Histórico de luxo e cenário paradisíaco: ilha entre a Escócia e a Irlanda do Norte está à venda por R$ 15 milhões

Local conta com sete casas, praias de tirar o fôlego, um farol e até heliporto

08/05/2024
Foto: Knight Frank / Divulgação

As ilhas naturalmente reservam cenários que parecem ter sido esculpidos à mão, atraindo pessoas do mundo todo para viverem momentos de sossego em meio à natureza. Mas a Ilha de Sanda, entre a Escócia e a Irlanda do Norte, traz em seu território características a mais, que agora podem ser compradas, por nada menos que US$ 3,1 milhões (cerca de R$ 15 milhões em conversão realizada em maio de 2024).

A beleza da Ilha de Sanda não se resume apenas ao cenário em que se encontra, em meio a uma imensidão azul e a visita constante de papagaios-do-mar e rebanhos de ovelhas. Por lá, os holofotes são divididos com sete casas já construídas, que misturam características arquitetôtonicas escocesas e irlandesas.

Foto: Knight Frank / Divulgação

Quatro das construções ficam no extremo norte e três no sul da ilha, ao lado de um farol, construído sobre uma estrutura rochosa e que parece ter saído direto de uma cena de filme. A ilha ganha ares ainda mais cinematográficos por só poder ser acessada de barco ou helicóptero, sendo Campbelltown, na Escócia, o principal acesso via embarcação.

Foto: Knight Frank / Divulgação
Foto: Knight Frank / Divulgação
Foto: Knight Frank / Divulgação

Se a segunda opção for a escolhida para chegar à Ilha de Sanda, o piloto pode ir tranquilo sabendo que pousará com tranquilidade, uma vez que o local dispõe de um heliporto. A ilha ainda dispõe de um pub, chamado de Byron Darnton Tavern — nome em homenagem a um navio que naufragou em Sanda em 1946.

Foto: Knight Frank / Divulgação

Fundado em 2003, o estabelecimento chegou a atender clientes que chegavam à Ilha de Sanda por água, mas foi fechado em 2010. O novo dono da ilha, contudo, tem permissão para reabrir o pub, optar por mantê-lo como um refúgio privado ou até alugá-lo por estadias curtas.

 

Seja lá qual for a escolha, certamente clientes não faltarão, já que as casas construídas no local foram recentemente remodeladas e podem acomodar até 26 pessoas.


Além dos atributos diferentões, a Ilha de Sanda ainda conta com um histórico de luxo: foi visitada pelo rei escocês Robert the Bruce e pelo rei Hacon da Noruega, e sua capela tem associações com São Columba e São Ninian. Um de seus proprietários já foi Jack Bruce, baixista que integrou a banda de rock Cream, ao lado do baterista Ginger Baker e do guitarrista Eric Clapton.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Saiba como seu barco pode ajudar moradores do Rio Grande do Sul

    Grupo Náutica uniu forças com a CUFA para apoiar o estado atingido por enchentes; instituição busca pequenos barcos para o transporte de doações

    Sem deixar feridos, incêndio na Croácia atinge mais de 20 barcos

    Incidente ocorreu em marina na cidade de Medulin, no noroeste do país, no último dia 15

    Nova lancha da Azimut promete reduzir em até 40% as emissões de CO₂

    Batizada de Seadeck 6, embarcação foi apresentada em piscina no maior evento de design do mundo, na Itália

    EUA enviam ao Rio de Janeiro porta-aviões gigante de 333 metros; entenda

    USS George Washington atracou no Brasil como parte da operação Southern Seas, que visa incentivar a cooperação entre os países

    Em fase final de testes, Aquabus de Ilhabela transportaram 1,5 mil pessoas no fim de semana

    Novo sistema de transporte aquaviário contará com três catamarãs e capacidade para 60 pessoas em cada viagem; data de inauguração ainda não foi divulgada