Movimento tenta libertar baleia Bella, presa há 10 anos em um shopping

Beluga vive em aquário minúsculo em um dos maiores empreendimentos da Coreia do Sul

04/06/2024
Foto: Hot Pink Dolphins/ Reprodução

Ao longo da última década, tudo o que a baleia Bella teve de espaço para nadar e viver foi um pequeno aquário dentro do sexto arranha-céu mais alto do mundo, localizado na Coreia do Sul.

Presa dentro do Lotte World Aquarium, situado em um mega shopping, a baleia da espécie beluga tem garantido a atenção de ativistas ao redor do mundo, que lutam pela sua libertação. Além dos protestos contra o Grupo Lotte, proprietário do aquário, uma petição internacional visa garantir os direitos do animal.

Foto: Hot Pink Dolphins/ Reprodução

O aprisionamento da baleia ocorreu em 2013, quando foi capturada no Oceano Ártico, na costa da Rússia, aos dois anos de idade. Junto com Bella, outras duas baleias macho — Bello e Belli — foram vendidas à empresa.

 

Em 2016, no entanto, Bello morreu prematuramente aos cinco anos de idade, sendo que a expectativa de vida da espécie gira em torno de 35 a 50 anos. Em 2019, Belli também não resistiu — fato que deu início ao clamor público pela libertação de Bella.

Como vive a baleia Bella

Embora as belugas cresçam até 5,5 metros, o tanque que abriga Bella tem apenas sete metros de profundidade. De acordo com o jornal The Guardian, o animal reveza entre “girar sem rumo e flutuar imóvel”.

Ela não tem estímulo e mostra sinais de doença mental– Jo ak-gol, do Hot Pink Dolphins, ao portal britânico

Como a baleia Bella foi retirada muito cedo de seu habitat natural, devolvê-la à natureza está fora de cogitação, já que não conseguiria sobreviver em mar aberto. A melhor saída seria transferi-la a um santuário à beira-mar, segundo especialistas da área.

 

Desde 2019, quando passou a ser alvo de críticas, o Grupo Lotte prometeu libertar a baleia Bella, anúncio feito novamente em 2021, mas que nunca saiu do papel.


Em comunicado recente ao The Guardian, o aquário disse cogitar um santuário na Islândia, Noruega ou Canadá, e afirmou estar em discussões com o governo e grupos de direitos dos animais para realizar a libertação “com base em um plano científico e prático”.

 

Embora a Coreia do Sul tenha proibido a compra de baleias e golfinhos em dezembro de 2023, a lei não se aplica a aquisições retroativas. Ou seja, animais em cativeiro podem ser mantidos legalmente em cativeiro.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Ilhabela deve ganhar 1ª usina de dessalinização de água de São Paulo em 2026

    Projeto prevê aumento de 22% no volume de água tratada no município, atendendo mais de 8 mil pessoas

    Descanso sobre as águas: hospedagem em barcos atracados é opção de lazer no litoral brasileiro

    Ideia dispensa a necessidade de carteira náutica e traz valores acessíveis para uma experiência pra lá de diferente

    Falkirk Wheel: conheça o elevador gigante para barcos que virou ponto turístico

    Construção na Escócia foi feita para driblar desnivelamento maior que um prédio de dez andares

    Ações de despoluição na Baía de Guanabara fazem vida marinha voltar às águas

    Expedições comandadas pelo Instituto Mar Urbano observaram mais animais na região e melhor qualidade da água

    Boat Show traz descontos exclusivos para hospedagem em Itajaí; conheça opções

    Parceria com dois hotéis garante conforto e condições especiais para visitantes do salão, que acontece de 4 a 7 de julho