Navio naufragado há quase 300 anos carregava sabres e moedas valiosas

Artefatos encontrados por arqueólogos foram restaurados às condições originais

01/08/2023
Foto: The Historic England Archive / Reprodução

Navios naufragados sempre despertam interesse por seus possíveis segredos escondidos, ainda mais quando se trata de uma embarcação de quase 300 anos atrás. Naufragado desde 1740, o navio Rooswijk tinha mais do que segredos: portava cerca de 2.500 artefatos, como centenas de lâminas de sabre e milhares de moedas.

Antes deteriorados por crustáceos, os itens antigos revelaram desenhos e detalhes impressionantes para a época. Vale ressaltar que a embarcação acabou presa na areia, sendo despedaçada pela força do mar ao passar do tempo.

Foto: The Historic England Archive / Reprodução

Descoberto em 2005 por um mergulhador, o navio Rooswijk é pertencente à Companhia Holandesa das Índias Orientais e está há cerca de 25 metros de profundidade do mar, na costa de Kent, na Inglaterra. Tamanha profundidade fez com que Martijn Manders, líder do projeto na Agência de Patrimônio da Holanda, exaltasse a operação.

 

O naufrágio de Rooswijk está a aproximadamente 25 metros de profundidade em um ambiente altamente dinâmico. É preciso muito esforço para escavar um naufrágio nessas condições – Martijn Manders.

Um dos cinco baús resgatados do mar continha cerca de 100 lâminas de sabre. Além disso, quase 2 mil moedas de prata foram recuperadas por equipes britânicas e holandesas entre 2017 e 2018. Acredita-se que metade do dinheiro a bordo era contrabandeado da Cidade do México.

Foto: The Historic England Archive / Reprodução

O processo de recuperação está sendo feito pelo Historic England’s Research Facility, no Reino Unido. Com ferramentas de alta tecnologia, os especialistas em conservação removeram as grossas camadas de conchas e pedras que se acumularam nas peças ao longo dos séculos.

Após o trabalho de limpeza, as lâminas das armas revelaram gravuras como lua, sol, estrelas e até mesmo cobras. Além disso, os sabres estavam sem punho, sendo difícil saber se seriam usados por soldados ou vendidos.

Tem sido fascinante revelar lentamente os muitos segredos escondidos por centenas de anos dentro dos objetos encontrados dentro do local do naufrágio de Rooswijk – Angela Middleton, conservadora arqueológica sênior da Historic England.

Foto: The Historic England Archive / Reprodução

História do Rooswijk

Pertencente a Companhia Holandesa das Índias Orientais, o navio Rooswijk naufragou em 1740, quando viajava de Texel, na Holanda, rumo a Jacarta, da Indonésia. Na ocasião, a embarcação acabou presa na areia de Goodwin Sands, na Inglaterra, sendo despedaçada pela força do mar.

Foto: Fries Scheepvaartmuseum/ Reprodução

O desastre matou todos os 237 tripulantes a bordo, incluindo o capitão Daniel Ronzieres, Gerrit Hendrick Huffelman, responsável pela prestação de cuidados médicos e Pieter Calmer, um marinheiro que já havia sobrevivido ao naufrágio de Westerwijk.

 

Até então, o navio Rooswijk estava em sua segunda viagem para o leste, afundando cerca de 8km do continente britânico. O naufrágio ocorreu em 9 de janeiro de 1740, mas só veio a ser descoberto em 2004, por um mergulhador armador, no extremo nordeste de Kellett Gut, Reino Unido.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Armatti Yachts vai exibir três lanchas no Marina Itajaí Boat Show 2024

    Modelos de 30, 37 e 42 pés marcarão presença no evento, que acontece de 4 a 7 de julho

    Por que a tocha olímpica não apaga debaixo d’água? Entenda

    Tradicional revezamento que antecede os Jogos contou com trecho submerso na França, a 20m de profundidade no Mediterrâneo

    Enorme submarino de guerra surge em Santos, no litoral de São Paulo

    Embarcação da Marinha, o Tikuna - S34 chamou a atenção ao atracar com tripulantes sobre o casco

    Quase 1.500 anos: cientistas identificam a planta marinha mais antiga do mundo

    Espécie de alga marinha surgiu no Mar Báltico no período das Invasões Bárbaras, de 375 d.C. a 700 d.C

    Copa Mitsubishi de Vela: 2ª etapa termina com premiação e domingo sem ventos

    Participantes disputaram regatas no sábado, mas premiação aconteceu no dia seguinte sem novas competições