentários, curta-metragens, músicas e filmes foram desenvolvidos ao redor da baleia.

 

Uma das obras mais conhecidas é o documentário “A baleia mais solitária”, que mostra a busca pela 52-hertz por um grupo de cinco pesquisadores navegando pela costa da Califórnia. O projeto, lançado em 2021, contou com a produção e o apoio de Leonardo DiCaprio.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Catamarã elétrico de startup vence concurso e fará parte da autoridade marítima de Singapura

    Embarcação participa do projeto singapurense que pretende acabar com emissões portuárias até 2050

    Casas flutuantes em alta: conheça as mais luxuosas do mundo

    Inspire-se com cinco modelos das moradias sobre as águas que estão fazendo a cabeça dos milionários

    Com dois barcos de 19 pés, Ross Mariner mostra lançamento no Rio Boat Show 2024

    Boas opções de entrada, embarcações estarão no salão, de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória

    NÁUTICA Talks recebe Marina Bidoia, mais jovem velejadora a concluir a Refeno

    Velejadora realizou o trajeto Recife-Fernando de Noronha aos 24 anos, e vai levar experiência ao Rio Boat Show 2024

    Posto flutuante da rede Golfinho estará no Rio Boat Show 2024

    Loja de conveniência batizada de WayPoint também será apresentada de 28 de abril a 5 de maio, na Marina da Glória