Fazer xixi no mar da Espanha pode render multa de R$ 4,5 mil aos turistas; entenda

Projeto de lei tramita em Marbella e quer proibir moradores e visitantes de se aliviarem nas águas das praias

08/07/2024
Imagem ilustrativa

Quem já passou por uma situação de aperto na praia sabe que fazer xixi no mar pode parecer a opção mais óbvia para encontrar o desejado alívio. Mas na Espanha, agir dessa forma deve ser a última opção para aqueles que não pretendem abrir os bolsos.

Isso porque os vereadores da cidade costeira de Marbella votaram a favor de um projeto de lei que, entre outras coisas, institui multa de até 750 euros — ou R$ 4,5 mil, na conversão atual — aos turistas que urinarem nas águas de uma das 25 praias da região.

Imagem ilustrativa

O documento ainda deve passar por consulta pública antes de se tornar lei, mas de acordo com ele, “evacuação (defecação, micção, etc) no mar ou na praia” corresponde à infração leve, passível de punição.

 

A prefeitura não informou como pretende fiscalizar os turistas que tentarem fazer xixi no mar de forma furtiva, mas aponta que será da responsabilidade da Câmara Municipal a instalação de “sanitários públicos acessíveis a cada 150 metros”.

 

Além da proibição do xixi no mar, o projeto elenca uma série de medidas a serem tomadas para garantir a “segurança, gestão e bom uso” das praias, já que a população triplica em Marbella a cada verão por conta dos pontos turísticos.


O aumento populacional, inclusive, é apontado como cada vez mais longo, em vista das mudanças climáticas que estão ampliando a duração dos dias de calor.

 

Dentre os outros pontos passíveis de multa, está a impossibilidade dos banhistas brincarem com bolas dentro d’água, reservarem uma área com guarda-sol, jogarem pontas de cigarro ou restos de comida no chão, ouvirem música alta, levarem animais domésticos para a areia e exercer qualquer atividade comercial não autorizada previamente.

Fazer xixi no mar faz mal para o meio ambiente?

De acordo com um estudo realizado pela Sociedade Americana de Química (ACS, na sigla em inglês), a resposta para essa pergunta é: não.

 

Isso porque a urina humana é composta, em 95%, por água. O restante contém sais diversos e ureia, que até poderia prejudicar a vida marinha, mas em vista do volume do oceano, não gera problemas.

Imagem ilustrativa

A pesquisa ainda aponta que mesmo que toda a população mundial fizesse xixi no mar ao mesmo tempo, a concentração de ureia seria pequena em comparação ao tanto de água e acabaria diluída.

 

O importante é lembrar que isso não vale para áreas de preservação natural, como recifes de corais — que podem ser afetados pelos nutrientes presentes na urina –, pequenos corpos d’água, ou piscinas — já que o cloro da água reage com a ureia e gera moléculas capazes de irritar olhos, narizes e pulmões.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Fluvimar mostrará sua linha de pontoons e barcos de pesca no Brasília Boat Show

    Estaleiro paranaense tem 30 anos de mercado e quase 13 mil barcos na água; salão acontece de 14 a 18 de agosto

    Maior barco da Fibrafort, lancha F420 Gran Coupé será destaque no Brasília Boat Show

    De 14 a 18 de agosto, público do evento náutico poderá conferir de perto os detalhes dessa e de outras duas embarcações do estaleiro

    Doutor Bruno: atleta olímpico dividiu rotina do kitesurf com medicina e mira ouro em Paris

    Entre plantões médicos e velejadas, Bruno Lobo superou lesões e falta de apoio para estrear nas Olimpíadas de 2024

    Fotos inéditas do Titanic prometem revelar detalhes nunca vistos dos destroços

    Expedição ao naufrágio conta com dois robôs ultra tecnológicos, que farão imagens e mapeamentos 3D no fundo do oceano

    Brasília Boat Show terá presença da NX Boats com lancha de luxo assinada pela Pininfarina

    Modelo estará nas águas do Lago Paranoá de 14 a 18 de agosto; ingressos para o salão já estão disponíveis