Noruega tem primeira balsa totalmente elétrica do mundo

Equipada com motores elétricos e sistemas de bateria, Medstraum navega com alta velocidade e emissão zero

11/07/2024
Foto: Projeto TrAm / Divulgação

A Noruega carrega um positivo histórico de implementação de soluções sustentáveis para o transporte, especialmente no setor marítimo. Uma delas se deu com a primeira balsa totalmente elétrica do mundo, batizada de Medstraum.

Desenvolvida pela Maritime CleanTech, que atua em conjunto com a indústria, o governo e instituições de pesquisa, o Medstraum é uma balsa que combina alta velocidade e emissões zero.

Foto: Projeto TrAm / Divulgação

O objetivo do projeto era desenvolver um navio de passageiros rápido de emissão zero por meio de produção modular avançada– explica a Maritime CleanTech

Atualmente em operação diária para a Kolumbus (empresa de transporte público) em Stavanger, na Noruega, a Medstraum é capaz de ultrapassar os 23 nós (42,5 km/h), graças a dois motores elétricos e dois sistemas de bateria Power Lithium. A ideia é que a balsa navegue nesse ritmo por uma hora, com uma única carga.


“O projeto foi revolucionário tanto em termos de tecnologia de emissão zero, quanto de métodos de fabricação e contribuirá para tornar os navios de alta velocidade movidos a eletricidade competitivos em termos de custo e meio ambiente no futuro”, ressalta a empresa.

 

A “revolução” mencionada pela CleanTech se dá não só pelo resultado final do Medstraum, mas também por sua abertura de novos métodos de fabricação no setor que, segundo a empresa, podem contribuir para custos de produção e engenharia menores, com reduções que chegam aos 25% e 70%, respectivamente.

O projeto também conduziu dois estudos para o mesmo tipo de embarcação no Rio Tâmisa, em Londres, e nos canais da Bélgica para explorar oportunidades para embarcações semelhantes de emissão zero– afirma a Maritime CleanTech

Não à toa, a Medstraum foi finalista no European Sustainable Energy Awards (prêmio que reconhece indivíduos e projetos de destaque para impulsionar a descarbonização da Europa) de 2023, destacando seu impacto e inovação na área de transporte sustentável.

Foto: Projeto TrAm / Divulgação

Vale ressaltar que a Maritime CleanTech também fez parte de projetos relacionados a soluções eólicas, de carregamento offshore e produção de hidrogênio. Um dos mais recentes deste ano está relacionado ao design de uma embarcação movida a amônia.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Homem recupera Apple Watch que estava perdido no mar do Caribe há mais de um ano

    Aparelho foi encontrado ainda funcionando graças à ferramenta de localização do dispositivo

    Fluvimar mostrará sua linha de pontoons e barcos de pesca no Brasília Boat Show

    Estaleiro paranaense tem 30 anos de mercado e quase 13 mil barcos na água; salão acontece de 14 a 18 de agosto

    Maior barco da Fibrafort, lancha F420 Gran Coupé será destaque no Brasília Boat Show

    De 14 a 18 de agosto, público do evento náutico poderá conferir de perto os detalhes dessa e de outras duas embarcações do estaleiro

    Doutor Bruno: atleta olímpico dividiu rotina do kitesurf com medicina e mira ouro em Paris

    Entre plantões médicos e velejadas, Bruno Lobo superou lesões e falta de apoio para estrear nas Olimpíadas de 2024

    Fotos inéditas do Titanic prometem revelar detalhes nunca vistos dos destroços

    Expedição ao naufrágio conta com dois robôs ultra tecnológicos, que farão imagens e mapeamentos 3D no fundo do oceano