Estrada de pedra de 7 mil anos atrás é registro da história no fundo do Mar Adriático

Cerâmicas e outros artefatos encontrados no local são vestígios que podem ter pertencido a antiga civilização de Hvar, na Croácia

12/06/2024
Foto: Facebook / Universidade de Zadar / Reprodução

O fundo do mar esconde mistérios que fogem ao alcance do nosso conhecimento, mas ao mesmo tempo, essas profundezas ajudam a contar a história da humanidade. Exemplo disso foi a descoberta de cientistas no Mar Adriático onde, enterrada sob as camadas do fundo lamacento da água, uma estrada de pedra datada de mais de 7 mil anos foi encontrada, junto a artefatos que surpreenderam pesquisadores.

O fato do Mar Adriático ter sido uma importante rota comercial para a população croata na antiguidade faz dele um ponto essencial para o entendimento da vida humana no passado. Ainda assim, arqueólogos da Universidade de Zadar, na Croácia, não deixaram de ficar surpresos ao encontrarem, no sítio neolítico submerso de Soline, na ilha de Korčuli, uma estrada de pedra de 7 mil anos.

Foto: Facebook / Universidade de Zadar / Reprodução

Os pesquisadores entendem que a descoberta pertencia ao assentamento pré-histórico submerso de Hvar — ilha croata no Mar Adriático atualmente conhecida como uma estância de verão –, que ligava o local criado artificialmente à costa.

 

 

Durante a escavação arqueológica, cientistas também deram de cara com artefatos neolíticos, como lâminas de sílex, machados de pedra, fragmentos de madeira, cerâmicas, artefatos de osso e até pontas de flecha, todos em terras próximas à baía de Gradina, perto da cidade de Vela Luka.

As descobertas da cerâmica ajudaram-nos a atribuir este local à cultura de Hvar– Mate Parica, professor do Departamento de Arqueologia da universidade

Para chegar ao dado dos 7 mil anos, a equipe utilizou análises de radiocarbono, que concluíram que o assentamento data de aproximadamente 4.900 a.C.


Também na região já foram encontradas esculturas e literatura, nas cavernas de Grapceva e Markova Spilija. Uma das explicações para os achados é que, por volta de 1420, quando Hvar foi conquistada pelos venezianos, eles a usaram como principal porto para suas viagens marítimas.

Foto: Facebook / Universidade de Zadar / Reprodução

Principalmente durante a Segunda Guerra Mundial, Hvar ganhou ares de estância turística, justamente por sua associação histórica — fato que segue até os dias atuais.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Fluvimar mostrará sua linha de pontoons e barcos de pesca no Brasília Boat Show

    Estaleiro paranaense tem 30 anos de mercado e quase 13 mil barcos na água; salão acontece de 14 a 18 de agosto

    Maior barco da Fibrafort, lancha F420 Gran Coupé será destaque no Brasília Boat Show

    De 14 a 18 de agosto, público do evento náutico poderá conferir de perto os detalhes dessa e de outras duas embarcações do estaleiro

    Doutor Bruno: atleta olímpico dividiu rotina do kitesurf com medicina e mira ouro em Paris

    Entre plantões médicos e velejadas, Bruno Lobo superou lesões e falta de apoio para estrear nas Olimpíadas de 2024

    Fotos inéditas do Titanic prometem revelar detalhes nunca vistos dos destroços

    Expedição ao naufrágio conta com dois robôs ultra tecnológicos, que farão imagens e mapeamentos 3D no fundo do oceano

    Brasília Boat Show terá presença da NX Boats com lancha de luxo assinada pela Pininfarina

    Modelo estará nas águas do Lago Paranoá de 14 a 18 de agosto; ingressos para o salão já estão disponíveis