Histórico: abertura das Olimpíadas terá delegações a bordo de 94 barcos no Rio Sena

Evento que acontece daqui a 30 dias será celebrado pela 1ª vez fora de um estádio; parte do público poderá assistir de graça

26/06/2024
Olimpíadas 2024 / Divulgação

Sempre emocionante, recheada de surpresas e muita sincronia, a Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos é um dos momentos mais aguardados da maior evento esportivo do planeta. Neste ano, porém, as arquibancadas darão lugar ao cais, e o gramado, ao rio Sena. Isso porque, pela primeira vez na história, a celebração acontecerá fora de um estádio — e a bordo de 94 barcos.

No dia 26 de julho — daqui exatos 30 dias –, cerca de 10,5 mil atletas cruzarão o centro de Paris por 6 km, passando por monumentos como a catedral de Notre-Dame, o Hotel de Ville, a sede da prefeitura, e o Grand Palais, diante de um público estimado em 326 mil pessoas, além de 1,5 bilhões de espectadores ao redor do mundo.

Olimpíadas 2024 / Divulgação

Para que quem estiver fora da França possa ter o gostinho desse momento histórico, os 94 barcos que levarão as delegações estarão devidamente equipados com câmeras.

 

Já para os milhares de visitantes esperados para a cerimônia, oitenta telões e alto-falantes ficarão estrategicamente posicionados, para transmitir cada detalhe.

Olimpíadas 2024 / Divulgação

Aliás, a celebração contará com entrada gratuita para grande parte do público que atracar em Paris, já que um lugar no cais superior dispensará a necessidade de ingressos.

 

Por outro lado, os que desejarem acessar o cais inferior, da ponte Austerlitz à ponte Iéna, precisarão pagar pelas entradas — que atualmente custam a partir de 7,5 mil euros (cerca de R$ 44,5 mil reais em conversão realizada em junho de 2024).

Planejamento e “plano B” para a abertura das Olimpíadas

Apesar de um evento em um estádio não ficar imune a adversidades, uma Cerimônia de Abertura Olímpica no rio Sena, a bordo de embarcações, carrega muito mais possíveis complicações que o normal.

 

Para se ter uma ideia, cada embarcação levará 45 minutos para percorrer o trajeto previsto — se tudo der certo –, cruzando a cidade de leste a oeste, sob a escolta de botes da guarda costeira e de 45 mil policiais civis e militares.

Olimpíadas 2024 / Divulgação

O clima, porém, é quem detém o maior poder de mudar toda essa estrutura. Nas últimas semanas, o mau tempo fez com que o nível do Sena subisse, o que impediu a realização de alguns testes. Mas Amélie Oudéa-Castera, ministra do Esporte da França, confia que a chegada do verão mudará esse cenário.

A condição meteorológica vai melhorar, menos chuva, mais calor, isso vai nos ajudar para o sucesso deste plano de ação– afirmou a ministra

De qualquer forma, a França já se organizou para mudar a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos caso imprevistos aconteçam. Entre as alternativas está a diminuição do número de espectadores ou, em último caso, se a parada fluvial não for possível, pode haver um desfile de atletas sobre a ponte de Iéna, entre a torre Eiffel e o Trocadéro.

 

Mas, ao que depender de Amélie, “é o plano ‘A’ que irá acontecer, o que não nos impede de antecipar outros cenários. Um plano ‘B’ ou ‘C’ são possíveis, mas até este momento, eles não têm razão de ser acionados”.

A poluição do Sena: maior desafio de Paris 2024

A organização das Olímpiadas de Paris 2024 tem tirado de letra o prazo de entrega das arenas temporárias, conseguindo respeitar o cronograma previsto. Mas uma peça específica de toda a enorme estrutura que envolve a maior competição do planeta ainda está fora do lugar: a limpeza do rio Sena.

Além de palco de abertura dos Jogos, o rio sediará as provas de maratona aquática e natação do triatlo. A ideia da organização era deixar as águas ideais para uso dos atletas até a data de início das competições, mas autoridades foram surpreendidas pelas mudanças climáticas, que levaram a Paris o início de ano mais chuvoso dos últimos 30 anos.

 

Entre janeiro e março de 2024, a capital francesa teve uma média 220 mm de precipitação, valor próximo de 1995, quando choveu quase 250 mm, de acordo com a base de dados do site meteorológico Infoclimat — um recorde para o período do ano.


Com isso, não só a qualidade da água mas o nível do rio tem dado à organização do evento o seu maior desafio. A ministra Amélie confia no plano de ação pensado há anos para a realização das Olimpíadas que, segundo ela, teve “meios importantes mobilizados e orquestrados pela prefeitura da região.”

Nós estamos confiantes da nossa capacidade de manter o calendário das provas como ele foi colocado na cena– disse ela durante um evento-teste com parte dos barcos

Dentre os projetos que visam deixar o rio Sena próprio para banho a tempo está a construção do Bassin D’Austerlitz, um grande tanque usado para tratar o excesso de água da chuva no Sena durante tempestades, com investimento aproximado de 1,4 milhões de euros.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Fluvimar mostrará sua linha de pontoons e barcos de pesca no Brasília Boat Show

    Estaleiro paranaense tem 30 anos de mercado e quase 13 mil barcos na água; salão acontece de 14 a 18 de agosto

    Maior barco da Fibrafort, lancha F420 Gran Coupé será destaque no Brasília Boat Show

    De 14 a 18 de agosto, público do evento náutico poderá conferir de perto os detalhes dessa e de outras duas embarcações do estaleiro

    Doutor Bruno: atleta olímpico dividiu rotina do kitesurf com medicina e mira ouro em Paris

    Entre plantões médicos e velejadas, Bruno Lobo superou lesões e falta de apoio para estrear nas Olimpíadas de 2024

    Fotos inéditas do Titanic prometem revelar detalhes nunca vistos dos destroços

    Expedição ao naufrágio conta com dois robôs ultra tecnológicos, que farão imagens e mapeamentos 3D no fundo do oceano

    Brasília Boat Show terá presença da NX Boats com lancha de luxo assinada pela Pininfarina

    Modelo estará nas águas do Lago Paranoá de 14 a 18 de agosto; ingressos para o salão já estão disponíveis